Jonas Filho: o mais polivalente comunicador da região dos cocais

14.5.14
“Quem teme perder já está vencido”

“Diga-me lá, conte-me tudo
e não me esconda nada...”
Ele começou no rádio na década de 80, mas se descobriu mesmo na comunicação foi na telinha. O carioca Jonas Filho, radicado desde 2006 no Maranhão, está há 4 anos morando em Codó, onde desenvolve um trabalho na TV (Cidade da Gente, “a notícia por inteiro na metade do dia”) que muitos consideram como de grande importância para a reeleição do prefeito Zito Rolim em 2012.

Jonas Filho: competência na
comunicação garante
sucesso no rádio... 
Nascido profissionalmente no rádio e migrando em seguida para a televisão, o carioca que já adotou o Maranhão como sua terra de coração, acompanha a modernidade e já possui um blog na internet onde só publica reportagens interessantes e que garantem audiência para o seu endereço eletrônico. Mas é na TV que Jonas Filho mantém as maiores audiências nos horários dos seus programas em Caxias e em Codó, as duas maiores cidades da região dos cocais.

Polêmico por mostrar e falar o que os poderosos preferem esconder debaixo do tapete, Jonas pode, em instantes, ser irreverente e arrancar risos dos telespectadores.
Na TV...

E foi num clima de descontração que o blog do Sabá entrevistou o apresentador na noite desta terça-feira, 13.

Confira os principais trechos da entrevista concedida via bate-papo na internet:

Blog do Sabá: Como e quando começou seu trabalho na comunicação?
Jonas Filho: Comecei em 1985, na Globo FM, levado pelo ícone do rádio José Augusto Porto.

BS: Fazia que tipo de programa na Globo FM?
JF: Programa romântico de flash back.
E até mesmo na internet

BS: Atua há quanto tempo na comunicação televisiva?
JF: Desde 2006. Entrei pra TV quando vim morar no Maranhão. Aliás, passei por quase todas as rádios de São Luis e depois fui pra TV.

BS: Começou onde na TV?
JF: Comecei na Cidade São Luis, primeiros passos com o Rochinha, que hoje é prefeito de Balsas. Mas entrei mesmo no pesado foi na FC TV, do empresário Francisco Carlos, o famoso FC Oliveira de Codó. Aí o Prefeito Zito Rolim montou a TV do município. O Diretor da TV da Prefeitura de Codó, Michel Marques me convidou pra substituir na época o melhor apresentador de TV de Codó, Alberto Barros.

BS: Tantos anos depois do início da sua jornada, acha que escolheu a profissão certa?
JF: Na realidade, eu não escolhi essa profissão, foi essa profissão que me escolheu.

BS: A profissão lhe escolheu?! Como assim?
JF: A História é super interessante... Eu estava desempregado no Rio de Janeiro e procurei um emprego em uma ótica renomada na época. Estava esperando ser atendido pelo dono da ótica, me deu fome e desci pra lanchar. Ao pedir o lanche, uma fatia de pizza portuguesa e uma Coca Cola, o José Augusto ouviu minha voz, achou que eu tivesse voz pra FM e assim me convidou pra fazer um teste.

BS: Tem algum projeto televisivo que ainda não realizou?
JF: Não, não. Não tem mais nada a realizar. Me sinto realizado, principalmente quando passo pelas ruas e ouço o povo gritar meus Bordões “Alô, Poeta”, “Sai dessa lama jacaréee”. A ideia do poeta acertei na mosca.

BS: Essa correria entre Caxias e Codó não é muito cansativa?
JF: Sim, muito cansativa, mas a cidade de Caxias me fascina e é exatamente por isso que me desdobro tanto. Acho que sou o único a fazer isso no Estado, sei lá.

BS: Agora vou te colocar numa sinuca de bico: gosta mais de Caxias ou de Codó?
JF: (Risos...). Sou Formado em Letras e Literatura Brasileira. Caxias é uma cidade universitária, e isso faz eu me identificar muito com meu público telespectador. Mas Codó é a cidade que me deu tudo que tenho. Realmente devo muito a Codó.

BS: Fazendo programas de cunho social, onde defende os interesses do povo e recebe o reconhecimento dos telespectadores, é sempre natural que seu nome seja cogitado como provável candidato a algum cargo eletivo. Já pensou em abraçar a carreira política?
JF: Você sabe que uma vez estava sentado na galeria da Câmara de Caxias, e o vereador Catulé, ao final de sua fala disse: “como diz aquele apresentador, saí dessa lama, jacaré”. Depois o vereador Mário Assunção, ao final de sua fala, também disse: “como diz o apresentador da Band “diga-me lá, conte-me tudo e não me esconda nada...” Sentado atrás de mim estava o Jornalista Evilásio e ele falou “rapá, se o Jonas quiser, vira vereador em Caxias.” Kkk... Mas não é essa a minha pretensão. Prefiro ajudar de alguma forma com a minha comunicação àqueles que vivem a margem dos olhos dos políticos.

BS: Nós, comunicadores que fazemos jornalismo investigativo e de denúncias contra os poderosos, sempre somos alvos de represálias e de ameaças, você não teme pela sua vida?
JF: Sim, claro. No São João de 2012 sofri um atentado. Ameaças são constantes em minha vida. Aí mesmo em Caxias eu já fui ameaçado no ar por uma pessoa que se diz representante do ex-prefeito Humberto Coutinho.  Respondo a muitos processos eleitorais e danos morais e o diabo. Mas sou Jiujiteiro, meu esporte. Me criei na cidade de Manaus, capital do Amazonas, a terra do Jiu-jitsu. Sei me defender e uso o lema do mestre Jigorô kano - Quem teme perder já está vencido.

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Trajetória admirável. Parabéns, Jonas Filho, tu és muito bom profissional.

Postar um comentário