Prefeito Fábio Gentil e membros da ACL inauguram efígie de Joaquim Vespasiano Ramos, na praça que abriga a Feirinha da Gente e leva o nome do poeta

21.8.17
O prefeito de Caxias, Fábio Gentil, ao lado de membros da Academia Caxiense de Letras, secretários municipais e políticos da região dos cocais, inaugurou na manhã do último domingo (20), na Praça Vespasiano Ramos, uma efígie em homenagem a Joaquim Vespasiano Ramos, que dá nome ao logradouro público.

Durante a solenidade, esteve presente a única sobrinha viva do homenageado, Luzia Castelo Branco da Cruz. Vespasiano Ramos nasceu em Caxias nas imediações onde está localizada a praça que leva seu nome, em 13 de agosto de 1884; viveu seus últimos dias em Porto Velho, Rondônia, onde faleceu em 1916, aos 32 anos.

“A história literária do Brasil passa por Caxias. Personalidades, vultos literários, tais como: Antônio Gonçalves Dias, Henrique Maximiliano Coelho Neto e Joaquim Vespasiano Ramos, formam uma tríplice aliança de cultura literária, do torrão caxiense, torrão maranhense, do torrão brasileiro. Essa efervescência elevou o nome de Caxias e de toda a literatura da ceara mundial. A academia francesa fala em Vespasiano Ramos da mesma maneira que fala em Coelho Neto, que fala em Gonçalves Dias, então, ele também faz parte da nossa posteridade”, expressou Wybson Carvalho, poeta caxiense e membro da Academia Caxiense de Letras (ACL).

“Caxias é uma cidade histórica, e é importante para todo o Brasil. Vespasiano Ramos é conhecido internacionalmente e a sua obra percorre os quatro cantos desse país. A efígie que nós inauguramos é uma prova de que nós precisamos a cada dia valorizar, renascer essa história. A nossa administração tem uma diferença básica, o amor e o respeito pelo povo. Quem ama e respeita, valorizar o que tem. Nós temos figuras importantes e valorosas em Caxias”, destacou Fábio Gentil, prefeito de Caxias.

A Feirinha da Gente recebeu um biombo, que mostra como está o andamento das obras que estão sendo executadas em Caxias. A população a cada domingo prestigia a variedade da culinária caxiense, do artesanato e dos produtos da agricultura familiar que são comercializados no local, além das atrações culturais que a cada edição se apresentam. Promovida pela Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres e Secretaria Adjunta de Turismo, o local se transformou em ponto turístico aos domingos, das 08h às 15h.

“A cidade estava precisando de um espaço para a contemplação, para a família se reunir de manhã, tomar um café, e aqui a gente agregou a parte cultural, envolvendo todas as manifestações da cidade e da região: tambor de crioula, dança do Lili e artistas locais. Além do espaço para as compras, temos o artesanato e espaço para a consciência ecológica. Hoje a Praça também está recebendo uma efígie de Vespasiano Ramos, enfim, celebrando este poeta que é Vespasiano Ramos. Quem tiver interesse em participar da Feirinha, procure a administração, porque há toda uma preocupação com a organização”, destacou Arthur Quirino, secretário de Cultura, Patrimônio Histórico, Esporte, Turismo e Juventude.

Dentre as atrações que foram destaques na 5ª edição da Feirinha, estão os idosos que são assistidos pelo Centro de Convivência de Idosos do Bairro Seriema, que mostraram o Carimbó. O Lili, dança típica caxiense, foi outra manifestação cultural apresentada que mostra por meio das apresentações um pouco da vida na roça e da importância do trabalho do homem do campo.

“A dança do Lili é uma dança típica caxiense, que resgata a cultura do trabalhador da roça, e nasceu com o objetivo de mostrar essa cultura, a quebradeira de coco, a lavadeira de roupa, o corte da cana. Então, ela veio com o objetivo de resgatar a cultura do trabalhador da roça”, disse Pelé, produtor cultural.

Jovens do grupo Abadá de Capoeira, do povoado Brejinho, também se apresentam. O projeto atende mais de 100 jovens e acontece em parceria com a escola Pedro Neiva de Santana; o mesmo é apoiado tanto pela SEMECT, quanto por empresas privadas. A professora Kelly Andrade (Espoleta), representará o Maranhão no 11º Encontro Mundial de Capoeira, que vai trabalhar a temática indígena entre 21 e 27 de agosto, no Rio de Janeiro.

“Aqui do Maranhão, eu e mais dois amigos de São Luís vamos representando o Estado. Esse mundial vai está abraçando o índio brasileiro. O tema central é: Abadá Indígena. Capoeiristas de 75 países vão participar e nós estamos indo com o nome do Maranhão e de Caxias, para tentar trazer esse título para a cidade. A partir desse evento, com certeza a capoeira vai ser mais divulgada”, disse Kelly Andrade (Espoleta), professora de Capoeira do grupo Abadá Capoeira do Brejinho.

“Eu conheci o Abadá aqui mesmo em Caxias, faz quatro anos. Nós estamos no espaço cultural da Cohab, que é uma parceria do Edilson da Cohab, sendo que nosso vínculo maior é com Teresina, onde a gente vai absorver conhecimento e traz para as crianças aqui também”, disse Ana Carine (Boneca), integrante do Abadá Capoeira do Espaço Cultura do Bairro Cohab.

“Parabéns aos nossos alunos de Capoeira do Programa Mais Educação, que estão presentes com a nossa professora “Espoleta”, que vai representar Caxias em um mundial no Rio de Janeiro. Queremos agradecer a Deus e ao prefeito Fábio Gentil, e com certeza, temos tudo para fazer um bom trabalho”, ressaltou Ana Célia Damasceno, secretária de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT).

A Feirinha da Gente acontece todos os domingos, das 08h às 15h, na Praça Vespasiano Ramos (Praça da Igreja São Benedito). O evento é uma promoção da Prefeitura de Caxias por meio da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres e Secretaria Adjunta de Turismo, em parceria com outras secretarias municipais: Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social; Secretaria de Meio Ambiente; Secretaria de Indústria e Comércio e Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Pesca, além do apoio do SEBRAE (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). A proposta é estimular a comercialização de produtos agrícolas e artesanais produzidos no município. (Ascom/Caxias)

0 comentários:

Postar um comentário