Shopping Caxias: Um bom negócio... Para a família Coutinho

12.12.13

Imagem ilustrativa
Você entraria num negócio onde além de ter de pagar R$ 66 mil reais de luva (entrada), disponibilizar entre 4 e 5 mil reais de aluguel todos os meses, reservar 2% do seu faturamento bruto para a direção e pagar também uma taxa de condomínio ainda indefinida para cobrir os custos com propaganda, água, energia e outros encargos e no final das contas ainda disponibilizar seu livro caixa para ser periciado pela auditoria do empreendimento que você nem é o dono?  Pois é! O Shopping Caxias, idealizado pelo pai do prefeito do município, empresário Eugênio Coutinho e pelo empresário piauiense Valdeci Cavalcanti é tudo isso que você acabou de ler.

E não pense que todo esse dinheiro envolvido num negócio que não é seu é por um espaço físico considerável. São apenas 40m2 disponíveis em cada loja que o empresário caxiense que tiver coragem de se lançar nessa empreitada vai ter direito.

Empresário caxiense não demonstra
´interesse´ em participar do negócio
No vídeo produzido pelo empreendimento e na reportagem da TV Difusora Caxias, de propriedade do prefeito Léo Coutinho, até parece que não estamos em Caxias tamanha é a magnitude que retratam a nossa economia.

Conversei com alguns empresários e corretores imobiliários da cidade. Todos foram unânimes em afirmar que os proprietários do Shopping estão pensando que Caxias é a nova Dubai brasileira tamanha é a pretensão deles em acreditar que o empresariado local vá investir num negócio onde irão desembolsar uma fortuna e ainda não serão donos. “E o pior é que ainda teríamos que ser é sócios da família Coutinho, pois além da fortuna com aluguel e taxa de condomínio, anda existe essa taxa de 2% do faturamento bruto”, diz um empresário local que não quis ser identificado.

“Eles falam que fizeram pesquisa de mercado, mas pelo visto essa pesquisa está totalmente errada, pois o empresariado local não suporta valores tão altos para manter uma loja de 40m2 onde não sabemos se o Shopping vai dar certo”, salienta um experiente empresário caxiense que estava empolgado com o projeto, mas desistiu depois de ver os valores astronômicos do negócio.

A Câmara dos Dirigentes Lojistas – CDL/Caxias, que também chegou a ficar animada com um shopping na cidade, parece que não tem mais tantos motivos para alegria. É que nas conversas preliminares quando da construção do empreendimento, a CDL foi cogitada como sendo uma forte parceira e que a entidade iria coordenar as vendas, tudo no intuito de prestigiar o comércio local. Ledo engano! A comercialização está sendo feita por um argentino e por um baiano que pouco ou nada conhecem da realidade da economia caxiense.
Felicidade tem nome: Empresário Eugênio Coutinho ao lado de Veldeci Cavalcanti,
do vice-governador do Piauí, José Filho e do presidente do
Comercial Carvalho, Reginaldo Carvalho

Na primeira semana de lançamento de um empreendimento como esse, o normal seria a venda de aproximadamente 50% das lojas disponíveis. Passados 20 dias do lançamento, informações de bastidores estimam que esse número não teria chegado a 10%.

Todos os comerciantes e corretores que visitei para produzir esta postagem fizeram suas considerações sobre o assunto na condição do anonimato, pois temem represálias do grupo dominante.

Mas se o medo do empresariado local existe, na classe política ele é bem menor.

Coube ao vereador Catulé, que também é presidente da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Caxias, abordar na tribuna da Casa do Povo as incongruências do mega empreendimento da família Coutinho.

Para o vereador, o comércio local está sofrendo com a demissão em massa proporcionada pelo atual governo e os sintomas disso estão por toda a cidade.

“O Comercial Carvalho já fechou a sua unidade no bairro Ponte e os funcionários das outras filiais existentes na cidade me reclamaram que já começaram a receber seus salários com atraso de vários dias, o que nunca aconteceu em todos esses anos de atividade em nossa terra”, revelou Catulé que estranha ainda o fato do prefeito ser “garoto-propaganda” do negócio. “O prefeito, esse menino mimado, fala na TV como se o shopping fosse uma obra pública, pois é o que parece quando ele fala do empreendimento”.

Apogeu e queda
É fato que os comerciantes de Caxias viveram um período de tranqüilidade e até conseguiram aumentar seus empreendimentos durante os 8 anos de governo de Humberto Coutinho. O motivo desse sensível crescimento econômico deu-se por conta da regularidade do pagamento do funcionalismo público municipal, que pelo menos nos 20 anos anteriores viveram momentos de turbulências e incertezas em relação ao recebimento de seus vencimentos. Com essa certeza no pagamento, muitos comerciantes puderam programar seus negócios e estipular investimentos a médio e longo prazo.

O atual prefeito continua pagando em dia os salários, mas, segundo o vereador Catulé, a demissão de 2000 (dois mil) servidores do município neste ano penalizou, além dos demitidos, “todo o comércio da cidade”.

A fuga do dinheiro de Caxias
É comum o caxiense fazer compras em Teresina. Quem possui carro próprio não perde um momento de folga para passear na capital piauiense, curtir o centro daquela cidade ou dar uma “esticadinha” nos seus shoppings centers.

Mas existem alguns contratempos na ida dos caxienses até Teresina fazer compras: Geralmente essa viagem é feita a noite, onde muitos tomam um chopp e o cansaço da volta torna-se um incômodo a mais na curta e perigosa viagem.

Os mais incautos, e principalmente aqueles empolgados pela propaganda positiva que os empreendedores do Shopping Caxias estão fazendo ao vender o projeto como “uma conquista para nossa cidade”, ficam com a auto-estima elevada pela suposta conquista alcançada pelos empresários tupiniquins. Outro ledo engano.

Poucos, pouquíssimos empresários caxienses irão “pagar para trabalhar” no tal Shopping Caxias. Nossos empresários não suportam uma carga de despesas e encargos dessa magnitude como os que estão sendo praticados.

Os empresários dos shoppings de Teresina, por medo de perderem os clientes de Caxias que ficarão aqui mesmo por medo de enfrentarem a incômoda viagem que falei acima, certamente irão investir no Shopping coutinhiano.

Quem ganha e quem perde?
Bem, com o Shopping Caxias, provavelmente não teremos mais o mesmo fluxo de caxienses indo até Teresina gastar seu dinheiro. Irão freqüentar o empreendimento local e poderão deixar esses recursos aqui na cidade, não é mesmo? Não amigo, isso não existe.

Com a quase totalidade dos lojistas de fora de Caxias nas lojas do empreendimento da família do prefeito, teremos a inversão dos papéis: o caxiense não irá até Teresina deixar seu dinheiro para os empresários piauienses, serão eles que virão até aqui buscá-lo.

Os comerciantes e empresários da região central da cidade irão perder com certeza com o tal Shopping Caxias.

Mas não se preocupem, não serão somente os piauienses que irão lucrar no empreendimento. A família Coutinho é sócia do Shopping.

6 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    é rapaz essas palavras de catulé me soam como um despeito quantas e quantas vezes vi esse homem elogiando a família coutinho agora como não mama mais na viúva caxiense fica ai querendo botar água no shopp do povo é catulé você está mesmo acabado cara sai da frente te espelha no paulo marinho viu que não dava mais para ele deixou o legado para seu filho, catulé júnior sim tem idéias promissoras e respeitosa para o povo sabe andar com suas próprias pernas caxias está precisando de gente nova mais sem essas raposas velhas por trás, Léo Coutinho, Paulo Marinho Júnior, Catulé Junior, Fernando Chaves e outros nomes que ai temos poderia dar uma nova sustentação para nosso município, mais as velhas raposas tem que se afastarem.

  1. Anônimo disse...:

    COMO É QUE UMA CRIATURA COMO VC, CAXIENSE PODE PENSAR QUE UM SHOPPING NÃO VAI TRAZER EMPREGO E RENDA ? TUA MÁGOA É DE QUÊ ? DE NÃO LEVAR NENHUM NUMERÁRIO DE QUEM VOCÊ TANTO FALA MAU?
    SE TEM EMPRESÁRIO FECHANDO LOJA É EXATAMENTE PORQUE TEM GENTE INDO PRA TEREZINA FAZER COMPRA.
    DE ONDE VOCÊS TIRAM ESSAS IDÉIAS FANTASIOSAS E MIRABOLANTES?
    É SIMPLES: INVESTIMENTO E OBRA É IGUAL A EMPREGO E RENDA QUE SÃO IGUAIS A MELHORIA DE VIDA. UMA MATEMÁTICA MUITO SIMPLES. SÓ NÃO É SIMPLES PRA QUEM QUER QUE O POVO CONTINUE NO ATRASO.

  1. Cláudio Sabá disse...:

    Cara criatura anônima, como é que uma pessoa como vc pode afirmar que o tal Shopping dos coutinhos não vai gerar emprego? Onde você leu isso na matéria, criatura?! A abordagem da matéria, caso você leia com atenção, é sobre a inviabilidade dos empresários locais conseguirem fazer parte de um negócio onde não serão os donos, mas sim uma espécie de funcionários do empreendimento que terão que pagar muito caro pra isso. Você, e outros, podem até achar que tenho mágoa de alguém, mas lhe garanto que meu coração é leve e bondoso e não tenho nenhuma intenção de receber "numerário" de quem eu falo "mal", pois se quisesse, já teria sucumbido as propostas que recebi. Faço abordagens e postagens de fatos e problemas sociais e políticos que acho relevante. Cabe a vc e aos demais leitores, debaterem as notícias que publico. Mas caso você e outros não concordem ou se incomodem comigo, é muito fácil: É só não acessar o blog.

  1. Anônimo disse...:

    e você quer que acreditemos que o carrão que você anda é com dinheiro do seu trabalho?

  1. Cláudio Sabá disse...:

    Olha a ´qualidade´ dos comentaristas que excluo todos os dias aqui no blog! E de onde poderia ser o dinheiro se não fosse do meu trabalho?!

  1. Anônimo disse...:

    geralmente,quem faz um comentário desse,á respeito do q vc possui,se baseia na forma como ela consegue ter as coisas dela:babando,"laranjando" e roubando bem público! se for trabalhar 8 horas por dia,morre de fome,não sabe!.

Postar um comentário