As péssimas surpresas que 2013 trouxe para Caxias

31.12.13
A imagem do ano de 2013 em Caxias
Tinha tudo para ser um ano bom. Tinha tudo para ser um ano excelente. Tinha tudo para dar certo.

Embora a contragosto, mas com a sinceridade que sempre trago a meus poucos leitores, há de se reconhecer muitos avanços que o ex-prefeito Humberto Coutinho proporcionou nos seus 8 anos de governo.
Professores ficaram decepcionados com o
concurso feito pelo prefeito Léo Coutinho

Esses avanços reconhecidos até por mim, um opositor declarado a esse grupo, tinha tudo para ser mantido e até mesmo ampliado pelo sucessor de HC.

Herdeiro político do tio, Léo Coutinho não tinha um único motivo para reclamar da administração passada ou para o já tão batido discurso de “herança maldita” recebida do antecessor quando se assume um governo logo após o comando de um adversário.

Prefeito não conseguiu pagar um salário similar
aos demais servidores das cidades vizinhas
Embora as chaves da Prefeitura tendo sido entregues para um jovem que foi vendido na campanha eleitoral como preparado, capaz, inteligente, moderno, inovador, o que se viu ao longo desses 12 meses foi o retrato da incompetência e da decepção administrativa.

Léo Coutinho errou e errou feio em todos os momentos cruciais de seu governo.

Errou quando demitiu centenas ou talvez milhares de servidores a título de enxugar a máquina herdada do tio.

Por que fez isso? Os demitidos não trabalhavam? A folha estava inchada? Então o tio foi irresponsável ou se tratou de incompetência do atual prefeito?

No carnaval de 2013, a primeira decepção: uma festa triste e que não conseguiu segurar o folião caxiense na sua cidade. Caxias perdeu público para cidades vizinhas menores e sem a mesma estrutura da princesa do sertão. As bandas então, nem se fala da baixa qualidade das mesmas.

MP em Caxias continuou 
atuante em 2013
Quando quis acertar, o prefeito errou. A realização de concurso público para preenchimentos de cargos na educação foi um fracasso fenomenal. Com mais de 10 mil inscritos, o número de aprovados não chegou a 100, ou seja, menos de 1%. Um fato inédito na história dos concursos públicos no Maranhão.

No quesito de política salarial dos funcionários da Prefeitura, Léo Coutinho seguiu a risca a cartilha do tio e é primeiro lugar disparado entre os prefeitos que pagam os piores salários na região leste.

Perdemos para todas as cidades vizinhas no valor pago aos servidores em todos os níveis da administração.

Guardas municipais tomaram as
ruas em busca de seus direitos
A desculpa, hoje ultrapassada e sem apelo lógico nenhum, de que aqui se paga em dia e com 10 dias antecipado, não encontra mais argumentos, pois em todas as cidades vizinhas os prefeitos também pagam em dia, mas com a vantagem de bons salários aos seus colaboradores.

Os agentes de saúde, cujos vencimentos enviados pelo governo federal são de R$ 950,00 (novecentos e cinqüenta reais) encontram em Caxias uma estranha matemática: a Prefeitura só deposita R$ 820,00 (oitocentos e vinte reais) nas suas respectivas contas.

Os professores, que ano após ano lutam pelas mesmas coisas, encontraram no prefeito Léo Coutinho um osso duro de roer. Não conseguiram nada de aumento salarial e a esperança de conseguirem algo nos próximos anos é praticamente nula.

Os Guardas Municipais de Caxias, jovens que lutam há anos pelo reconhecimento dos seus direitos, chegaram a receber do prefeito de Caxias uma sinalização de que teriam seus direitos reconhecidos e finalmente conseguiriam ter seu Plano de Cargos, Carreiras e Salários aplicados neste ano. Ledo engano!

Depois da ilusão das palavras do prefeito, os Guardas Municipais finalmente entraram em greve e conseguiram o apoio da população.

Que coisa feia! ‘Melaram’ os monitores
da Central de Vídeo monitoramento.
Quem foi???
Sem êxito no poder judiciário e sem a sensibilidade do chefe do Executivo caxiense, os guardas voltaram ao trabalho e tiveram que amargar o pior Natal de suas vidas: a Prefeitura descontou os dias de greve nos seus contra-cheques e quase 100 pais e mães de família passaram a comemoração do nascimento de Cristo como nunca imaginaram passar.

Mas eis que surge um “ataque” a Central de Vídeo Monitoramento da Guarda Municipal e muitas dúvidas surgem em torno do assunto e dos supostos ‘autores’ da palhaçada.

A reposição das faltas nos contra-cheques dos guardas chegou a ser cogitada, assim como o pagamento de um 14° salário aos professores ou ainda um abono. Mas nada disso aconteceu.

Uma festa da virada, onde muitos esperavam um show com um artista de renome nacional, será protagonizada por uma apagada e decadente “Caviar com Rapadura”, uma banda de forró que não tem nenhum hit de sucesso emplacado desde quando começou sua trajetória no início da década de 1990.

Como não poderia deixar de ser, o encerramento do ano com
um Reveillon feito por uma banda de quinta categoria
A não apresentação de pesquisas de opinião aos caxienses, uma prática tão comum no período que HC esteve no poder, demonstram como deve andar os índices de popularidade desse governo.

Existe tempo para o prefeito refazer seu mandato e ser um dos maiores prefeitos de Caxias? Claro que sim.

Léo Coutinho é jovem, tem uma maioria esmagadora no parlamento e sabe como fazer uma grande administração.

Mas existe um pequeno problema: LC parece que não tem sensibilidade política e social para se tornar um grande líder. Não é simpático e se acha bastante inteligente para tomar as decisões políticas para fazer um grande governo.

Será que isso vai dar certo até a sua reeleição?

0 comentários:

Postar um comentário