Crime monstruoso em Caxias! Ao prestar depoimento na Delegacia da Mulher, psicopata mata escrivã a facadas e fere gravemente investigadora que tentou detê-lo

15.5.14
Francisco Costa: acusado de abusar sexualmente das 
filhas, matou escrivã de polícia no momento 
do depoimento
Caxias inteira está estarrecida com o bárbaro crime ocorrido ao meio-dia desta quinta-feira, 15, dentro da Delegacia da Mulher, no centro da cidade.

Francisco Alves Costa, 42 anos, matou a facadas a escrivã de polícia Loane Maranhão Silva, 28 anos e feriu gravemente a investigadora Marilene Santos Almeida.

Francisco Costa trabalha como gari da Prefeitura de Caxias e contra ele pesa a acusação de abuso sexual das suas filhas, todas menores de idade, que desde ontem (14), após denunciarem os abusos do pai, estão na Casa de Passagem do município.

Profissional exemplar: Morte de Loane Maranhão 
deixou colegas bastante emocionados
Quando prestava depoimento para a escrivã, inesperadamente Francisco Costa atacou Loane Maranhão com uma faca. Ouvindo os gritos da colega, a investigadora teria ido ao seu socorro e também foi atingida pela fúria do homem. Loane faleceu pouco tempo depois. Já a investigadora, foi levada para o Hospital Geral do Município e, apesar dos ferimentos graves, não corre maiores riscos e seu quadro é estável.

Tudo foi muito rápido e o gari saiu em disparada do local logo após o bárbaro crime. Acionada, viaturas da PM saíram na procura do assassino, que foi capturado próximo a sua casa, na Rua Rio Branco, bairro Volta Redonda.

Visivelmente transtornado, o assassino falava palavras desconexas no momento da prisão.

Marcas do crime: sangue das vítimas
no interior da Delegacia da Mulher
Falei com algumas pessoas que conheciam Francisco Costa no trabalho do Samal e todos foram unânimes em afirmar que o mesmo sofre de transtornos mentais.

Colegas chocados

O clima na Delegacia de Polícia é de abalo total. Investigadores, policiais, delegados e demais servidores estão visivelmente emocionados com o triste episódio.

A escrivã assassinada era uma profissional exemplar. Educada e atenciosa, ela tinha a amizade de todos os colegas de trabalho.


Curiosos lotaram a Porta da Delegacia para saber sobre o caso

16 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Em poucas palavras:

    - Ele deveria ser solto .....


    ....Solto na Praça do Phanteon no meio do povo !

    Deixa a população resolver....

    Desgraçado do inferno !

    Marcelo Kuerten II

  1. Unknown disse...:

    Onde vamos para meu Deus com tanta violência.

  1. Anônimo disse...:

    Onde se lê "A escrivã assassina era uma profissional exemplar". leia-se "A escrivã assassinada era uma profissional exemplar". Pequeno equívoco do Grande Jornalista Cláudio Sabá.

  1. Cláudio Sabá disse...:

    Grande Ricardo Barros, equívoco resolvido.

  1. Anônimo disse...:

    Se fosse colega dessa mulher, tinha metido logo bala nele no ato da prisão e tinha reportado que ele tentou atacar os PM's... tinha matado logo esse filho da puta.

  1. Unknown disse...:

    Acho mesmo que foi omissão do Estado-segurança. Por que não revistaram esse cara antes de ele prestar o depoimento? Por que não haviam mais policiais no local? As duas estavam a sós com esse marmanjo? Suponho que haja possibilidade jurídica de ingresso com ação de indenização contra o Estado do Maranhão.

  1. Unknown disse...:

    Se dentro da delegacia acontece isso, imagine ! Vamos nos trancar dentro de casa e não sair mais... se é que vamos estar seguros !

  1. Richard Cabrera disse...:

    O papel de um bom comunicador é, além de repassar uma boa informação, é saber usar a língua portuguesa corretamente. Mas creio que um pequeno erro não seja motivo e alvo de críticas, até mesmo que, sabemos que essas informações que coletamos de ultima hora nos deixa ansiosos, e faz com que esses erros que até os maiores e melhores redatores cometem.
    Parabéns pelo trabalho Sabá.

  1. Anônimo disse...:

    Cadê os direitos humanos agora.

  1. #PedroPetrus disse...:

    PORRA DENTRO DE UMA DELEGACIA NÃO HÁ ARMAS? CADÊ AS PORRAS DOAS AGENTES QUE NÃO ATIRARAM NA CARA DESSE FILHO DA PUTA? MATA ESSA DESGRAÇA PELO AMOR DE DEUS, FILHO DA PUTA DESSE TEM QUE MORRER CARALHO NÃO SER PRESO PRA ESSA JUSTIÇA INFELIZ SOLTAR DE NOVO, JÁ CHEGA BRASIL DE PERDOAR BANDIDOS E PERDER PESSOAS TRABALHADORAS... CADÊ OS DIREITOS HUMANOS AGORA PORRA? CADÊ..

  1. Unknown disse...:

    Cadeira elétrica é o melhor remédio pra ele .Só pra ele sabe o sofrimento da família que esta sentindo e de seus amigos de trabalho ...Isso não é uma solução... mais fica aberto a critério de todos, jugarem os crimes cometidos em tira uma vida de pessoas honestas, sem Deus permite e só ele sabe o hora de partir pro mundo melhor que este. Dava pra fazer com ele uns quilo de carne moída ou o mesmo que fizeram com a Eliza Samulte. Jogava ele vivo numa cela com dez... cachorros da raça pitbull.

  1. Anônimo disse...:

    Estou revoltada com esse crime..Esse maldito tem que morrer.Soltem ele dentro de um buraco cheio de cobras venenosas para morrer aos poucos ou coloquem ele dentro de 5 pneus e toquem fogo nesse satanás,justiça seja feita porque até deus já virou as costas para esse amaldiçoado!!!filho do maligno que seja feita justiça contra essa macabro...revoltada aqui com tanta violência nessa droga de cidade...

  1. Unknown disse...:

    Lamentável, mas na minha humilde opinião, isso deveria ter sido evitado, se a policia fizesse uma revista antes do mesmo adentrar na delegacia de policia, isso serve de alerta, porque em audiências em delegacias, forum e demais, você pode entrar armado que ninguém faz nada!!!! Fato...resumindo!! Despreparo da policia que causou esse fato lamentável....

  1. Anônimo disse...:

    O cara deveria está sendo ouvido pela a autoridade policial(|Delegado) a escrivã deveria está apenas digitando, assim seria diferente, ele teria levado bala e talvez a moça não tinha ido ao óbito. Delegado é competente para chamar e ouvir os meliantes, escrivão é para acompanhar o caso.

  1. Anônimo disse...:

    Fico me perguntando...Desde quando uma pessoa com transtornos mentais trabalha? É um servidor do município e loco? Difícil de acreditar.Lamentável mesmo,é saber que esta moça morreu de graça.Uma delegacia que não tem um homem para dar apoio as agentes,onde os mesmos não trabalham armados,onde um monstro desses que estava sendo acusado de estupro,não estava algemado,e portava uma arma branca por falta de revista policial.Isso só mostra o total despreparo da Polícia Civil em Caxias.Foi preciso uma funcionária morrer para a partir daí serem tomadas as providências no que diz respeito a falta de segurança dentro de uma delegacia? venhamos e convenhamos que esse ocorrido foi uma sucessão de falhas.Que os orgãos responsáveis pela polícia civil,apurem os fatos,pq alegar que a polícia está treinada para determinados tipos de procedimentos em uma delegacia não cola.O Delegado ainda diz em uma TV local que não foi feito uma revista pq este monstro não ofereci risco por não ter histórico de agressividade...Estuprar duas filhas adolescentes é o que então? Quem já foi ao 1º DP de Caxias sabe como as coisas funcionam.Muita coisa tem que mudar ali.Acho que não vai ser preciso morrer outro servidor para começarem a rever o andamento desse distrito e outros aqui na cidade.Meus sentimentos família dessa moça que teve seus sonhos anulados tão precocemente.

  1. Anônimo disse...:

    esse cara deveria tá morto na mesma hora que cometeu o crime. a revista seria primordial nessa situação, transtorno, transtorno... é fácil afirmar será se ele conhece dinheiro? vá pro inferno cara.

Postar um comentário