Era só o que faltava!!! Boato do fim da Guarda Municipal corre nos bastidores da política caxiense e categoria fica apreensiva com essa possibilidade

30.12.13
Prefeito Léo Coutinho não 
negociou com os GDMs
Em meio ao jogo duro e a insensibilidade do prefeito Léo Coutinho junto aos guardas municipais, que amargaram o pior Natal de suas vidas devido ao corte de até 24 dias de faltas em seus contra-cheques, o fim de ano veio com uma ameaça bem maior e muito mais grave que o absurdo desconto nos seus vencimentos. É que corre um boato, desde a semana passada, que o prefeito estaria procurando uma maneira de simplesmente extinguir a Guarda Municipal de Caxias.

Guarda Municipal: tristeza de fim 
de ano (Imagem ilustrativa)
Embora nenhuma fonte oficial fale abertamente sobre isso, nos bastidores o assunto é recorrente.

Contatei algumas fontes governistas sobre essa história. Não tive de nenhuma delas uma afirmação de sim ou de não sobre a veracidade da extinção. Embora não exista a confirmação, ouvi de um correligionário de LC que alguns secretários, considerados do núcleo duro do governo (lá não tem núcleo mole), chegaram a propor a extinção da GDM como forma de acabar, com o que algumas pessoas da base governista acham, um problema cada vez maior para os interesses políticos do grupo.

A extinção, caso venha a acontecer, é na verdade uma reviravolta no imbróglio entre governo e GDM, que até a semana passada ainda existia a possibilidade do prefeito devolver os recursos descontados nos salários da categoria, o que cada vez mais torna-se improvável.

Nas redes sociais os membros da corporação protestam diante da possibilidade da GDM ser extinta e a conseqüente perda dos seus empregos.

Ponho aqui minha análise sobre o assunto.

Com cerca de 130 membros, a Guarda Municipal de Caxias tem um Sindicato (Sigmac) que agrega quase a totalidade dos seus integrantes. Bem articulados, os guardas, embora não tenham conseguido êxito nas suas reivindicações, mostraram que a união entre eles é uma força real e que trouxe muito desgaste para um governo já bastante desgastado.

A união dos agentes de saúde, e do Sintrap, em torno da causa dos GDMs, foi outra prova que a farda tem um peso enorme na arregimentação dos descontentes com o governo Léo Coutinho.

E é justamente essa capacidade de aglutinar as forças contrárias no serviço público que fez acender a luz vermelha no Palácio da Cidade.

Mas muitos podem ponderar: “o prefeito não teria coragem pra fazer isso (extinguir a Guarda) e tudo não passa de boato”.

Pode ser. Mas coragem para tomar medidas impopulares o prefeito Léo Coutinho tem de sobra.

1 comentários:

  1. Unknown disse...:

    enquanto alguns municípios querem constitui uma GUARDA, o de caxias quer destruir essa gestão é uma vergonha mesmo.

Postar um comentário