Pagamento do IPTU é prorrogado em Caxias até o dia 05 de junho

22.5.17
Secretário adjunto da Receita, Geovane Carlos
O pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano- IPTU, foi prorrogado em Caxias até o próximo dia 05 de junho. Segundo o secretário adjunto da Receita, Geovane Carlos, a decisão se deve a mudanças nas regras bancárias exigidas pela FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos).

“A FEBRABAN exigiu um novo padrão de configuração bancária, então nós tivemos que mudar a nossa configuração para que todos os pagamentos sejam feitos no banco do Brasil, nós não queríamos ter feito isso, mas por essa imposição de mudanças de regras bancárias, tivemos que optar por essa decisão”, explicou o secretário adjunto, Geovane Carlos.

Devido a superlotação nas agências do banco do Brasil, muitos contribuintes não conseguiram efetuar o pagamento que deveria ter sido realizado até o dia 02 de maio. “Sensibilizado com a situação, o prefeito Fábio Gentil, decidiu prorrogar a data para que todos consigam contribuir”, destacou o secretário adjunto, Geovane Carlos.

Ainda segundo o secretário adjunto, o contribuinte pode retirar a segunda via do seu boleto, uma vez que o anterior já está com data excedida, no site da Prefeitura. Caso os dados não estejam atualizados, o indivíduo deve se dirigir ao setor de tributação localizado no Centro de Cultura para regularização.

“Através do site é possível imprimir a segunda via do boleto, caso os dados do contribuinte não estejam atualizados, ele pode se dirigir até o nosso setor com todos os seus documentos e nós atualizamos, além disso, ele já sai daqui com o boleto de pagamento em mãos”, finalizou o secretário adjunto, Geovane Carlos.

O IPTU refere-se ao imposto brasileiro cobrado das pessoas que possuem uma propriedade imobiliária urbana, como um apartamento, sala comercial, casa ou outro tipo de imóvel dentro de uma região urbanizada. O pagamento pode ser parcelado em 10x, com parcelas que vão até março de 2018, ou efetuado à vista com 20% de desconto.

Fonte: Ascom/Caxias

1 comentários:

  1. Ricardo Almeida disse...:

    “A FEBRABAN exigiu um novo padrão de configuração bancária, então nós tivemos que mudar a nossa configuração para que todos os pagamentos sejam feitos no banco do Brasil, nós não queríamos ter feito isso, mas por essa imposição de mudanças de regras bancárias, tivemos que optar por essa decisão”

    Um membro do governo, dizer que SÓ FOI prorrogado a data de pagamento, por causa da "imposição" do banco em mudar configurações internas, E NÃO por causa da população para favorecê-la, oferecendo mais prazo, ficou meio esquisito, para não dizer feio!!!

Postar um comentário