Proprietários de dragas em Caxias em apuros! Brincadeira de extração irregular de areia no rio Itapecuru vai custar muita dor de cabeça e alguns milhões de reais

6.12.13
Nos últimos dias os proprietários de dragas que exploram areia no rio Itapecuru começaram a ser notificados das multas que terão que pagar pela exploração ilegal do produto.

Com valores que começam em pouco mais de R$ 20 mil reais e que chegam a passar de R$ 2 milhões, os infratores estão literalmente, numa sinuca de bico.

Após reiteradas autuações dos fiscais do Departamento Nacional de Produção Mineral - DNPM, esses dragueiros de Caxias continuaram sistematicamente explorando o serviço sem as devidas autorizações.

O valor estipulado dessas multas foi baseado quando do primeiro auto de infração dos fiscais do DNPM. Na oportunidade, esses fiscais fizeram relatório de acordo com o depoimento dos respectivos proprietários das dragas onde os mesmos fizeram uma estimativa de quanto tempo exploravam o serviço, quanto de areia retiravam diariamente do rio e quanto cobravam pelo metro cúbico da areia retirada.

Com base nesses dados fornecidos pelos próprios proprietários foi que o DNPM estipulou as multas.

Com valores que começam com R$ 24 mil, R$ 430 mil, R$ 580 mil reais e uma que passa da casa dos milhões, esses empresários que desrespeitaram as regras e normas da exploração regular do velho Itapecuru ganharam uma baita dor de cabeça.

Um dos autuados com a multa milionária pode ainda ser penalizado por crime ambiental, haja vista que foi autuado em flagrante e é reincidente na prática delituosa.

A AGU – Advocacia Geral da União, é o órgão responsável por defender o governo federal contra os crimes ambientais e exploração irregular dos minérios em solo brasileiro.

0 comentários:

Postar um comentário