Catulé contesta denúncia contra povoação da zona rural

28.7.20


Habituado mais a intermediar os pronunciamentos dos parlamentares na Câmara Municipal de Caxias (CMC), o presidente da casa, vereador Catulé (Republicanos), não se conteve na sessão remota desta segunda-feira (27) ao ouvir o colega Edilson Martins (PSC) fazer colocações sobre ocorrências na localidade Vila Nova, uma das áreas de sua base política na zona rural caxiense. "Quanto ao povoado Santo Amaro, não digo nada. Mas tenho certeza de que na Vila Nova Vossa Excelência não encontrou isso', disse momentos depois de Martins terminar seu discurso.

Segundo Catulé,o povoado Vila Nova é uma comunidade que tradicionalmente faz questão de resolver seus próprios problemas, postura que já dura cerca de 40 anos. "Lá tem quatro poços artesianos, e nenhum deles foi feito por governo municipal ou estadual, mas pela própria população. Da mesma forma está ocorrendo agora com a ponte. É uma ponte de madeira construída por eles mesmos, na divisa com o povoado Santo Amaro, na qual atualmente só esta passando bicicleta ou moto, por causa de destruições ambientais, decorrentes da ação do homem. Mas digo que a escola da localidade, que é antiga e nunca tinha sido reformada, só agora está passando por uma reforma da gestão municipal", assegurou.

Para o presidente, as palavras do vereador Edilson Martins não podem ser ditas como mentira, ou não. "Se o colega andou por lá, na Vila Nova, teve muita sorte de uma cascavel não morder seu pé", ressaltou, bem humorado, em sua intervenção, como a lembrar dos perigos que estão sujeitos todos aqueles que se sujeitam a andar por lugares que não conhecem.

Intervenções

Na sessão desta segunda-feira, Catulé fez ainda duas intervenções em meio ao pequeno expediente. Na primeira, elogiou o posicionamento do vereador Repórter Puliça (PL), que cobrou mais representatividade aos nomes dispensados aos logradouros públicos de Caxias. "A cidade possui nomes de ruas sem a menor representatividade, e por isso acabam vistas, sendo identificadas, de diversas maneiras por instituições distintas, favorecendo a confusão de endereços, por exemplo. Entendo que o Poder Legislativo e a Prefeitura Municipal têm que corrigir isso. Agora, mesmo, substituímos a denominação de uma rua batizada com o endereço de uma residência, no bairro Itapecuruzinho, dando-lhe o nome do ex-vereador Nezinho Moura, empresário e homem público de valor para a história de Caxias", salientou inicialmente.

Depois, antes de encerrar a sessão, anunciou que recebeu a sugestão de vários colegas pedindo o retorno das sessões presenciais na casa, embora Caxias ainda esteja vivenciando a pandemia do novo coronavírus. Enfatizando que não tinha intenção de decidir sozinho a proposição, marcou para o decorrer da semana uma reunião com toda a bancada para discutir a matéria. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário