Câmara de Caxias realiza primeira sessão remota na história do parlamento municipal

4.5.20

Os vereadores e vereadoras de Caxias participaram, nesta segunda-feira (4), de uma sessão ordinária histórica no parlamento municipal. Pela primeira vez, ao longo de 1h e 54 m, ocorreu uma reunião de caráter remoto, virtual, onde no plenário da Casa estiveram os três membros titulares da Mesa Diretora, os vereadores Catulé (Republicanos), presidente, Mário Assunção (Republicanos), 1º secretário, e Sargento Moisés (PL), 2º secretário, enquanto o restante da bancada participou de casa ou de seus escritórios de trabalho.

A iniciativa, aprovada pela maioria da bancada e depois muito elogiada pelos espectadores que acompanharam essa participação pioneira dos vereadores caxienses, principalmente nas redes sociais ou através do próprio site da CMC na internet, foi do presidente Catulé. Ao abrir a sessão, o presidente justificou a adoção da medida como uma iniciativa de sua autoria para o parlamento caxiense se adequar e conviver com a pandemia do novo coronavírus já presente no município, ao mesmo tempo em que é cumprida a política de distanciamento social que vigora presentemente em Caxias.

"Nós entendemos que uma Câmara Municipal de uma cidade do porte de Caxias, ou de qualquer outra cidade, ela não pode ficar parada. Ela tem que enfrentar, ela tem que dar respostas à sociedade, principalmente num momento como esse em nós vivemos, não só aqui, mas em todo o planeta, nós, usando estes instrumentos modernos ao nosso alcance, procuramos fazer com que esta casa continuasse produzindo e dando respostas à sociedade caxiense. Aqui nós planejamos e conduzimos a primeira sessão remota desta casa", destacou em entrevista o vereador Catulé, após o final dos trabalhos.

Na avaliação do presidente do parlamento caxiense, foi uma satisfação contar com a participação de todos os 19 vereadores que compõem a bancada da CMC na primeira sessão ordinária remota. "Todos participaram e tiveram visibilidade ativa, o que é muito bom. Todos companheiros entenderam que esta casa, neste momento, não pode ser situação ou oposição. Esta casa é brasileira, esta casa é humana, e precisa unir as forças para que se possa colaborar com a Organização Mundial de Saúde e, sobretudo, com as autoridades sanitárias do nosso país", ressaltou em seguida.

Também por ensejo do próprio presidente Catulé, o Regimento Interno da CMC, que disciplina a realização das sessões ordinárias, extraordinárias, solenes e especiais, inclusive situações em que a edilidade pode se reunir fora das dependências da sede do parlamento, desde que dentro do território do município, agora foi acrescido de mais um artigo também regulamentando a possibilidade de ocorrerem sessões remotas, a exemplo da primeira que ocorreu nesta segunda-feira. Estas sessões poderão ser reeditadas enquanto durar a pandemia do novo coronavírus ou noutro caso de calamidade que impeça o encontro presencial e regular dos vereadores caxienses. (Da assessoria)

0 comentários:

Postar um comentário