Prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves, beija juíza a força e caso vai parar na polícia

20.12.13
Ribamar Alves, sempre
aprontando das suas

O prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves, não cansa de “aprontar” das suas.

 

Acostumado a protagonizar cenas impróprias, principalmente quando está alcoolizado, desta vez o chefe do executivo de Santa Inês passou de todos os limites.

 

A sua mais nova vítima é nada mais nada menos que a juíza Larissa Tupinambá, da comarca daquele município.

 

É que na manhã desta quinta-feira, 19, a pretexto de tratar de assuntos relacionados a sua quitação eleitoral, esteve no gabinete da juíza e aproveitou para assediá-la e depois forçar um beijo.

 

A juíza gritou por socorro e foi salva graças a intervenção de funcionários.

 

Ainda transtornada com o episódio, a magistrada dirigiu-se à Delegacia de Polícia para comunicar o fato à autoridade policial.

 

Juíza Larissa Tupinambá

Casada com o secretário de Educação de São Luís, Geraldo Castro, o incidente abre também uma crise política, haja vista que o “prefeito Taradão” é um dos maiores apoiadores da candidatura de Flávio Dino ao governo do Estado. Geraldo Castro é do mesmo partido de Dino (PC do B) e sua indicação para o cargo de secretário municipal da capital foi uma indicação do candidato comunista.

 

Ainda na noite de ontem (19) surgiu o boato de que o prefeito Ribamar Alves teria tido sua prisão decretada, o que não aconteceu, haja vista que, por ter mandato, tem foro privilegiado e sua prisão só poderia acontecer com decisão do Tribunal de Justiça.

 

A Associação de Magistrados do Maranhão – AMMA, divulgou uma nota, ainda na quinta-feira, 19, onde classificou o episódio como “atitude reprovável, sob todos os aspectos”.

 

Veja abaixo a íntegra da nota:
NOTA PÚBLICA

A ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO MARANHÃO – AMMA vem a público repudiar a atitude reprovável, sob todos os aspectos, do Prefeito Municipal de Santa Inês, José Ribamar Alves, que, nesta quinta-feira (19), a pretexto de tratar de assuntos relacionados à municipalidade, procurou a Juíza da 2ª Vara daquela Comarca, Larissa Tupinambá Castro, sendo por ela recebido no seu gabinete, oportunidade em que, ultrapassando todos os limites da ética e da moralidade, assediou a magistrada e, em seguida, segurando-a, à força, desferiu-lhe um beijo, tendo sido imediatamente repelido.
Após a intervenção dos funcionários, alertados pelo pedido de socorro da magistrada, o fato foi levado imediatamente ao conhecimento da autoridade policial, que já instaurou o procedimento para apuração da conduta delituosa, com a consequente adoção das demais medidas legais.
Trata-se de questão de gênero, onde a  magistrada foi atingida em sua dignidade, merecendo, a exemplo de situações assemelhadas de que são vítimas inúmeras mulheres, rigorosa punição .
A AMMA se solidariaza com a sua associada Larissa Tupinambá Castro, a quem prestará a assistência jurídica necessária e acompanhará o caso no âmbito da esfera competente.

São Luís, 19 de dezembro de 2013
GERVÁSIO PROTÁSIO DOS SANTOS JÚNIOR
PRESIDENTE DA AMMA

0 comentários:

Postar um comentário