Prestígio ínfimo! Parcerias por Caxias nos governos Jackson/Zé Reinaldo, comparadas com atenção dispensada por Flávio Dino, deixam Humberto Coutinho com a cara no chão

4.9.17
Enquanto Jackson Lago e Zé Reinaldo destinaram dezenas de milhões em recursos para Caxias quando governaram o MA, Flávio Dino vem ajudar Humberto Coutinho entregando camisetas para estudantes; 2 kits de irrigação e anunciando empiçarramento de estradas vicinais

Humberto Coutinho deve ter pesadelos quando faz a comparação do tratamento 
dispensado por Flávio Dino para Caxias e lembra dos tempos áureos 
de Jackson e Zé Reinaldo

Desde quando Humberto Coutinho assumiu a Prefeitura de Caxias, em janeiro de 2005, os caxienses familiarizaram-se com as constantes visitas dos governadores José Reinaldo Tavares e Jackson Lago.

Sempre anunciando investimentos ou participando de inaugurações de obras feitas em convênio com o governo do Estado, o governador Zé Reinaldo era tratado por Humberto Coutinho como o grande líder que ele realmente era (e que ainda é).

Entre as várias parcerias feitas por Zé Reinaldo com o município de Caxias encontramos uma que ficou marcada na lembrança de Humberto Coutinho e que seus advogados não o deixam esquecer: a existência de um convênio no valor de mais de R$ 500 mil reais para a aquisição e instalação de uma UTI Infantil no município. O referido equipamento, segundo farta documentação fornecidas pelas secretarias de Saúde de Caxias e do Governo do Maranhão, foi comprado de uma empresa do Piauí (mediante licitação), onde a empresa emitiu nota fiscal da venda, a Prefeitura pagou pelo material, mas que ninguém nunca viu a tal UTI Infantil no município. Nem funcionando e muito menos guardada em algum depósito, o que ainda hoje dá dor de cabeça jurídica aos envolvidos na tramoia.

Sucedendo Zé Reinaldo Tavares no Palácio dos Leões, Jackson Lago não só manteve o ritmo de parcerias como as ampliou.

Foram várias escolas municipais construídas ou reformadas devido a convênios celebrados com o governo do MA. Entre as parcerias feitas na gestão de Lago, destaque-se a Maternidade Carmosina Coutinho e as reformas do Hospital Geral do Município e do Mercado Central, obra esta que Jackson Lago, já fora do governo devido a decisão judicial, sequer foi convidado para a sua inauguração.

Antes de sair do governo, e após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral que lhe tirou o mandato, Jackson Lago celebrou um convênio de mais de R$ 10 milhões de reais para a construção de milhares de kits sanitários em Caxias, fato que levou o titular do Blog, na época editor do extinto Jornal dos Cocais, a denunciar o caso junto ao Ministério Público, devido a graves irregularidades na licitação da obra, e ainda hoje os envolvidos respondem o caso na justiça.

Apesar dos dissabores jurídicos enfrentados devido aos milhões conveniados entre as duas gestões de Humberto Coutinho e as gestões de Jackson Lago e Zé Reinaldo, quando veio a eleição de Flávio Dino ao governo do MA em 2014, esperava-se o “céu na terra” a partir de então. Ledo engano! Os recursos enviados por Flávio Dino caíram a conta-gotas e foram insuficientes para reverter ou mesmo ajudar o sobrinho do presidente da Assembleia a escapar da derrota que se desenhava claramente desde os primeiros dias da sua desastrosa administração.

Quanto aos recursos a conta-gotas que falo, e antes que algum fantasma da Assembleia ou ex-mensalinho da Prefeitura venha serelepe a citar os convênios entre a Maternidade Carmosina Coutinho e a UPA na gestão Léo Coutinho, que ultrapassavam R$ 2 milhões de reais mensais, estes só aconteceram depois que o escândalo da “Maternidade da morte” ganhou as manchetes nacionais e a gestão Flávio Dino, por ser parceira de fé do aliado caxiense, teve medo do episódio respingar para o comunista.

Mesmo solucionando financeiramente a problemática da saúde em Caxias, o aliado Flávio Dino foi incapaz de resolver problemas simples e que contribuíram para o insucesso eleitoral de Léo Coutinho em 2016.

Detectado em pesquisas de opinião quinzenais que a rejeição a Léo Coutinho era gigantesca, Flávio Dino se manteve praticamente inerte e insensível a situação do aliado (ressalvando os convênios na área da saúde, que só aconteceram após escândalo nacional), pois se dispensasse ao desgastado aliado a atenção necessária, não faria o que fez em Caxias ao desativar o precário IML e arrastar por quase 3 anos a construção do tão necessário órgão na cidade. Vale registrar que a construção de um IML na cidade não chega a representar 2% dos valores conveniados por Zé Reinaldo e Jackson Lago quando os mesmos sentaram na cadeira principal do Palácio dos Leões.

Ao desativar o IML de Caxias assim que assumiu o governo, Flávio Dino não dispensou ao aliado Humberto Coutinho a atenção que o mesmo deveria ter. O fato de ter transferido o serviço para Timon funcionou como uma sentença de morte para as pretensões de reeleição de Léo Coutinho.

Quando uma pessoa morre em Caxias, é natural que a dor da família, que precisa velar o ente querido, ganhe proporções insuportáveis ao não poder estar perto da defunto nas suas derradeiras horas em cima da terra. Paralelo a dor dos familiares, os vizinhos e amigos mais próximos também sofrem com a ausência do corpo e a dificuldade dos preparativos para o enterro. Nesse ínterim, é natural que todos comentem a falta do IML na cidade e a inexplicável vontade política dos aliados do governador para resolver o problema. Sem dúvida alguma, foi e está sendo um fator de desgaste imensurável para os planos eleitorais de Humberto Coutinho.

Mesmo tendo sido um governador bem aquém de Zé Reinaldo e Jackson Lago, Flávio Dino reapareceu recentemente em Caxias tentando consertar o estrago feito na principal base do aliado Humberto Coutinho.

Na princesa do sertão, como vem fazendo em diversas cidades do Maranhão, Flávio Dino distribuiu milhares de camisetas para estudantes, o que é muito estranho, haja vista a farta distribuição de uniformes escolares estar sendo feita no segundo semestre do ano letivo, o que leva a crer que seja apenas uma tentativa marota de conseguir atrair público jovem nos comícios fora de época do comunista. 

Ainda na visita de Dino a Caxias, o anúncio do empiçarramento de estradas vicinais e entrega de 2 kits de irrigação, o que é comparável a benefícios entre prefeito e vereador de cidade pequena, levou Humberto Coutinho, mesmo lembrando das dezenas de milhões conveniados entre ele e os ex-governadores Jackson Lago e José Reinaldo, a ir na sua emissora de TV falar com entusiasmo forçado sobre as ‘conquistas’ obtidas junto ao ‘aliado’ Flávio Dino.

Não consigo comprar a ideia, disseminada por quase 100% dos políticos do MA, de que Flávio Dino só chegou ao cargo de governador devido ao apoio incondicional de Humberto Coutinho desde o seu debut na carreira política. Mas, ao mesmo tempo que não estou entre a quase totalidade dos que defendem esse ponto de vista, não poderia deixar de ficar solidário a Humberto Coutinho na avaliação de que Flávio Dino não correspondeu com um mínimo de atenção a um aliado da importância do presidente da AL.

Colocando na ponta do lápis, até os aliados mais subservientes de Humberto Coutinho veem a diferença absurda entre a atenção dispensada ao “grandão” pelo ‘aliado’ Flávio Dino e aquela dada pelos ex-governadores Jackson Lago e Zé Reinaldo Tavares.

Anunciar ‘obras’ dignas de vereador para prestar apoio a um aliado da relevância de Humberto Coutinho é o cúmulo do absurdo.

Ah! Depois de 8 meses da gestão Fábio Gentil em Caxias, Humberto Coutinho autorizou a celebração de convênio entre o governo do MA e a Prefeitura para pagamento dos médicos da Maternidade Carmosina Coutinho. Detalhe: o convênio firmado agora representa 50% do valor daquele feito na fracassada gestão Léo Coutinho.

Não se sabe se o convênio ter sido exatamente a metade daquele existente em 2016 foi ‘força’ política de Humberto Coutinho ou se foi mais uma ‘ajuda’ de Flávio Dino para o seu aliado.

DE GRANDES OBRAS PARA CAMISETAS / Nas gestões Jackson e Zé Reinaldo
o deputado Humberto Coutinho se acostumou a inaugurar ginásios
poliesportivos, Maternidade, reforma do Hospital Geral, escolas, Mercado
Central e muitas outras obras, e no governo do amigo Flávio Dino, e em
ano pré-eleitoral, se contenta em entregar camisetas.

Mas o pior dessa história está representado na foto acima, em que Humberto Coutinho faz cara de paisagem ao entregar camiseta para estudantes.

Com um aliado assim...

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Fora DINO, FORA COUTINHOS

Postar um comentário