Vereador Neto do Sindicato rebate acusação publicada em redes sociais

7.5.19

Mesmo ainda se recuperando de uma cirurgia dentária, o vereador Neto do Sindicato (PC do B) fez questão de ir à sessão de segunda-feira (6) para rebater uma acusação espalhada nas redes sociais.

“Quantas vezes eu não fiz requerimentos reivindicando melhorias para estradas vicinais. Mas nessa semana fui injustamente acusado nas redes sociais de não lutar pela estrada do povoado Marruá. Um vídeo atribui a mim a culpa da estrada está daquele jeito. E o pior, é que a pessoa que acusa é funcionário público e ainda leva um agente do governo, enquanto que os vereadores que fazem o pedido aqui ficam a deriva”, desabafou.

Segundo Neto do Sindicato, “um cidadão conhecido como Torneirinho, que não é secretário de obras, fez uma reunião no Marruá dizendo que vai fazer a estrada”. Ele finalizou o seu pronunciamento com um requerimento verbal solicitando do Poder Executivo que resolva o problema da estrada vicinal.

Repórter Puliça (PRB) se solidarizou com o colega de parlamento. O vereador deu como exemplo a recente entrega de uma praça no bairro Cangalheiro, reivindicada por ele em reportagens. “Na inauguração, o mesmo ‘senhor’ discursou e nem o meu nome falaram. Há pessoas que ficam fazendo papel de secretário, de vereador. Não sei o que está acontecendo nesse governo que os de dentro estão ficando fora e os de fora estão dentro”, declarou.

O presidente da Câmara Municipal, Catulé (PRB), disse que os vereadores podem contar com apoio da Presidência da Casa. “Ouço de muitos que ficam roendo só por dentro e não entendem que o lugar é esse para se falar. Pela minha experiência, essa marcha pode virar um mar de fogo, por causa dos que estão aqui dentro que se preparando para voltar e dos que estão lá fora se preparando para chegar, alguns com decência e outros sem. Temos que fazer com que os setores da prefeitura saibam respeitar essa Casa, porque todos os secretários sabem quantos vereadores tem aqui”, afirmou.

Magno Magalhães (PSD) lembrou que foi um dos primeiros vereadores na nova legislatura a denunciar que havia secretários que precisavam fazer curso de boas maneiras. “Parece que enquanto o legislativo quer levar o município para frente existem segmentos dentro do governo fazendo com que o governo seja difamado pelo próprio governo. Nenhum vereador faz obras, ele legisla e fiscaliza o executivo”, destacou.

O vereador Durval Júnior (PSB) pediu apuração do fato. Segundo ele, desvio de finalidade em órgão público é crime. “Esse discurso não é para atacar o prefeito, mas para que ele cuide da base que o apoia”, ressaltou.

A vereadora Thaís Coutinho (PSB) parabenizou a discussão, também cobrando respeito à Câmara, e disse que, apesar de ser oposição ao prefeito, está junto com os colegas de parlamento.

Para Edilson Martins (PSDB), “a situação no caso que o Neto do Sindicato falou é toda de concordância do prefeito, que não respeita nem os vereadores da base”. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário