RESPOSTA A ALTURA - Edilson Martins critica administração Fábio Gentil e ouve comentário de Mário Assunção: “está com crise de abstinência e fica vendo o que não está acontecendo”

1.3.18
Mário Assunção não está dando vida fácil aos oposicionistas

Na sessão desta quarta-feira, 28, na Câmara Municipal de Caxias, o vereador Mário Assunção voltou a rebater de forma contundente as críticas da oposição dirigidas ao prefeito Fábio Gentil.

Com a experiência política e o conhecimento técnico da administração, Mário foi preciso ao explicar atos administrativos corriqueiros e legais que o oposicionista Edilson Martins tentou ‘vender’ como irregularidade ou descaso.

Tudo começou quando, ao usar o pequeno expediente, onde os parlamentares tem a oportunidade de falar durante 5 minutos sobre assuntos diversos, o vereador Edilson Martins discorreu sobre problemas na merenda escolar, transporte escolar, contrato de servidores e buracos existentes em diversos bairros da cidade e sempre tentando passar a ideia de que algo irregular estaria acontecendo na administração municipal. “Eu respeito quem gosta de carnaval. Respeito que ele [o prefeito] faça as festas, mas eu lhe digo: qual é o melhor para o município e para os nossos munícipes, é a festa, é o carnaval ou é a saúde? Ou é uma pista que tenha uma trafegabilidade melhor? É uma saúde de qualidade, é uma educação de qualidade?”, cobrou Edilson Martins estendo suas críticas para vários outros pontos da administração e vendo, assim como sua colega Taís Coutinho, caos em toda a administração da cidade.

Atento as cobranças de Edilson, o vereador Mário Assunção esperou todos os colegas governistas se manifestarem para no final da sessão colocar os devidos pingos no is nos reclames do oposicionista, onde mostrou, mais uma vez, porque é um vereador do alto clero e peça importantíssima na base aliada de Fábio Gentil na Câmara Municipal. “O governador Flávio Dino procurou o prefeito Fábio Gentil, que hoje é a maior liderança política em nossa cidade, propondo a ele pra que fizesse parte da sua base de sustentação, pra ter o apoio. E o prefeito disse pra ele que só podia tomar qualquer decisão com relação a isso se ele começasse a ajudar mais uma vez o município de Caxias. E dentre as reivindicações que foram feitas, tem duas reivindicações que são muito importantes para serem ditas nessa sessão de hoje. O governador acertou com o prefeito que mandaria 28km de recapeamento asfáltico para Caxias, e onde está incluso [o recapeamento] do [residencial] Eugênio Coutinho, que já começou a ser feito, o bairro Antenor Viana, uma parte do Cangalheiro, o João Viana e outros bairros adjacentes. Só que também foi acordado que se mandaria 8 quilômetros de implantação de asfalto, colocar asfalto onde não tem, e esse asfalto será colocado, se vier, no bairro Luiza Queiroz e no bairro Vila São José, que já está sendo discutido aqui, que é onde o asfalto foi totalmente destruído, e isso há mais de 3 anos. Então, se o governador atender o pedido, a reivindicação do prefeito Fábio Gentil, isso também será resolvido”, revelou Assunção deixando claro que o problema da recuperação da malha viária da cidade já está sendo resolvido e depende, em boa parte, do cumprimento do acordo firmado com o governador.

Quanto aos queixumes de Edilson Martins sobre merenda escolar e transporte escolar, Mário Assunção deu uma verdadeira aula de administração pública e impossibilitou qualquer argumento contrário as suas explicações.

“Com relação ao transporte escolar e a merenda escolar, o transporte escolar foi aditivado o contrato do ano passado, exatamente pra poder suprir as necessidades do transporte escolar enquanto é feita a nova licitação. Então não existe falta de transporte escolar ou falta de licitação, uma vez que a licitação foi aditivada, publicada no Diário Oficial do município, nos jornais de grande circulação, então só não lê quem não sabe, quem não quer. Quanto a merenda escolar, é de praxe, desde o tempo da professora Silvia Carvalho (ex-secretária de Educação do município) que em dezembro se faz um pedido de merenda escolar para suprir os primeiros meses do ano seguinte e é por isso que tem merenda escolar nas escolas. Isso não foi uma invenção do prefeito Fábio. Isso é uma coisa chamada de organização e que é feita em todas as secretarias de todos os municípios e isso também não é um problema”, explicou o governista.

Mas se as explicações técnicas/administrativas feitas por Assunção não foram suficientes para calar as vozes recalcadas da oposição, a razão para a gritaria dos contrários ao governo Fábio Gentil foi dada com precisão cirúrgica: tratava-se de ABSTINÊNCIA DE PODER.

“E eu estava escutando essa discussão e eu me lembrei de um filme que eu assisti durante o final de semana, onde falava da tomada do poder nos Estados Unidos e lá eles falaram uma frase que eu acho que cabe muito bem aqui em Caxias: que eles falavam que as pessoas começavam a criar fatos, a inventar histórias por uma simples coisa: ABSTINÊNCIA DO PODER. Antigamente nós víamos aqui gente que andava com o vidro do carro aberto, olhando construção de quebra-molas, limpeza de rua, fazendo e acontecendo porque tinha no seu comando, no seu poder todo esse tipo de serviço. Aí hoje não tem mais e está com crise de abstinência e as vezes fica vendo o que não está acontecendo na realidade”.

Pelo visto, no segundo ano do governo Fábio Gentil, a oposição na Câmara Municipal não terá a vida fácil que teve em 2017, onde conseguia expor, com certa facilidade, a crise de abstinência que os acomete.

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Excelente.

Postar um comentário