O Carnaval de Caxias – Finalmente ouviram, um pouco, o que Léo Barata sempre defendeu

19.2.15
CONSEGUIU: Léo Barata sempre pensou o Carnaval 
na Avenida Alexandre Costa
Em 28 de fevereiro do ano passado, sob o título “O corso, o carnaval, Léo Barata e os erros e acertos da cultura em Caxias” (que o leitor pode lembrar clicando aqui), abordei o esgotamento do modelo do Carnaval caxiense.

E o que eu disse naquela época? Em síntese, fiz uma defesa do secretário de Cultura do município, Leonardo Barata. Com um Carnaval bastante criticado naquele ano, onde “baratinha” era ‘crucificado’ nas redes sociais pelo fracasso do evento, saí em defesa por saber da sua força de vontade para fazer um grande trabalho na pasta.

Até mesmo seu pai, ex-deputado João Afonso Barata, também saiu em defesa do rebento e procurou a imprensa para culpar o prefeito Léo Coutinho por não dotar a pasta da Cultura com recursos suficientes para garantir o bom andamento da mesma.

Do alto da sua experiência na política, o ex-deputado foi ao “X” da questão: a Secretaria de Cultura de Caxias não tem autonomia financeira e suas ações são tocadas de acordo com a boa vontade do prefeito Léo Coutinho”, diz trecho da matéria publicada neste espaço em janeiro de 2014.

Ainda naquela matéria, fiz a seguinte colocação: “Léo Barata pensou um carnaval diferente. A folia seria concentrada na Avenida Alexandre Costa com trios elétricos e bandas de renome. Seria uma forma inteligente de prender os foliões na cidade, haja vista que a juventude caxiense procura outras cidades para brincar o carnaval justamente pelo apelo que uma folia puxada pelo calor dos trios elétricos proporciona. O prefeito Léo Coutinho teria vetado essa ideia inovadora de Léo Barata por temor de aumento da violência num carnaval fora do Parque da Cidade.

Bem, eu, o Léo Barata, o João, o Francisco, a Maria e 99% dos caxienses, queriam o Carnaval na Avenida Alexandre Costa, e com bandas de renome nacional.

Por medo das mesmas críticas do ano passado, Léo Coutinho finalmente cedeu e se rendeu as circunstâncias, permitindo que o evento momesco tivesse seu ponto alto no local defendido pelo secretário de Cultura.

Logicamente, o novo endereço da festa agradou, mas, infelizmente, as bandas de renome não vieram. Babado Novo, por exemplo, só existe e ainda resiste ao tempo por ter revelado Cláudia Leite, não tendo nenhuma importância no cenário nacional desde a saída da sua primeira vocalista.

Agora vamos ao que escrevi neste blog sobre o Carnaval 2015.

Em 29 de janeiro deste ano, logo após a divulgação do evento, fiz post “O local é apropriado mas... – Primeiro desafio do governo Léo Coutinho após parceria com o governo do estado, carnaval 2015 divide opiniões” (que o leitor pode lembrar clicando aqui).

Em síntese, disse que o local escolhido era apropriado; que a diversificação de outros eventos era válida; que o ineditismo do principal ponto da folia iria agradar, como de fato agradou; que muitos caxienses iriam ficar na cidade pra ver se tudo ia dar certo, mas que as atrações divulgadas não empolgaram muito, como de fato aconteceu.

Estive quase todos os dias na Avenida Alexandre Costa e também na Praça Gonçalves Dias para fazer uma análise isenta da folia momesca.

Pude ver alguns bajuladores me olhando atravessado como se lá eu não pudesse estar. Quando da época dos marinhos, e eu fazia oposição, olhavam-me do mesmo jeito, sendo que boa parte dos bajuladores daquele período estão hoje fazendo o mesmo ‘trabalho’ de bajulação aos coutinhos. Gente repugnante que se presta para o mesmo papel seja qual for o governante de plantão.

E o que ficou do Carnaval caxiense?

Por não ter adotado o modelo defendido por mim e pela maioria esmagadora da população, a família Coutinho pagará o preço dessa demora. A novidade agradou, mas no próximo ano, as inssosas bandas de 2015 receberão a indiferença dos foliões.

Carnaval com trio elétrico, tipo o de Luis Correia e Codó, só para citar exemplos próximos, deve ter blocos organizados.

Ao governo municipal deve-se, desde já, incentivar a criação de blocos para que os mesmos banquem cada um a sua atração por meio da venda de abadás. Assim é feito em Codó e assim é feito em Luis Correia e é assim que tem garantido o sucesso nesses eventos em todo o Brasil.

A competição entre os blocos para saber qual a melhor atração é o que movimenta e empolga os membros de cada grupo e que envolve a cidade como um todo nessa saudável competição.

Outro ponto a ser destacado é o fato de que a melhora significativa no carnaval caxiense seja debitada quase que exclusivamente ao prefeito Léo Coutinho, sendo que a participação do secretário, e grande incentivador do evento nos moldes que ele foi realizado, Léo Barata, esteja sendo relegado a um terceiro plano pelos simpatizantes’ de sempre.

Todos os elogios estão sendo direcionados ao prefeito, que foi o último a ceder para a realização da festa na Avenida.

Na verdade, Léo Coutinho seria a última pessoa a merecer esse elogio, haja vista que foi o último a aceita-la conforme foi feita.

Mas na cabeça dos bajuladores e afins, os comentários elogiosos ao gestor são os melhores possíveis, mesmo tendo ele viajado pro litoral do Ceará ainda no domingo para curtir um carnaval com bandas de qualidade que ele não conseguiu proporcionar aos seus conterrâneos.

Aplausos ao Léo Barata por ter persistido e conseguido fazer uma festa parecida com o ele pensou desde 2013.

5 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    saba se uniu a irmandade? sera que tu publica isso?

  1. Anônimo disse...:

    saba voce saiu do armario?

  1. Anônimo disse...:

    Parabéns pela leitura do carnaval realizado 1 pelo povo de nossa cidade, pois independente de quem esteja no comando de nosso municipio tem a obrigação de "proporcionar", 2 pelo secretario pela ideia do local, que tambem não é novidade pois ali ja foram realizados alguns eventos no mesmo porte, e 3 o prefeito que aceitou a ideai do gestor da parte, pela qual foi o mais beneficiado, na mente de alguns que pensam que a imagem do prefeito saiu de 0 para 10.`Parabéns blogueiro

  1. claudio saba disse...:

    Saí do armário?! Me uni a irmandade?! Tem perigo não, caro anônimo.

  1. Anônimo disse...:

    Ontem foi noticia nacional sobre a escola de samba vencedora no rio de janeiro. O uso de DRONE não é permitido em a multidão, e tal escola será punida. Espero que aqui o prefeito e organizadores do Carnaval de Caxias, também sejam punidos, pois todos observar um DRONE fazendo as filmagem da tv pirata, que transmitia o carnaval, para o qual foi enviado pelo governador do estado simplesmente a cifra de meio milhão de real,

Postar um comentário