Casos de violência envolvendo moradores de rua em Caxias preocupam vereador Darlan

7.5.19

Nos últimos seis meses, já são oito homicídios envolvendo moradores de rua no município de Caxias, segundo dados apresentados pelo vereador Darlan (PHS) na sessão dessa segunda-feira (6).

O caso mais recente ocorreu no último sábado (4), quando o morador de rua Antônio Gomes da Silva, de 24 anos, foi preso após ter assassinado a golpes de faca Elson dos Santos Silva, de 36 anos, que também é morador de rua. De acordo com a polícia, o crime foi motivado por vingança. Na noite de 25 de abril, os dois se envolveram em uma discussão dentro de uma agência bancária, onde costumavam dormir. Durante a briga, Antônio Gomes foi atingido a golpes de faca que foram desferidos por Elson dos Santos.

“Trago um reclame de empresários e da sociedade em geral. A partir das 19h, as pessoas não conseguem entrar nos bancos, pois são amedrontadas com a presença de mendigos; alguns chegam até a extorquir os clientes. Muitos desses moradores de rua são usuários de drogas, andam armados e a maioria é oriunda do interior do estado do Piauí. Fazemos um clamor para que isso seja mudado”, frisou o vereador.

O parlamentar relatou que levou a problemática para o setor de Direitos Humanos e a Secretaria de Assistência Social. “O secretário de Assistência Social disse que está vendo isso com carinho. Hoje mesmo foram em busca de levar alguns moradores de ruas para a Casa de Acolhimento, mas eles se recusam a ir; de 20 camas que o abrigo dispõe apenas cinco são ocupadas”, informou Darlan.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Catulé (PRB), parabenizou o colega de parlamento pelo tema levantado. “Sabemos que é um problema mais forte de segurança; a polícia tem que está buscando sempre esse povo. A sua preocupação chega a esta Casa do Povo e seria de bom agrado nos reunir com a Comissão de Ação Social para debruçarmos sobre isso, para pedir socorro, gritarmos mais forte para que possamos pelo menos tentar equacionar esse problema”, ressaltou o parlamentar. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário