Protestos prejudicam fórum sobre criação da Uemaleste

26.5.17
O que era pra ser um diálogo pacífico sobre a importância da regionalização da educação superior acabou em atos de protesto. O fórum sobre a transformação do CESC/UEMA em universidade regional, que reuniu professores, acadêmicos e servidores dos campus de Caxias, Codó, Coelho Neto, Coroatá e Timon, além de estudantes do ensino médio e representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, aconteceu na quinta-feira (25).


O fórum foi promovido pela Comissão Pró-Regionalização do CESC/UEMA. O auditório do campus da universidade em Caxias ficou lotado e dividido entre os que eram a favor e os contra a proposta do Governo do Estado de criar na região a Uemaleste, a exemplo do que já fez em Imperatriz com a criação da Uemasul.

A programação iniciou com duas palestras sobre o tema, ministradas pela pró-reitora de Planejamento da Universidade Regional do Cariri - URCA, a professora Ana Roberta Piancó, e o vice-reitor da Uemasul, o professor Antônio Expedito Carvalho. Os palestrantes apresentaram dados sobre o sucesso da regionalização em suas instituições. Em seguida, estava previsto o pronunciamento das autoridades convidadas a compor a mesa da solenidade. O evento todo foi comprometido por gritos, apitos e palavras de ordem dos manifestantes contrários à proposta.

"Este 'movimento', instigado por agentes externos à universidade, cujos interesses são meramente politiqueiros, não se baseia em estudo ou planejamento, alegando ser sucesso em outros estados como BA, CE e PR. Total desconhecimento! Vide a recente Carta de Londrina, assinada por todos os reitores das estaduais do Paraná, que denunciam o abandono intencional da educação superior, agravada pelo enfraquecimento causado pelas divisões. O discurso de 'independência' e 'autonomia', neste contexto, é falacioso!", dizia o manifesto compartilhado no evento.

Fonte: João Lopes/Portal Noca

0 comentários:

Postar um comentário