Presidente do Sindicato dos Jornalistas denuncia indústria da indenização contra a Imprensa

18.7.14
José Olímpio Castro, presidente do SINDJOR/PI
Uma verdadeira indústria de indenização está em andamento no Brasil contra jornalistas profissionais que atuam em rádio, jornal, tv e veículos eletrônicos expostos a todo tipo de risco e sujeitos às mais variadas repressões de que se tem notícia”. O desabafo é do presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí, José Olímpio Castro.

O dirigente sindical informou que depois que a Lei de Imprensa foi tornada sem efeito pelo Supremo Tribunal Federal porque estava eivada de artigos, parágrafos e alíneas que atentavam contra o profissional não existe mais nenhuma legislação no Brasil para garantir ao jornalista o direito de informar.

Olímpio Castro aludiu aos recentes casos no Piauí em que jornalistas são obrigados a desembolsar quantias fora da realidade econômica do seu meio porque não pode pagar multas de 40 salários mínimos como foi exigido ao repórter Ademar Sousa, do portal Tribuna do Maranhão, quando o rendimento do profissional é limitado geralmente ao piso da categoria que, na região, não alcança os R$ 1. 500.

Lembrou também o caso do jornalista e editor Arimatéia Azevedo que, acusado de crime de opinião e de informação, foi recolhido à prisão só ganhando a liberdade quando um ministro do Superior Tribunal De Justiça intercedeu em seu favor.

- Os jornalistas – disse Olímpio Castro – estão jogados aos leões. Todos querem cobrar indenização por notícias publicadas com dados relativos a atividades de pessoas e de grupos e estes resolvem bater à porta da justiça muito mais para cobrar vantagem financeira que propriamente restabelecer a verdade. ( Do blog do Chyco Viana)

0 comentários:

Postar um comentário