Catulé pede que autoridades municipais endureçam a política de isolamento social que vigora em Caxias

18.5.20

Na segunda sessão ordinária remota realizada nessa segunda-feira (18), em que a pauta dos trabalhos versou novamente sobre o combate à pandemia do novo coronavírus no município, o presidente da Câmara Municipal de Caxias, vereador Catulé (Republicanos), defendeu que as autoridades sejam mais enérgicas com o cumprimento das medidas de isolamento social disseminadas através de vários decretos assinados pelo prefeito Fábio Gentil (Republicanos). "Cheguei agora há pouco da zona rural, onde passei o fim de semana, e o que vi foram muitos comércios abertos, indústrias funcionando e muitas, mas muitas pessoas mesmo, circulando livremente por Caxias. Parece que nunca houve coronavírus nem isolamento social por aqui. É como se a doença não estivesse entre nós...", comentou logo na sua primeira intervenção ao dirigir a sessão do plenário da CMC.

O presidente revelou em seguida que já conversara a respeito do descumprimento da medida com o chefe do executivo, ressaltando que a determinação do prefeito agora, a partir das 5 horas da manhã desta terça-feira (19) é a de que os efetivos de segurança da cidade serão colocados a postos em diversos pontos do perímetro urbano com a orientação de sustar a circulação desenfreada de pessoas, bem como a circulação de veículos da forma como vem ocorrendo.

Catulé disse na reunião que ficou satisfeito ao saber que a prefeitura se prepara para distribuir kits com medicamentos já autorizados pelo governo estadual a pessoas com suspeição de serem portadoras do covid-19, para que tratem com orientação médica em casa. "Contudo, mesmo com os remédios, se nós não seguirmos as normas da OMS, se o povo não obedecer o isolamento social, e se não tomarmos providências para segurar o isolamento, nada disso vai funcionar", ressaltou.

O presidente da Câmara observou que o modo de pensar diversificado das pessoas, sem unicidade de pensamento diante de um problema sanitário tão grave no município, também dificulta as ações governamentais. Ele criticou, por exemplo, a atitude adotada pela Secretaria Municipal de Educação, que convocou seus profissionais a se dirigirem à sede do órgão para receberem a vacina contra a gripe H1N1. "É um contrassenso contra as determinações do prefeito, porque é óbvio que haverá grande aglomeração de pessoas, favorecendo a propagação de um vírus que ninguém, às vezes, nem suspeita que é portador", argumentou.

O vereador destacou depois que o prefeito Fábio Gentil, ao contrário do presidente Jair Bolsonaro, "um maluco" no qual votou na última eleição e que tem substituído bons ministros a torta e a direito, tem sido incansável em prover a defesa da saúde dos caxienses. "O momento é de combate ao novo coronavírus, que não respeita idade, sexo ou cor das pessoas. Eu acredito nas orientações das autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS), nos infectologistas, mas há muitas pessoas fazendo lives nas redes sociais pregando contra um distanciamento social que, para nós, é obrigatório", frisou.

De dentro do caixão ninguém se reergue

O presidente da CMC explicou depois que a crise maior que a população está enfrentando é a da saúde. Em sua concepção, o mais difícil é assistir-se às filas de caixão divulgadas diariamente nas mídias. "Os que têm problemas no comércio - referindo-se a comerciantes -,eles podem se reerguer, o que não acontece com aqueles que estão dentro dos caixões. Sabemos que haverá, em nossa cidade, muitos comerciantes que não levantarão mais suas portas, porque não têm capital de giro. Mas não tem jeito, temos que dar preferência à saúde, porque aqui nossa conta é alta e regionalizada", assinalou.

Citando o relaxamento que levou o vizinho município de Codó, com menor população que Caxias, a ter números de covid-19 e de mortos por causa da doença bem maiores, Catulé lembrou que em outra cidade vizinha, Timon, a situação está muito bem melhor do aqui, porque vem seguindo à risca sua política de isolamento social. "O prefeito de lá proibiu até a circulação de ônibus na zona rural", admitiu.

Em que pese a crise que os caxienses estão vivenciando, o presidente da CMC é otimista e acredita que em breve a pandemia ascendente será controlada no município. "Quero dizer a meus pares que hoje também foi um dia em que recebi boas notícias, pois soube de fonte confiável que um grande grupo empresarial irá se estabelecer no Shopping de Caxias e que o grupo Toyota irá instalar uma concessionária no município. Pelo menos três novos empreendimentos estão marcados para acontecer na cidade, e isso será muito para nossa economia", finalizou. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário