Absurdo!!! Sem salários, Guardas Municipais de Caxias dependem de ajuda para sobreviver

21.12.13
Saulo Coelho - Presidente do SIGMAC
Os próximos 30 dias para os Guardas Municipais de Caxias foram transformados pelo município, numa verdadeira via crucis‎. Diante do desconto na folha de pagamento referente ao mês de dezembro, por conta da greve da categoria, O Prefeito Leonardo Coutinho autorizou o desconto de 24 dias não trabalhados e alguns integrantes da corporação dependem agora da ajuda de colegas e da própria comunidade para garantir comida na mesa neste período.

Esta manhã, a categoria esteve reunida para repudiar o posicionamento do Executivo que mandou descontar em media R$ 900 do contra-cheque de cada guarda. O setor jurídico do SIGMAC - Sindicato dos Guardas Municipais garante que vai cobrar na Justiça reparação das perdas e outra coisas pendentes.

O presidente do SIGMAC, Saulo Coelho, garante que a greve, apesar de ter sido considerada ilegal, foi legitimada dentro do artigo 7 da Lei de Greve - Lei n. 7783/89. Ele salienta que 30% da corporação esteve na ativa durante o movimento paredista.
Guardas Municipais reunidos esta manhã em uma escolinha de reforço,
na Avenida da Coheb, cedida para a categoria debater sobre o movimento

O setor jurídico vai mais além, e ratifica que nos 27 de paralisação, o Comando da Guarda nunca divulgou a escala de trabalho, portanto não poderia imputar faltas para o profissionais.

A decisão de descontar nos proventos deste mês, passa por cima de etapas judiciais, uma vez que a greve foi considerada ilegal, mas, o processo segue em trâmite e as punições, como falta e desconto em folha, por exemplo, só poderiam ocorrer com o processo concluído, o que não é caso

Para piorar, além de descontar nos salários dos guardas, a prefeitura fez o estorno de valores referentes ao pagamento da segunda parcela do décimo terceiro salário, que compreendeu o período da greve, ou seja, os guardas tiveram que devolver em media, de forma arbitraria, cerca de R$ 120 cada um para os cofres do município, de um dinheiro que já havia sido pago e que é direito de qualquer trabalhador.

Triste e ao mesmo tempo emocionado o guarda municipal Alexandre desabafa "Prefeito, eu tenho família, meus filhos precisam comer. Acabou o presentes das crianças e nós não teremos ceia de Natal. Isso e uma humilhação".

Saulo Coelho disse que já registro Boletim de Ocorrência no Plantão Central de Policia Civil, um pedindo Preservação de Direito e outro por prevaricação cometida pela prefeitura.

"Tentamos todos os diálogos possíveis e não houve se quer a possibilidade de reunião com o prefeito. Mas, nós estamos no nosso direito e vamos ingressar judicialmente contra esses absurdos", frisou.

Entenda o caso
A categoria reivindica reposição de perdas salariais, aprovação do PCCS - Plano de Cargos Carreira e Salários e melhoria nas condições de trabalho, direito à armamento e fornecimento regular de uniformes.

Durante 27 dias de greve, os Guardas Municipais tentaram chamar a atenção da sociedade para o descaso com a categoria. Passeatas foram realizadas, reuniões com parlamentares que tentaram intermediar o assunto, no entanto a prefeitura fugiu do diálogo e não houve acordo.

Durante o movimento, o município conseguiu a reintegração de posse do prédio da Guarda Municipal, onde os oficiais estavam aquartelados e no dia 4 de dezembro, conseguiu dispersar o movimento com uma liminar judicial que decidiu pela ilegalidade da greve.

Entre varias reclamações feitas pela categoria, estão o direito de porte de arma de fogo, novos fardamentos, uma vez que muitos guardas estão tirando do próprio bolso para comprar o uniforme e novas viaturas. As atuais, já tem mais de 5 anos de uso e dificilmente passam por revisão.

A classe ainda reclama o tratamento diferenciado para os que fazem a aguarda pessoal do prefeito, que segundo a denuncia, recebem proventos maiores do que os colegas. A categoria quer ainda a saída capitão Silvino, que acumula os cargos de Comandante da Guarda e Secretario Municipal de Segurança. (Fonte: Mano Santos/Portal Noca)

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Pior que isso, guarda que estava de greve até o ultimo dia, apenas pq no final recebeu o Comandante de braços abertos, recebeu seu salário praticamente integral. Veja bem, ele esteve até o ultimo dia de greve, isso é a moral desse Comando que beneficia puxa saco e bajuladores. Tenho pena desse povo que se acha incapaz de fazer algo em prol do coletivo, ai vai se aliar a Judas para conspirar contra seus companheiros, principalmente esses Inspetores botatos, que não foram capazes de entra por competência.

Postar um comentário