Vereador Jerônimo anuncia que deixará a política para se dedicar apenas à APAE de Caxias

17.12.19

Anúncio foi feito na tribuna no grande expediente da sessão dessa segunda-feira (16).

Último orador a usar a tribuna no grande expediente da sessão dessa segunda-feira (16), o vereador Jerônimo Ferreira Cavalcante Filho (PMN) surpreendeu seus colegas e a plateia que assistia à reunião da CMC, ao revelar que não irá mais disputar uma vaga na casa, nas eleições do próximo ano. Vereador em dois mandatos consecutivos (2013/2016 e 2017/2020), Cavalcante, de forma emocionada, explicou no plenário que se afastará da vida parlamentar, ressaltando que de 2021 para frente se dedicará apenas a ajudar a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Caxias a continuar a oferecer o serviço que vem prestando, não só à comunidade caxiense, mas a toda a região do leste maranhense, cerca de 40 municípios circunvizinhos, trabalho que é reconhecido nacionalmente. "Não vou lutar mais por uma vaga nesta casa! Mas vou lutar pela APAE! Vou passar, mas vou deixar um legado para as pessoas com deficiência de Caxias, através de uma instituição que é a maior do Estado do Maranhão, pois ninguém é capaz de fazer o trabalho de assistência que ela faz!", ressaltou.

Jerônimo iniciou seu pronunciamento trazendo ao plenário uma reivindicação dos proprietários de distribuidoras de gás de cozinha da cidade, relacionada ao transporte de botijões que vem sendo feito por motociclistas sem credenciamento ou habilitação. Ele pediu o apoio dos colegas no sentido de que a prefeitura seja acionada a interferir na situação, por meio da Secretaria Adjunta de Transportes, intensificando com seus agentes de trânsito a fiscalização sobre essa prática de transporte pirata que se evidencia por toda a área urbana de Caxias.

Depois, antes de anunciar sua disposição para deixar formalmente a política, passou a discorrer sobre o trabalho da APAE de Caxias e sobre a problemática em que vivem as pessoas com deficiência. "Não poderia deixar 2019 passar, sem voltar a me referir a este assunto. Deixar de trazer a esta Casa, o trabalho daquela instituição; uma instituição que eu não mais digo que amo, porque faz parte da minha vida, e que, no início do ano, através dela, pudemos entregar mais de 120 cadeiras de rodas a pessoas com deficiência", assinalou.

E, continuando: "Daquele momento em diante, até essa data, devido a empecilhos, alguns entraves, estivemos parados. Só que a instituição não pára, nada pode atrapalhar o seu trabalho. E agora, depois que conseguimos sensibilizar a Secretaria Municipal de Saúde, mostrando a importância para Caxias, a importância das pessoas com deficiência, acho que o órgão acordou, e logo, logo, ainda neste ano, vamos retomar a entregar mais cadeiras de rodas, quase cem, até o final do ano, e vai ser uma nova festa. Só sabe o que é um problema resolvido pela APAE, quem tem uma pessoa com deficiência em sua casa; só quem tem sabe a dor e o constrangimento do que é viver com deficiência em nossa cidade; sabe a importância da APAE", declarou, ao se considerar satisfeito por haver contribuído recentemente para a solução de um problema vivenciado por uma dona de casa da Vila Paraíso, situação que se evidenciava pelas redes sociais, revelando a grande dificuldade que as pessoas têm para conseguirem uma cadeira de rodas, um prótese para um braço, uma perna, um colete para corrigir problema de coluna.

O vereador também elogiou a iniciativa do presidente Jair Bolsonaro em envolver as APAEs de todo o país, a Fundação Pestalozzi, as AMAs, assim como outras instituições do ramo, no trabalho de educação das pessoas com deficiência. "As pessoas com deficiência, em gestões anteriores, foram orientadas para as escolas de ensino regular. Mas isso, na grande maiorias das vezes, acabava por levá-las a ficar em casa, porque não conseguiam acompanhar a grade regular de ensino, uma assistência que só é possível ser feita por quem é especializado no assunto, pois a APAE, hoje, não é só saúde; um local de assistencialismo, mas um local de reabilitação e convivência social", assinalou.

Jerônimo Cavalcante desejou votos de boas festas e um feliz natal a todos, e que em 2020 seja possível sonhar com uma Caxias melhor. Depois, foi aparteado pela vereadora Thaís Coutinho (PSB), líder da oposição. "Fico feliz por ter acompanhado o seu trabalho, aqui na Câmara; o seu trabalho árduo e cheio de muitas dificuldades e de superações na política, que merece o nosso reconhecimento e o do povo caxiense, e tenho certeza de que continuará a se empenhar, de coração, à causa que abraçou, e acredito que, deixando o legislativo, fará muito mais pela APAE", destacou a vereadora, na oportunidade.

Por sua vez, o vereador Catulé, presidente da CMC, antes de encerar a sessão, assim se expressou diante da manifestação do vereador Jerônimo: "Vossa Excelência fez um discurso na tribuna desta Casa, vereador Jerônimo, muito emotivo, e eu observo que sua história se confunde com a história da APAE, não só de Caxias, mas de todo o nosso Estado. Esta Casa e a sociedade caxiense acompanham o seu trabalho, não só em favor daquela instituição, mas dos necessitados, dos deficientes do nosso município".

E, mais: "Nós todos acompanhamos o trabalho de pedra sobre pedra que fez para levantar aquela instituição. No início deste governo, eu tive o prazer de receber um convite seu, juntamente com o prefeito Fábio Gentil, para uma solenidade na APAE, e me surpreendi com o tamanho físico do prédio daquela instituição, tão bem comandada por Vossa Excelência, resultado de um trabalho que não foi de dois anos, que não foi de uma década; um trabalho abnegado de Vossa Excelência e de sua esposa, e hoje a APAE de Caxias, se podemos dizer, é uma APAE internacionalizada. Vossa Excelência tem sido um cassaco daquela instituição. Mesmo diante de tantos percalços, que sabemos que toda instituição passa, Vossa Excelência nunca desistiu, se afastou, e sou testemunha de que, muitas vezes, quando encontrou prefeitos mais resistentes, Vossa Excelência mais ativo ficava", concluiu o presidente ao elogiar os dois temas que Jerônimo Cavalcante trouxe à pauta da sessão. (ASCOM/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário