Livro de ata some e porta de acesso ao público é fechada: Vereadores aliados de Léo Coutinho faltam a sessão para impedir convocação de secretário de Saúde

2.3.16
Vereadores governistas preferem ouvir Humberto Coutinho na Casa de Saúde que exercer 
papel para o qual foram eleitos

Na sessão da Câmara Municipal de Caxias em que seria votado um requerimento do vereador Catulé convocando o secretário de Saúde do município, Vinicius Araújo, para prestar esclarecimentos sobre a situação real da rede pública que é constantemente alvo de reportagens negativas na imprensa nacional, os vereadores da base aliada de Léo Coutinho, com exceção de Paulo Simão, preferiram boicotar a sessão para que o requerimento explosivo não fosse aprovado, ou mesmo votado.

Numa demonstração clara que a Mesa Diretora da Casa do Povo segue rigorosamente as ordens do Palácio da Cidade, nem mesmo o livro de ata que registra o andamento das sessões, e que deve estar disponível no meio da tarde para que os vereadores possam se inscrever para discursarem no grande expediente, simplesmente havia sumido. Isso mesmo. O livro de ata não foi encontrado e nem mesmo o funcionário responsável pelo mesmo se encontrava nas dependências do prédio da Câmara, numa demonstração que seguia ordens superiores para não estar acessível na noite desta quarta-feira, 02.

As portas de acesso do público para assistirem a sessão também estava fechada, o que nunca acontece.

A bancada oposicionista estava presente e lamentou a ausência dos demais colegas. “É uma pena que diante de assunto tão importante, que é a convocação de um secretário do município para prestar esclarecimentos aos vereadores e à população, meus pares boicotem a sessão”, lamentou Catulé, que é o autor do requerimento que prevê a convocação de Vinicius Araújo.

Embora ausentes da Câmara Municipal nesta quarta-feira, 02, onde deveriam exercer o papel para o qual foram eleitos, os vereadores governistas preferiram estar na Casa de Saúde, clínica de propriedade de Humberto Coutinho, onde foram participar de mais uma reunião junto a fantasmas e mensalinhos.

Essas reuniões corriqueiras na Casa de Saúde seguem sempre o mesmo script, onde alguns mensalinhos de baixa patente ensaiam uma reclamação por um assunto qualquer e o deputado Humberto Coutinho pede empolgação a todos e que agora a coisa vai.

Na atual legislatura, a Câmara Municipal de Caxias nunca representou tão bem aquele comentário maldoso recorrente em toda roda de conversa, de que seria a “cozinha da Prefeitura”.

Pelo andar da carruagem, o titular do blog acredita que a Câmara Municipal caminha para ser um cômodo da casa bem menos agradável que a cozinha.

2 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Esse Dr. Vinicus não era nem para ser Secretário de Saúde já que ele é proprietário de um serviço de saúde privado que presta serviço complementar ao município. Segundo o Art. 26 § 4º Aos proprietários, administradores e dirigentes de entidades ou serviços contratados é vedado exercer cargo de chefia ou função de confiança no Sistema Único de Saúde
    - SUS.

  1. Anônimo disse...:

    com relação da postagem que impede DrV ser secretário é a Lei 8080/90 Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências.

Postar um comentário