TERRA ARRASADA!!! Por irresponsabilidade do governo Léo Coutinho, Ministério da Saúde suspende PSF em Caxias

5.11.16
Prefeito Léo Coutinho e secretário de Saúde Vinicius Araújo: saúde em frangalhos

Caminha a passos largos, por parte do atual governo em Caxias, o desmantelamento de toda a máquina administrativa do município.

A disposição de não deixar pedra sobre pedra para o próximo gestor está sendo desenhada pelo grupo Coutinho nos mínimos detalhes.  

Nesta semana, quando explodiu o caso do rombo no Caxias Prev, o fundo de previdência dos servidores municipais, bem como veio a tona a divulgação de que mais de 1.000 (mil) contratados do município, que contraíram empréstimos consignados junto a Caixa Econômica Federal e estão com o nome no SPC – Serviço de Proteção ao Crédito, por conta da Prefeitura, apesar de fazer o desconto nos salários dos funcionários, não ter repassado os valores ao banco, eis que os caxienses ganham mais uma desagradável surpresa.

É que o Ministério da Saúde publicou nesta quinta-feira, dia 03, a Portaria Nº 2.249, que suspende a transferência de incentivos financeiros referentes aos programas Saúde da Família e Saúde Bucal, no município de Caxias.

A Portaria, assinada pelo ministro de Estado da Saúde, Ricardo Barros justifica, em seu Artigo 1º, que a suspensão do repasse dos recursos baseou-se em irregularidades constatadas em auditoria realizada pelo SUS. “... em virtude de irregularidades/improbidades detectadas pelo Departamento Nacional de Auditoria do SUS, corroboradas pela Supervisão “in loco” do gestor estadual, especialmente no que tange ao descumprimento da carga horária por parte dos profissionais que compõem as equipes de Saúde da Família e Saúde Bucal, conforme preconiza a Política Nacional de Atenção Básica”.

Com a decisão do MS, as 33 equipes de Saúde da Família e as 31 equipes de Saúde Bucal terão os repasses financeiros suspensos até a adequação, por parte do município, das irregularidades encontradas.

A decisão do MS, tomada devido a irresponsabilidade do governo Léo Coutinho, apesar de ter sido publicada na última quinta-feira, 03, abrange desde a competência de setembro de 2016.

Vale ressaltar que a drástica decisão aconteceu somente após o Departamento Nacional de Auditoria do SUS, corroborada pela supervisão “in loco” do gestor estadual, detectar as irregularidades nos referidos programas suspensos.

Com mais essa grave e danosa consequência produzida 100% pelo governo Léo Coutinho, cai por terra o discurso de seriedade e honestidade adotado pela família Coutinho nos 12 anos que comandaram os destinos do município.

O setor de saúde da princesa do sertão, que tanto foi usado pela família Coutinho para chegar ao poder, está sendo totalmente destruído para proporcionar muita dor de cabeça ao futuro prefeito de Caxias.

Os programas de Saúde da Família, que agora foram suspensos pelo Ministério da Saúde, respondem por toda a rede de saúde básica do município e sua suspensão vai prejudicar milhares de caxienses que precisam de atendimento médicos nos bairros e em toda a zona rural.

Será que Humberto Coutinho, ao adotar a tática de terra arrasada, ainda pensa que um dia pode voltar ao poder em Caxias?

Portaria do Ministério da Saúde suspendendo o PSF e o PSB

3 comentários:

  1. Sem comentários...os fatos falam por si só.

  1. Anônimo disse...:

    até a unidade do Viva Cidadão do Estado do Centro da Cidade vai para o Shopping Center de propriedade do Grupo Coutinho, só ver e conferi que existe uma placa da marca Governo do Estado.

  1. Anônimo disse...:

    Em Sao Luis existe viva cidadao nos shoppings. E nao é por nada nao, quebra um galho danado, principalmente em relacao a estacionamento. Te atualiza rapá

Postar um comentário