LIXO, CALOTE, SUJEIRA, VERGONHA – Léo Coutinho vai encerrar o mandato com a cidade mergulhada no caos

29.12.16
Léo Coutinho deixa Lixo e sujeira como herança de 12 anos de poder da sua família

É revoltante a situação que o prefeito Léo Coutinho está deixando a cidade nos últimos dias da sua administração.

A coleta do lixo, que desde o dia 02 de outubro passou a ser feita esporadicamente, tornou-se agora um caso de saúde pública, haja vista que há mais de 30 dias não existe mais.

Lixão da Cohab: moradores sofrem com o descaso do governo Léo Coutinho

Em vários pontos da cidade surgem lixões a céu aberto e os urubus, pelo menos eles, fazem a festa.


Lixão do Mercado Central: lixo e sujeira no local onde são comercializados alimentos

Por trás do Mercado Central, no centro da cidade, a quantidade de lixo amontoado impressiona os transeuntes e faz do local (que por ser um ponto de comercialização de alimentos, deveria ser um exemplo de limpeza e higiene) o último endereço do mundo para alguém adquirir frutas ou verduras.

Lixão da Rua do Matadouro: Lixo já começa a dificultar o fluxo de veículos e pedestres

No conjunto da Cohab, um dos mais populosos da cidade, as últimas semanas foram cruéis com os moradores que, sem querer, ganharam um lixão “pra chamar de seu”. Ali, uma extensa área, próxima a Delegacia de Polícia do bairro, foi transformada num lixão onde urubus formam o cenário de como o descaso do poder público pode ser maléfico à população.

Na Rua do Matadouro, ao lado do cemitério, o lixo já atrapalha o fluxo de veículos e pedestres, que tem que desviar do entulho que já toma parte da via.

Praticamente todo bairro de Caxias ganhou seu lixão de fim de ano, fazendo disso o retrato mais perfeito do fim de 12 anos da oligarquia Coutinho em Caxias.

CALOTE

Os proprietários dos veículos que fazem (ou deveriam fazer) o transporte do lixo estão apavorados com o calote que receberam do governo Léo Coutinho.

O único posto de combustível que fornece para o município também contabiliza o débito e há mais de 40 dias cancelou o fornecimento para tentar minimizar o prejuízo.

O calote colossal com fornecedores, prestadores de serviço, professores e demais servidores do município não encontra paralelo na história recente do município.

Apesar de não honrar compromisso com os credores, o governo Léo Coutinho não pode reclamar da falta de recursos nas contas da “viúva”, pois somente neste mês de dezembro de 2016 o governo federal fez repasses consideráveis para Caxias, o que deixa todos perplexos com o destino desse dinheiro.

Que falta de amor de uma família que tanto usufruiu e enriqueceu nos últimos anos com modernização e ampliação de clínica, construção de faculdade, escola, milhares de casas, shopping center e tantos outros benefícios que os ajudaram a se tornarem os mais ricos do Maranhão.

Quanta falta de amor pela cidade...

7 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    BEM FEITO !

    É 40 SEUS MENINO !

  1. Anônimo disse...:

    tem que deixar mesmo, o povo é que é seboso aqui no nosso bairro cohab fico vendo o povo passar com saco de lixo para jogar na frente da avenida fazendo de lixão, sou pobre mais eu minha esposa mandamos fazer um porta lixo para que não jogasse na rua não estou defendo prefeito até mesmo porque graças a Deus nunca precisei mesmo de prefeitura a questão é que é o povo que suja a própria cidade que mora.

  1. Ceiça disse...:

    Eu não me surpreendi, sinceramente já esperava pois nunca me passou confiança desde a sua candidatura.Infelizmente foi eleito por causa do padrinho político do nome de família.O povo seguiu como uma manada Tão o resultado.

  1. Ceiça disse...:

    Eu não me surpreendi, sinceramente já esperava pois nunca me passou confiança desde a sua candidatura.Infelizmente foi eleito por causa do padrinho político do nome de família.O povo seguiu como uma manada Tão o resultado.

  1. Anônimo disse...:

    MAIS UM VERME QUE ENCERRA O MANDATO DE FORMA HUMILHANTE,NUNCA MAIS ESTA FAMILIA GOVERNARÁ CAXIAS.

  1. Anônimo elogia o atual, anônimo critica o atual... não vejo uma coerência.
    Vamos a realidade,
    a farra do dinheiro fácil acabou, os grandes repasses para prefeituras, estas irresponsáveis na quase totalidade, minguou. Não há muita coisa a fazer quando a crise aperta e a arrecadação cai e temos uma máquina dispendiosa, irresponsável, desinteressada para com o erário. Os gestores vivem a segurar ("empregar") aliados, apaniguados e afins em máquinas públicas enquanto estão no poder. Fenômeno nacional e em algumas regiões mais fortes. O que não falta é gente falando de pedir emprego ao prefeito, vereador, secretário etc. mostrando o caráter interesseiro do eleitor. Neste rolo todo uns ganham muito (poucos mas suficiente para afetar a folha de pagamento), outros ganham menos e com certeza estes pesam muito na folha também pois é muita gente. São os contratados, cargos comissionados. Há aqueles que querem a vaquinha, trabalhando para o órgão público (prefeitura, câmara...) com sua empresa de fachada, sem produzir metade daquilo que é remunerado. São os Prestadores de serviços: empreiteiros, caçambeiros, transportadores de alunos, fornecedores e a máquina incha a cada letra que escrevo. Vamos somar a tudo isso os desvios de verbas para interesse próprio e de grupos protegidos... A maioria das prefeituras do MA está numa situação de ruim a pior, o Governador já aumentou impostos e por aí segue.
    Os prefeitos e governadores são políticos querendo dar boa vida para quem se aproxima para conseguir futuros pleitos e nesta ânsia de se manter no poder, para enriquecerem facilmente (vejam o grupo Amorim Coutinho) cometem essas grosserias irresponsáveis onde só quem sofre é a população.

  1. Anônimo disse...:

    Pior q vai o povo gosta de apanha e esquece de td isso e depois ele volta sabe como é o Brasil

Postar um comentário