Datailha acusado de inventar boato em pesquisa feita em São Luís; instituto está envolvido em pesquisa duvidosa em Caxias e São José de Ribamar

17.7.20
Instituto Datailha se envolve numa polêmica atrás da outra nas eleições 2020

Parece que o instituto de pesquisas de opinião Datailha resolveu colecionar polêmicas nas eleições 2020.

Depois de aplicar um questionário fajuto numa pesquisa eleitoral a ser divulgado no domingo (19) em Caxias, onde apresenta um dos pré-candidatos cuja grafia do nome o impossibilita de ser reconhecido pelos entrevistados (reveja aqui), o instituto está agora sendo acusado de “inventar boato” numa pesquisa feita em São Luís com previsão para ser divulgada no próximo dia 22.

Sendo que em Caxias a pesquisa Datailha prejudica claramente o pré-candidato do MDB, César Sabá (que foi apresentado aos entrevistados como Saba, sem o primeiro nome e sem o acento agudo na segunda sílaba do sobrenome), na sondagem de São Luís o mesmo instituto foi acusado em postagem do site Atual7 de inventar boato numa de suas perguntas aos eleitores.

“Em pesquisa, Datailha inventa boato de apoio de Lula a Rubens Júnior”, é a manchete da postagem do Atual7 que faz uma detalhada explicação de como a pergunta, tratada como boato pelo editor do site, é usada para beneficiar o candidato do PC do B, Rubens Júnior (veja aqui).

O questionário do Datailha também é apontado na matéria do Atual7 de omitir o nome de vários pré-candidatos a prefeito da capital, que mesmo já estando se articulando na pré-campanha, foram excluídos da sondagem.

“No caso, mesmo declarados pré-candidatos e estarem em plena pré-campanha, ficaram de fora da pesquisa: Detinha (PL), Cricielle Muniz (PT), Franklin Douglas (PSOL) e Saulo Arcangeli (PSTU)”, diz outro trecho da postagem.

A pergunta que o Atual7 trata como “boato” diz respeito a um suposto apoio do ex-presidente Lula ao candidato do PC do B. “O ex-Presidente Lula está apoiando Rubens Júnior para a Prefeitura de São Luís. Rubens Júnior tem o apoio de Lula e é do mesmo partido do governador Flávio Dino. Sabendo dessa informação, [votaria] em [?]:”, questiona o instituto, apresentando em seguida os nomes dos pré-candidatos”.

Sendo capaz de usar um boato e omitir nomes de pré-candidatos na pesquisa de São Luís, o Datailha quer fazer história no mercado de pesquisa de opinião no Maranhão.

O caso de Caxias, onde prejudica claramente um dos pré-candidatos, vem a somar com os problemas jurídicos enfrentados pelo instituto no município de São José de Ribamar, onde foi impedido de divulgar pesquisa eleitoral por conta da mesma conter vários indícios de irregularidades (confira aqui e aqui).

Nas eleições de 2018, o instituto Datailha chegou a apresentar uma pesquisa de opinião apontando Cleide Coutinho como tendo mais que o dobro de intenções de votos que Zé Gentil, mas, abertas as urnas, deu-se exatamente o oposto.

O que está acontecendo com os profissionais responsáveis por elaborar as pesquisas do Datailha?

0 comentários:

Postar um comentário