HERANÇA MALDITA - Irresponsabilidade da gestão Léo Coutinho impossibilita município de contratar monitores para o PROJOVEM URBANO

14.9.17
RECURSO AJUDARIA A ECONOMIA LOCAL / Projovem Urbano 2017 poderia contratar cerca de 150 monitores para educação de jovens e adultos

Falta de prestação de contas dos recursos do Projovem Urbano na gestão Léo Coutinho
impossibilitou a contratação de 150 monitores pelo município em 2017

Parece que o rastro da incompetência e irresponsabilidade da gestão Léo Coutinho não para de apresentar suas consequências. A última da vez foi a informação de que o município de Caxias está inadimplente junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, pela falta de prestação de contas de recursos do PROJOVEM Urbano referentes aos anos de 2013, 2014, 2015 e 2016.

“O ex-prefeito tomou ciência do teor do Ofício supracitado em 27/12/2016, conforme o Comprovante de Ciência – SIGPC Contas Online” diz o ofício enviado ao prefeito Fábio Gentil justificando a inadimplência do município. “Entretanto, expirado o prazo concedido no mencionado Ofício, o responsável não providenciou adimplir a obrigação de prestar contas, tampouco efetuar o recolhimento dos recursos”, continua o documento que informa ainda o registro de uma “Representação protocolizada junto ao Ministério Público Federal contra o ex-gestor e responsável pela execução dos recursos cadastrados no Sistema Documenta”.

Objetivando elevar a escolaridade de jovens e adultos entre 18 e 29 anos, o Projovem Urbano em Caxias poderia, caso a incompetência da gestão Léo Coutinho não tivesse deixado de prestar contas dos recursos recebidos, contratar 150 monitores e elevar a escolaridade de mais de 1.500 jovens e adultos no município somente neste ano.

O assunto foi abordado na sessão desta quarta-feira, 13, na Câmara Municipal, onde o vereador Mário Assunção lamentou a falta de prestação de contas dos recursos do referido programa e falou dos esforços da atual gestão em garanti-lo para o próximo ano. “... Devido a inadimplência dos anos passados, mas nós vamos corrigir, fazer essa prestação de contas que não foi feita...” “...para que no próximo ano a gente consiga implantar mais uma vez o Projovem Urbano na nossa cidade, porque essa é uma determinação do prefeito Fábio Gentil...” “...a Secretaria de Educação já está trabalhando para fazer a prestação de contas que não foi feita nos anos de 2014, 2015 e 2016. Então, vamos fazer essa correção para que a gente consiga fazer essa implantação a partir do ano de 2018”, disse o vereador.

A líder da oposição na Câmara Municipal, vereadora Thais Coutinho, que também é prima do ex-prefeito Léo Coutinho, ouviu atentamente o discurso de Mário Assunção e não conseguia esconder o incômodo com as revelações trazidas ao legislativo caxiense.

No entanto, Thais Coutinho não deu um pio para tentar defender a passagem do seu primo pela Prefeitura de Caxias.

Mas... Defender como?!

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Porque não fiscalizaram no ano passado se o ex prefeito estava prestando as contas? Me poupe vereador

Postar um comentário