OTIMISTAS - Assessores de Cleide Coutinho divulgam que ela realizou ato “para turbinar a campanha da chapa oposicionista”

31.7.20

Se depender da colaboração dos blogs oposicionistas em Caxias, a vitória da candidatura comunista na sucessão municipal são favas contadas.

Na tarde desta sexta-feira (31), a turma toda se uniu mais uma vez para divulgar a participação da deputada Cleide Coutinho numa reunião, realizada por videoconferência, com todos os pré-candidatos a vereador do grupo.

O release institucional divulgado pelos assessores virtuais, que recebeu a pomposa manchete “Azeitando a máquina”, fala que aquele foi “o primeiro ato coletivo de organização e mobilização para turbinar a campanha da chapa oposicionista para a vitória em 15 de novembro”.


No texto, lê-se que após a fala de Cleide Coutinho, os participantes da referida videoconferência teriam vibrado, mas, infelizmente, não se tem imagem ou vídeo onde se possa constatar essa suposta vibração.A plateia vibrou com a palestra da deputada e todos saíram muito animados para buscar os votos e mudar a triste realidade em que se encontra a atual administração de Caxias”, diz trecho da publicação.

Se depender de entusiasmo no material que os assessores virtuais oposicionistas divulgam, não terá pra ninguém nas próximas eleições e os candidatos que apoiam serão vitoriosos.

Haja otimismo...

Forte exposição na TV Sinal Verde e apoio maciço de rede de blogs mostra-se incapaz de alavancar candidatura comunista em Caxias

SEM RETORNO / Apesar da superexposição na TV Sinal Verde, Adelmo
Soares não consegue melhorar números em pesquisas

Poucas vezes na história da política caxiense um postulante ao cargo de prefeito obteve, na fase de pré-campanha, uma exposição tão grande na mídia como o deputado estadual Adelmo Soares (PC do B) está tendo desde que anunciou sua intenção de disputar as eleições deste ano.

Com todo o aparato da TV Sinal Verde disponível para uma campanha insana contra as ações administrativas do atual prefeito de Caxias, Fábio sofre uma vigilância constante da emissora claramente oposicionista, que até tenta disfarçar o caráter político do seu jornalismo no noticiário. Ao mesmo tempo em que é implacável com a administração municipal, a emissora é benevolente com o deputado comunista.

Apesar do disfarce no jornalismo político, eis que a emissora criou recentemente um programa onde escancara esse viés oposicionista. Denominado “Linha de Frente”, o programa tem duas premissas principais no seu DNA: desgastar a administração Fábio Gentil e promover a imagem e ideias de Adelmo Soares.

Repórter do Linha de Frente destaca deputado Adelmo Soares nas redes sociais

No ‘jornal oposição’ da TV Sinal Verde, as pautas são claras. Lá, Fábio faz a pior administração da história do município e Adelmo Soares surge sempre com cobranças de suma importância e apresentando ideias fantásticas.

Apesar de Adelmo surgir no “Linha de Frente” como o mago capaz de solucionar todos os problemas administrativos de Caxias, vale um questionamento: onde ele estava no recente governo Léo Coutinho que nada fez para impedir aquele desastre administrativo?

Dia sim, e outro também, a TV Sinal Verde está a serviço dos propósitos oposicionistas, o que faz lembrar a época que era de propriedade da família Coutinho, onde foi apelidada de TV Recalque por não poupar nenhuma ação positiva nos primeiros meses da gestão de Fábio Gentil.

Usufruindo dessa espantosa exibição na TV aberta, o deputado comunista conta ainda com o apoio inconteste de uma rede de blogs oposicionistas que adotam a mesma linha da Sinal Verde: apresentam Fábio como um gestor despreparado e sem apoio popular e Adelmo sempre ganhando destaque nas páginas virtuais com suas ideias e cobranças.

Deputado Adelmo Soares é o principal entrevistado do programa político da TV Sinal Verde

O esforço de guerra da equipe midiática mostrou-se infrutífero até agora, pois nas pesquisas já divulgadas, Fábio Gentil ostenta uma vantagem diante dos demais candidatos jamais vista em nenhum outro pleito nos últimos 40 anos em Caxias.

Esse jornalismo panfletário, que não conseguiu abalar um único milímetro na popularidade de Fábio Gentil, terá que construir, após o resultado das urnas, uma narrativa absurda para justificar as análises infundadas construídas durante os últimos anos.

Apesar de tamanho aparato midiático em prol de um projeto político, projeta-se uma campanha eleitoral com pouca emoção em Caxias.

As grandes e apaixonantes campanhas políticas em Caxias ficaram, definitivamente, no passado.

Educação em tempos de pandemia

30.7.20

Da Coluna do Mário Assunção (Portal Noca) 

Com a redução da curva de mortes e o contágio da pandemia do coronavírus, começa-se a perceber os problemas deixados, que necessitam urgente de soluções. Um grande desafio é a educação em tempos de pandemia. 

Foram criadas ferramentas que ajudam bastante a superar o obstáculo da presença do estudante no colégio. As aulas remotas, ou mediadas por tecnologia, vieram para ajudar o estudante a continuar os estudos à distância, mas com acompanhamento dos professores e respeitando uma pedagogia própria. 

Os estudantes dos ensinos Superior, Médio e Fundamental do 5º ao 9º ano, tiveram seus prejuízos minimizados. O que preocupa bastante são os ensinos Infantil, Fundamental e o do campo. As crianças não possuem capacidade e disciplina de acompanhar o ensino remoto e precisam de um acompanhamento muito próximo, com pedagogia própria dos seus professores. A mesma coisa se observa no Ensino Fundamental, onde o acompanhamento deve ser feito pelos pais ou responsáveis, que muitas vezes não possuem capacidade pedagógica para fazê-lo. 

Mas, o mais preocupante é o ensino da zona rural. A grande maioria dos estudantes da zona rural não possui acesso à tecnologia para poder acompanhar as aulas, tão pouco possui internet ou sinal de celular para tal finalidade. 

Outro fato importante é a escolaridade dos pais ou responsáveis, que não possuem muitas vezes a formação básica para poder acompanhar os seus filhos. Muitas vezes os pais não têm condições nem de ir à escola buscar as atividades dos seus filhos. Assim, faz-se necessária uma ação energética do Poder Público da seguinte forma: 

1 - Imprimir as atividades para os alunos poderem ter acesso; 

2- Colocar plantões com os professores na escola para tirar dúvidas dos pais e alunos; 

3-Colocar os professores para explicarem o desenvolvimento da atividade de forma presencial na escola para os pais ou responsáveis; 

4-Colocar os transportes escolares para levarem os pais dos alunos para a escola para recolherem as atividades, tirarem dúvidas e receberem orientação pedagógica dos professores e da coordenação pedagógica do desenvolvimento das tarefas. 

Dessa forma, a prefeitura irá diminuir o impacto negativo da falta de aulas presenciais nas escolas de nível Infantil e Fundamental e estará salvando a educação de uma geração inteira de caxienses.

Câmara Municipal de Caxias retomará sessões presenciais no mês de agosto

presidente da Câmara Municipal de Caxias (CMC) e vice-prefeito, vereador Catulé (Republicanos) declarou na manhã desta quinta-feira (30), após se reunir com a bancada de vereadores e vereadoras para deliberação de diversos assuntos de interesse do município, que o legislativo municipal voltará a ter sessões presenciais no decorrer do próximo mês de agosto.


Segundo o presidente Catulé, as sessões ordinárias serão retomadas normalmente no plenário da casa, às 18h, mas sem a presença de público, em decorrência da pandemia que ainda está presente no município. Todos os vereadores e funcionários trabalharão seguindo rigidamente um protocolo de segurança, fazendo uso de máscara, álcool em gel e guardando distanciamento social.

"Para que as reuniões funcionem a contento, vamos reorganizar as acomodações do plenário, afim de que nossos parlamentares trabalhem distanciados. Muitos colegas estavam tendo problemas de comunicação. Por isso, a maioria decidiu retomar os trabalhos presencialmente. É lamentável, mas por causa da pandemia, ainda não poderemos abrir as galerias da Câmara Municipal para receber o público", explicou.

Catulé ressaltou que Caxias está passando por um momento muito difícil e, para ele, é hora de todos os seus parlamentares se mostrarem mais presentes e atuantes para lidar com os inúmeros problemas que estão surgindo a todo momento. 

A problemática da saúde foi o assunto mais debatido na reunião de hoje. Contudo, os parlamentares conversaram sobre muitos temas diversos, dentre eles, a distribuição da merenda escolar e o transporte coletivo da cidade. (Ascom/CMC)

Com tradição de disputas políticas acirradas, Caxias caminha para eleição 2020 como a mais tranquila dos últimos 40 anos

Hegemonia de Fábio Gentil em pesquisas pode proporcionar eleição sem muitos sobressaltos

Caxias figura no cenário político maranhense como a terra das disputas políticas mais acirradas no estado.

Essa tradição de “política quente” tem dominado o debate político no Maranhão desde sempre, mas a avaliação dos últimos 40 anos, onde alguns daqueles que participaram ativamente das eleições municipais de 1982 ainda estão vivos para contar a história, merece uma análise desse período.

Na disputa pela Prefeitura em 1982, os políticos de maior expressão daquela época, José Castro/Hélio Queiroz numa chapa e José Gentil/Getúlio Silva noutra, polarizaram aquele pleito vencido por Castro e que ficou marcado por toda uma geração de caxienses pelas fortes emoções provocadas naquela eletrizante eleição.

Em 1988, o então jovem Paulo Marinho trouxe um discurso inovador e protagonizou uma inesquecível disputa pelo comando da Prefeitura de Caxias contra o médico Sebastião Lopes de Sousa, onde sua campanha pela anulação do voto, para com isso forçar uma nova eleição que pudesse participar, consagrou a tradição de disputas políticas na princesa do sertão. O Maranhão inteiro voltou os olhos para Caxias e fomos destaque em rede nacional de televisão. Apesar da grande repercussão, Sebastião Lopes foi eleito, mas teve o mandato marcado por fortes conflitos políticos e veio a ser cassado no último ano do mandato.

Na eleição seguinte, em 1992, Paulo Marinho já era deputado federal (foi eleito em 1990) e finalmente poderia tentar realizar seu sonho de comandar a Prefeitura de sua terra natal. Apesar de favorito, PM tinha pela frente o ex-prefeito Hélio de Sousa Queiroz, o representante do grupo dominante e que tinha entre seus correligionários as lideranças tradicionais de então. Mesmo assim, Marinho foi eleito e fez um mandato, embora inovador e com méritos, mantendo uma beligerância constante contra seus opositores e contra qualquer um que ousasse contrariá-lo.

O estilo de enfrentamento contínuo contra os desafetos, adotado durante a gestão de Paulo Marinho na Prefeitura, motivou a união de praticamente todas as correntes oposicionistas na sua sucessão, com exceção do PT ou um ou outro partido considerado radical, que nas eleições anteriores, e também nas seguintes, não aceitavam compor com agremiações consideradas por eles como reacionárias ou de direita.

Caxias teve em 1996 uma eleição histórica pela cadeira principal do Palácio da Cidade. Novamente o empresário Hélio Queiroz tentava voltar ao comando da Prefeitura, onde havia sido prefeito após o falecimento do titular, José Castro, entre 1985/88.

Indicando o médico Ezíquio Barros como candidato a sua sucessão, era o próprio Paulo Marinho que se apresentava como o protagonista daquele pleito, levando o seu candidato, que apresentava chances ínfimas no início da campanha, a tornar-se prefeito em 1996 por uma pequena margem de votos.

Após um turbulento mandato de prefeito, Ezíquio tem o mandato cassado e as intempéries advindas logo em seguida facilitam a eleição de Márcia Marinho em 2000, cuja vitória foi favorecida pela incapacidade dos adversários em fazer a leitura exata daquele momento político, onde as duas maiores forças da época, Humberto Coutinho e Júnior Martins, também se lançaram candidatos a prefeito.

Mantendo uma forte ingerência junto a esposa prefeita, Paulo Marinho manteve a mesma política de enfrentamento aos adversários naquele mandato e com isso favoreceu a união de praticamente todas as forças oposicionistas em 2004 (exceção do PT) num movimento que novamente chamou a atenção da classe política do Maranhão.

Unidos em torno de Humberto Coutinho, as oposições conquistam a Prefeitura e Caxias assiste ao surgimento de um grande líder. Com seu estilo conciliador, Humberto se reelege em 2008 sem muita dificuldade contra Márcia Marinho, que tentava retornar ao comando do município.

Em 2012 novamente um membro da família Marinho, Paulo Marinho Jr, tenta suceder Humberto Coutinho, que lança o sobrinho, Leonardo, para herdar seu espólio político. Humberto Coutinho novamente colhe os frutos de sua política de conciliação e consegue emplacar o sucessor, que também foi favorecido pela divisão das oposições com a candidatura a prefeito do médico Helton Mesquita.

Na última eleição para prefeito em 2016, Caxias viu a polarização entre 2 candidatos, onde Fábio Gentil aliou-se a família Marinho e ao vereador Catulé, as duas mais importantes forças de oposição, e costurou uma delicada rede de apoiadores em torno de sua candidatura, que embora fosse desigual do ponto de vista financeiro, tinha uma identificação muito forte com os anseios da população.

Fazendo uma gestão marcada pela inabilidade política e os conselhos de assessores amadores, que tinham uma ascensão sobre praticamente todas as suas ações, Leonardo Coutinho, mesmo com um forte poder econômico e político, perde a eleição para Fábio Gentil.

Com uma administração onde o forte apelo popular é uma das suas características, Fábio Gentil usou seu carisma para se tornar uma liderança política de grande influência na região. Fábio foi de certa forma favorecido após a morte de Humberto Coutinho, o único líder político que ainda poderia, pelo menos hipoteticamente, representar alguma ameaça para sua hegemonia na política caxiense.

As vésperas das eleições 2020, os números aferidos em pesquisas de opinião preveem uma vitória avassaladora de Fábio Gentil.

Projetando uma superioridade de 4 vezes a votação para o segundo colocado, as eleições em Caxias tendem a ser tranquilas e de certa forma apáticas, onde o brilho e a atenção de outrora não mais chamarão a atenção dos olhos da classe política do Maranhão.

E essa passividade nas eleições não orna com a tradição política da princesa do sertão.

O que é uma pena...

MATÕES - MPMA solicita proibição imediata de operações bancárias que permitam fusão ilegal de recursos municipais

29.7.20

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) solicitou, na última segunda-feira, 27, a proibição imediata de operações bancárias irregulares, incluindo transferências de recursos de convênios e repasses obrigatórios dos governos federal e estadual para a conta única do Tesouro Municipal de Matões.

A solicitação foi feita em Ação Civil Pública de obrigação de não fazer, com pedido de liminar, de autoria do promotor de justiça Renato Ighor Viturino Aragão, contra o Município e o Banco do Brasil (onde se concentram os recursos municipais).

Segundo o representante do MPMA, a ACP foi motivada pela fusão ilegal de recursos recebidos dos governos federal e estadual com os do Tesouro Municipal. Os valores deveriam estar em contas específicas, separadas por área, mas têm sido transferidos para outras contas da Prefeitura de Matões.

Ainda de acordo com ele, como em muitas cidades, foram encaminhados para Matões muitos recursos para o combate ao novo coronavírus. Entretanto, não se sabe a destinação destes valores porque estão sendo depositados na conta geral do Município, ao invés da conta específica da área da Saúde.

Exemplos desta prática ilegal são as 143 transferências bancárias realizadas, no período de janeiro a abril de 2020, entre as contas do Fundo Municipal de Saúde (FMS) e do Tesouro, totalizando R$ R$ 2.227.453,48.

Para o MPMA, a limitação de operações bancárias, a partir de determinados valores, levou a transferências de contas específicas para “contas de passagem”, como a do Tesouro Municipal. A mistura de recursos torna quase impossível identificar a origem dos valores.

PEDIDOS

As solicitações do Ministério Público incluem a proibição de transferências de valores das contas municipais para destinos não-sabidos, como rubricas de “pagamentos a fornecedores” ou “pagamentos diversos”.

Devem ser proibidos, ainda, saques “em espécie” (mais conhecidos como “saques na boca do caixa”) das contas municipais, pelo prefeito Ferdinando Coutinho e secretários de governo, sob pena de pagamento de multa pessoal a ser definida pela Justiça. Os valores captados devem ser transferidos ao Fundo Estadual de Proteção dos Direitos Difusos.

A Promotoria de Justiça de Matões também solicita a confirmação dos pedidos liminares, ao final do processo. A multa de descumprimento sugerida é de R$ 5 mil por operação ilícita.

Redação: CCOM-MPMA

Catulé recebe proprietários de ônibus do transporte escolar do município

O presidente da Câmara Municipal de Caxias (CMC) e vice-prefeito, vereador Catulé (Republicanos), recebeu na manhã desta quarta-feira (29) em seu gabinete a visita do empresário Francisco da JBF, proprietário da empresa que presta serviço de transporte escolar no município, a JBF Transporte Coletivo e Turismo.

O empresário, que se fazia acompanhar por proprietários de ônibus escolares que atuam no município, se comprometeu a fazer o pagamento antecipado de 15 dias, aos prestadores de serviços de transporte escolar, tendo em vista a pandemia do coronavírus, cujos valores serão descontados dos referidos prestadores quando do início das atividades escolares. (Ascom/CMC)

Mário Assunção afirma que Caxias tem a melhor estrutura contra Covid-19 do interior do Maranhão

28.7.20
Em sua participação na sessão remota da Câmara Municipal de Caxias (CMC) desta segunda-feira (27), o vereador Mário Assunção (Republicanos), que preside a Comissão de Vereadores de enfrentamento à Covid-19 no município, declarou que nenhum governo, seja ele federal, estadual ou municipal, esteve preparado para combater de forma apropriada uma pandemia como a que está presente no mundo atualmente.

Na sua avaliação, mesmo com a oposição pregando o contrário e torcendo contra as ações empreendidas pelo governo municipal, Caxias é a cidade do interior do Maranhão que tem hoje mais UTIs (25) à disposição da população contra a Covid-19, inclusive mais do que a segunda cidade maranhense, Imperatriz, ou Timon, onde toda estrutura disponível é do Governo do Estado.

Segundo Mário Assunção, graças às intervenções da comissão especial de saúde que preside, muitas vitórias já foram alcançadas no município, tanto que agora o nível de portadores de Covid-19 é bem menor em Caxias, do que em São Luís e em Imperatriz. Em dado momento, ele inquiriu: "Qual cidade do interior do Maranhão tem hoje seis unidades básicas de saúde funcionando diariamente até às 10 horas da noite?"

Na opinião do parlamentar, a oposição tem criticado muito o trabalho realizado pela prefeitura, principalmente através do Hospital de Campanha do Centro Médico, mas se esquece que aquele hospital, apesar de instalado, estava sem funcionar já a algum tempo, e que o prefeito Fábio gentil, além de alugá-lo para socorrer comunidade caxiense, teve também que aparelhá-lo com tanque de oxigênio, afim de que sua UTI deixasse de funcionar somente com balas de oxigênio, que duram pouco e têm um custo bem maior.

Para o vereador, montar uma estrutura completa de UTI é algo difícil e dispendioso, pois lá não devem estar presentes apenas só os equipamentos, como respiradores, por exemplo, mas pessoal especializado, insumos para testes e medicamentos. Ademais, além da infraestrutura montada contra a pandemia, a Secretaria Municipal de Saúde tem de cuidar também de 25 postos de saúde, uma unidade de combate a zoonoses, do Hospital Geral, do Hospital Infantil e da UPA, somente com cerca de seis milhões de reais.

"A oposição fala que o serviço prestado pelo Hospital Macrorregional, do Governo do Estado, é muito melhor. Mas lá, todos os meses, chegam 8 milhões de reais para o atendimento", que são um grande ganho para uma estrutura que é muito menor do que a rede de saúde de Caxias.

Mário Assunção enfatizou que de forma alguma concorda com a politicagem exercida pela oposição em Caxias. E foi taxativo: "a oposição já teve a sua oportunidade de atuar em Caxias, e o que nos deixou de presente foi a Maternidade da Morte, na gestão passada, quando centenas de recém-nascidos perderam a vida".

Preocupação com alunos do interior

No final do seu pronunciamento, o parlamentar demonstrou preocupação com os estudantes da zona rural caxiense, os quais, no seu entendimento, precisam de um atendimento mais especializado, uma vez que, por se encontrarem mais privados de recursos, internet por exemplo, já são os docentes que mais estão perdendo com a suspensão do ano letivo. E sugeriu que os ônibus escolares passem a trafegar duas vezes por semana, afim de que seja permitido um certo retorno das atividades pedagógicas nos povoados, enquanto as escolas públicas não retornarem a suas atividades normais por causa da pandemia. (Ascom/CMC)

COELHO NETO - Mais de 260 km de estradas vicinais serão recuperadas através do Projeto Prefeitura na Comunidade/Infraestrutura

Vale destacar que essa não é a primeira vez. Desde o inicio da gestão o prefeito Américo de Sousa manteve um cronograma continuo de serviços de recuperação das vicinais.

A nova etapa do Projeto Prefeitura na Comunidade/Infraestrutura, que tem como foco a recuperação das estradas vicinais, teve início na manhã desta segunda-feira, 27, e beneficiará os povoados Santa Maria, Centro do Rumo, São José dos Teles, Cocal, Baixa Fria, Cafundó, Pindaré e Olho D'água Grande, totalizando 47 quilômetros de serviços nessa região.


"Durante todo o projeto que, contemplará a zona rural do nosso município, serão recuperados 263 km de estradas vicinais, proporcionando melhor trafegabilidade, escoamento da produção e dignidade", destacou o prefeito Américo de Sousa.

O início dos trabalhos nesta etapa contou com a presença de autoridades do poder executivo municipal, vereadores, assessores, lideranças e moradores da região. (Fonte: blog do Raphael Duarte)

Nova pesquisa Escutec confirma favoritismo de Fábio Gentil; reeleição pode ser uma das mais tranquilas do Maranhão

A tendência de que Caxias pode ser palco de uma das vitórias mais acachapantes nas eleições deste ano é constatada em mais uma pesquisa do instituto Escutec.

Sendo a segunda pesquisa do instituto em menos de 15 dias, essa nova sondagem acontece por conta da celeuma provocada por um dos partidos da base de apoio do pré-candidato Adelmo Soares, que alegou um suposto prejuízo ao pecebista, onde o questionário da sondagem anterior não teria respeitado a ordem alfabética na apresentação dos postulantes ao cargo de prefeito.

Nessa nova pesquisa, os números confirmaram o resultado anterior e o prefeito Fábio Gentil está na dianteira com uma margem folgada.

Confira a reportagem do jornal O Estado do Maranhão:

Em nova pesquisa Escutec/O Estado, os números confirmam liderança do prefeito Fábio Gentil (Republicanos) na corrida pela cidade de Caxias. Em três cenários estimulados, Gentil aparece com mais de 60% da opinião dos entrevistados.

O levantamento ouviu 500 eleitores no município nos dias 21 a 24 de julho. O registro na Justiça Eleitoral tem o número MA 00645/2020. O intervalo de confiança de 90% e margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

Na pesquisa Escutec/O Estado há quatro cenários sobre a disputa eleitoral em Caxias. Em todos eles, Fábio Gentil conseguiria ser reeleito. Os percentuais de intenção de votos para o prefeito de 43% até 64%.

Na espontânea, primeiro cenário da pesquisa, Fábio Gentil foi citado por 43% dos ouvidos no levantamento. Ele é seguido pelo deputado estadual Adelmo Soares (PC do B) que obteve 8%. Paulo Marinho Jr vem em seguida com 4%, e Júnior Martins, 3%. César Sabá, Tino Castro e professor Arnaldo Rodrigues aparecem com 1% cada. Não sabe ou não respondeu somaram 39%.

No primeiro cenário estimulado, que tem sete nomes na disputa, Gentil aparece com 60% da opinião dos entrevistados.

No cenário seguinte, com cinco nomes na disputa, o prefeito seria reeleito em Caxias com 64% dos votos. O deputado do PC do B obteve na pesquisa, 16%. Nenhum dos candidatos foi a opção de 11% dos ouvidos na pesquisa e 9% disseram não saber ou não responderam.

Aprovação

A aprovação da gestão de Fábio Gentil em Caxias é de 66% da população de Caxias. Outros 30%  dos entrevistados disseram desaprovar e 4% não sabe ou não respondeu.

Rejeição

Já sobre rejeição, o levantamento mostra que Adelmo Soares tem 28% de rejeição. Não votaria em Fábio Gentil, 16% dos entrevistados. Outros 6% disseram que não votariam em César Sabá e em Júnior Martins. Professor Arnaldo Rodrigues aparece com 4% de rejeição, Luis Carlos Moura com 2%, Tino Castro com 2% e nenhum dos candidatos com 26%. Não sabe ou não respondeu, 9%.

(Fonte: jornal O Estado do Maranhão)

Catulé contesta denúncia contra povoação da zona rural



Habituado mais a intermediar os pronunciamentos dos parlamentares na Câmara Municipal de Caxias (CMC), o presidente da casa, vereador Catulé (Republicanos), não se conteve na sessão remota desta segunda-feira (27) ao ouvir o colega Edilson Martins (PSC) fazer colocações sobre ocorrências na localidade Vila Nova, uma das áreas de sua base política na zona rural caxiense. "Quanto ao povoado Santo Amaro, não digo nada. Mas tenho certeza de que na Vila Nova Vossa Excelência não encontrou isso', disse momentos depois de Martins terminar seu discurso.

Segundo Catulé,o povoado Vila Nova é uma comunidade que tradicionalmente faz questão de resolver seus próprios problemas, postura que já dura cerca de 40 anos. "Lá tem quatro poços artesianos, e nenhum deles foi feito por governo municipal ou estadual, mas pela própria população. Da mesma forma está ocorrendo agora com a ponte. É uma ponte de madeira construída por eles mesmos, na divisa com o povoado Santo Amaro, na qual atualmente só esta passando bicicleta ou moto, por causa de destruições ambientais, decorrentes da ação do homem. Mas digo que a escola da localidade, que é antiga e nunca tinha sido reformada, só agora está passando por uma reforma da gestão municipal", assegurou.

Para o presidente, as palavras do vereador Edilson Martins não podem ser ditas como mentira, ou não. "Se o colega andou por lá, na Vila Nova, teve muita sorte de uma cascavel não morder seu pé", ressaltou, bem humorado, em sua intervenção, como a lembrar dos perigos que estão sujeitos todos aqueles que se sujeitam a andar por lugares que não conhecem.

Intervenções

Na sessão desta segunda-feira, Catulé fez ainda duas intervenções em meio ao pequeno expediente. Na primeira, elogiou o posicionamento do vereador Repórter Puliça (PL), que cobrou mais representatividade aos nomes dispensados aos logradouros públicos de Caxias. "A cidade possui nomes de ruas sem a menor representatividade, e por isso acabam vistas, sendo identificadas, de diversas maneiras por instituições distintas, favorecendo a confusão de endereços, por exemplo. Entendo que o Poder Legislativo e a Prefeitura Municipal têm que corrigir isso. Agora, mesmo, substituímos a denominação de uma rua batizada com o endereço de uma residência, no bairro Itapecuruzinho, dando-lhe o nome do ex-vereador Nezinho Moura, empresário e homem público de valor para a história de Caxias", salientou inicialmente.

Depois, antes de encerrar a sessão, anunciou que recebeu a sugestão de vários colegas pedindo o retorno das sessões presenciais na casa, embora Caxias ainda esteja vivenciando a pandemia do novo coronavírus. Enfatizando que não tinha intenção de decidir sozinho a proposição, marcou para o decorrer da semana uma reunião com toda a bancada para discutir a matéria. (Ascom/CMC)

Começa implantação de piso intertravado no bairro Teso Duro em Caxias

27.7.20

Os trabalhos de implantação de piso intertravado no bairro Teso Duro estão sendo feitos na Rua 24 de Março. Aos poucos os moradores veem uma nova rua aparecendo, graças ao trabalho dos profissionais da Secretaria Municipal de Infraestrutura. Maria de Lurdes, que há mais de 20 anos reside na comunidade, fica feliz em ver a transformação acontecendo.

“Eu moro aqui há mais de 20 anos e antes era só poeira. Agora com a implantação do piso vai ficar muito bom”, diz a moradora.

A cada metro avançado, a antiga rua com poeira e lama fica apenas na memória. Raimundo Rodrigues, que veio passar uns dias na casa de parentes na mesma rua, ficou surpreso quando chegou e viu os trabalhos acontecendo. Para ele, o momento é de felicidade em ver que o sonho dos moradores está se transformando em realidade.

“Achei diferente quando cheguei. Está bonito. Eu agradeço muito à prefeitura pelo serviço”, afirma o morador de Gonçalves Dias (MA). (Ascom)

Catulé recebe propostas de artistas reivindicando mudanças na composição do Conselho de Cultura


O presidente da Câmara Municipal de Caxias (CMC) e vice-prefeito, vereador Catulé (Republicanos), recebeu na manhã desta segunda-feira (27), no plenário da sede do legislativo municipal, uma delegação de 14 representantes de diversas manifestações culturais caxienses. O grupo visitou o presidente para pedir o apoio da CMC no sentido de que sejam alterados alguns tópicos da Lei Municipal nº 1.717/2008, que rege atualmente o Conselho Municipal de Cultura de Caxias. Na ocasião, foi oferecida uma proposição de projeto de lei, que o vereador repassou à sua assessoria jurídica para estudo de viabilidade da matéria.

De acordo com o agente cultural Wiliam Ghilardi, que falou pelo grupo, a principal reivindicação consiste em alterar de 16 para 20 membros o número de representantes do colegiado. Dez membros corresponderiam à presença do poder público, através das secretarias municipais de Cultura, Educação, Juventude, Mulher, Meio Ambiente, Gabinete do Prefeito, Infraestrutura e Urbanismo, Fazenda e Assistência e Desenvolvimento Social.

Já os outros dez membros, da parte da sociedade civil organizada, seria de representantes de música, escolas de samba, dança, teatro, povos tradicionais de matriz africana, Instituto Histórico e Geográfico de Caxias, artes visuais, dentre outras manifestações que realmente espelhem a representatividade do movimento cultural caxiense.

"Nós já havíamos tentado em outra oportunidade. O prefeito Fábio Gentil foi sensível ao nosso pleito, mas esbarramos em desentendimentos e ausência de participação de alguns setores que nem estavam muito atrelados com a causa da cultura de Caxias, porque não indicaram membros. E isso inclusive impediu que o prefeito fizesse a alteração na lei, fato que estamos corrigindo agora, apontando nominalmente quais representações da sociedade civil devem compor nosso conselho cultural, para que ele seja mesmo um órgão fiscalizador, normativo, propositivo e deliberativo", explicou Wiliam.

Catulé lamentou que uma certa desorganização tivesse prevalecido no meio cultural caxiense, ao ponto de só, agora, o movimento tenha chegado a propor mudança numa lei que é do ano de 2008. Não obstante, deixou claro que gostou de receber mais uma vez a delegação de artistas, porque sentiu que ali realmente se encontravam lideranças que correspondiam efetivamente ao meio.

"A iniciativa dos artistas é correta, pertinente e representa de forma unânime o interesse da classe. E se ninguém está contra essas mudanças, a parte legislativa competirá a esta casa fazer. Devemos levar a proposição à consideração dos vereadores e vereadoras assim que a parte jurídica nos garantir que a proposição pode ser apreciada. Não vejo motivo para não colocá-la em votação muito brevemente, até mesmo dispensando certos interstícios regimentais, a fim de que a mesma possa assegurar aos nossos artistas os benefícios que lhes são concedidos pela Lei Aldir Blanc, uma ajuda que o governo federal oferece a toda classe artística nessa época de pandemia", ressaltou o presidente Catulé.

(Ascom/CMC)

ADESIVAÇO - Evento de Adelmo Soares em Caxias rende fotos para o facebook

O entusiasmo da deputada Cleide Coutinho foi registrado em várias fotos

Com a expectativa de ser um grande evento político, o “adesivaço”, promovido na manhã deste domingo, 26, pelo pré-candidato a prefeito, Adelmo Soares, não teve o resultado esperado pelos organizadores.

Para quem aguardava um grande número de veículos enfileirados para serem adesivados, e a imagem render fotos impactantes, teve que se contentar com fotografias do pré-candidato a prefeito e os demais pré-candidatos a vereador fazendo o sinal positivo.

Até os motoristas que ali estavam para receber o adesivo do intitulado “movimento 65” eram, em sua maioria, dos próprios pré-candidatos a vereador do grupo, o que demonstra o tamanho da empolgação dos caxienses em ostentar o número do comunista no seu veículo.

O prefeito de Matões, Ferdinando Coutinho, estava lá e deve ter saído da Avenida Beira Rio com o seu diagnóstico da situação. Quem o conhece sabe da sua sinceridade ao falar sobre os temas políticos locais e não custa nada lhe perguntar sobre o que sentiu e o que viu.

Nas redes sociais, Adelmo fez uma avaliação positiva do evento: “O Adesivaço do 65 fez bonito em Caxias! É o #Movimento65 tomando conta das ruas da Princesinha e mostrando que quem tem trabalho, perseverança, fé e compromisso com o povo, tem o apoio dos caxienses.”

Na maioria das pesquisas divulgadas até o momento, o comunista Adelmo Soares crava 15% de preferência dos entrevistados para o cargo de prefeito de Caxias.

Com o “adesivaço” deste domingo, espera-se uma movimentação nos números do pré-candidato nas próximas aferições.

Ele está precisando e os correligionários estão cobrando.

Força, Adelmo!



Atividades comerciais voltam a funcionar das 8h às 18h a partir de segunda-feira (27)

25.7.20

O novo Decreto nº 200 da Prefeitura de Caxias, publicado nesta sexta-feira (24), altera o funcionamento das atividades comerciais constantes nos decretos 93, 94, 126, 143 e 185, que têm por objetivo conter o avanço do novo coronavírus. Com as novas determinações, fica reiterado o estado de calamidade por conta da covid-19 e ficam mantidas por tempo indeterminado as medidas restritivas de cuidados contra o novo coronavírus.

ATIVIDADES COMERCIAIS

Conforme está descrito no decreto, a partir deste sábado (25), o horário de funcionamento do comércio será das 8h às 12h. Já a partir da próxima segunda-feira (27), a abertura acontece a partir das 8h até às 18h, de segunda a sexta-feira. No shopping center da cidade, o funcionamento será das 10h às 22h. Fica proibido o funcionamento das áreas de conveniências, praça de alimentação e cinema. As demais atividades precisam seguir as recomendações preventivas.

ATENDIMENTO EM AGÊNCIAS BANCÁRIAS

As agências bancárias continuam o atendimento com base nas iniciais dos nomes dos clientes, respeitando dias diferentes da semana:

1.    SEGUNDA-FEIRA – Público com iniciais de A até E;
2.    TERÇA-FEIRA – Público com iniciais de F até J;
3.    QUARTA-FEIRA – Público com iniciais de K até N;
4.    QUINTA-FEIRA – Público com iniciais de O até S;
5.    SEXTA-FEIRA – Público com iniciais de T até Z.

O decreto municipal também estabelece que o não cumprimento das determinações pelas instituições bancárias pode resultar em multa no valor de R$ 2.000,00 por cada ato de descumprimento.

AGORA VAI!!! Blogs oposicionistas agem em sintonia para anunciar a boa nova do grupo Coutinho/Soares

24.7.20
No início da noite desta sexta-feira, 24, todos os blogs oposicionistas de Caxias agiram em sintonia para anunciar a grande novidade do grupo: Ironaldo Alencar será o coordenador da campanha de Adelmo Soares, pré-candidato a prefeito de Caxias.

Tratado a pão-de-ló pelos blogueiros, o bom trânsito do coordenador no campo político local e até sua amizade com o governador Flávio Dino receberam destaque nas análises dos influenciadores digitais caxienses.

As qualidades de Ironaldo descritas nas matérias dos blogueiros condizem com a verdade: o ex-vereador é articulado, possui bom trânsito no meio político local e até mesmo a amizade com Flávio Dino fazem parte dos seus atributos.

Os colegas só esqueceram de dar uma pitada de opinião: a tarefa é árdua e Ironaldo não faz milagres.

LAÇOS DE FAMÍLIA - Partido que tentou tumultuar pesquisa que poderia beneficiar Adelmo é presidido por um irmão do próprio

É comum se ouvir falar de “fogo amigo” na política, que é quando os próprios aliados conspiram uns contra os outros na tentativa de conseguir mais espaço (leia-se benefícios) no grupo onde militam. Mas em Caxias esse “fogo amigo” acaba de ganhar outro significado, pois o ato de tentar prejudicar um correligionário partiu da família do mesmo.

No estranho episódio de tentar ter acesso a pesquisa Escutec que poderia beneficiar o candidato do PC do B para prefeito de Caxias antes mesmo da sua publicação, inclusive com a identificação dos entrevistadores, o presidente da agremiação política (PROS) que acionou a Justiça Eleitoral é um irmão do pré-candidato a prefeito Adelmo Soares, o odontólogo Alberto de Andrade Soares.

O benefício para o candidato pecebista nessa nova pesquisa se daria a partir de um entendimento do próprio advogado do PROS, que sustentou em questionamento da primeira pesquisa que o fato do nome de Adelmo não estar apresentado no questionário oferecido aos entrevistados obedecendo a ordem alfabética, poderia lhe trazer prejuízo.

Na primeira incursão na Justiça Eleitoral o PROS até chegou a obter êxito, mas a decisão favorável não chegou a ser cumprida devido ao tempo exíguo entre o cumprimento da decisão judicial e a impressão da edição do jornal O Estado do Maranhão, contratante da pesquisa Escutec e que a veiculou no domingo.

Em nova pesquisa Escutec, onde o próprio instituto é o contratante da mesma, fez-se exatamente o que o Partido Republicano da Ordem Social – PROS, pleiteava na contestação judicial da sondagem anterior.

As novas alegações do advogado contratado pelo irmão de Adelmo Soares, o mesmo que peticionou contra a primeira pesquisa, deixaram vários advogados perplexos diante dos argumentos. “... serve a presente tutela de urgência preparatória para requerer o pleno acesso ao sistema de controle interno da pesquisa ora registrada, inclusive com os registros de datas e localização via gps das entrevistas”, pede o advogado do PROS, o ex-procurador do município de Caxias, James Lobo.

A magistrada que julgou a Ação foi didática ao proferir sua decisão, onde explica até mesmo qual o procedimento cabível no caso. “Como se verifica o meio procedimental adequado para o acesso aos dados referentes a uma investigação de opinião eleitoral dá-se através de mero requerimento, sem que haja a necessidade de ajuizamento de Representação Eleitoral e menos ainda, pedido de concessão de tutela de urgência”, ensina ela que faz ainda outra observação relevante: “Ademais, o partido Representante só poderia alegar fraude e repetição na pesquisa após ter acesso aos dados definitivos do levantamento, oportunidade em que teria verdadeiras condições de comparar dados e resultados e poder concluir que houve manipulação ou irregularidades de outra ordem”, diz a Juíza da 4ª Zona Eleitoral de Caxias, Marcela Santana Lobo em outro trecho da sua sentença.

Todos em Caxias sabem a forma como a família de Adelmo Soares é unida e trabalha em torno dos mandatos conquistados por ele desde que o mesmo ascendeu na política, o que até já rendeu um ‘carinhoso’ adjetivo quando a classe política no município se refere ao clã.

Não quero crer que haja algum tipo de conflito de interesses na família do candidato do PC do B a prefeito de Caxias.

Aposto que o presidente do PROS, que é irmão de Adelmo, foi induzido ao erro na avaliação de tentar colher alguma intempérie jurídica em relação a nova pesquisa Escutec, que tem o mano como primeira opção nos diversos cenários pesquisados, o que pode lhe ser bastante favorável.

Mas eles são cristãos.

Precisam renovar a fé.

E também os argumentos jurídicos...

UPA/Caxias consegue pela primeira vez zerar a quantidade pacientes internados com covid-19


Paciente recebendo alta na UPA/Caxias após vencer a batalha contra a covid-19

No começo do atendimento aos pacientes com covid-19, assim que a pandemia teve início, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caxias era praticamente a única unidade para o atendimento aos pacientes com síndromes gripais ou casos confirmados para a covid-19, o que fez com que houvesse uma grande procura pela unidade, que em muitos momentos operou em sua capacidade máxima. No mês de junho, com a abertura das atividades, por exemplo, a UPA estava com praticamente todos os leitos ocupados.

A abertura dos atendimentos no Centro Médico, hospital de campanha alugado pela Prefeitura de Caxias, a abertura da UTI para pacientes com covid-19 no Complexo Municipal Gentil Filho, somados a outros esforços, como o da Atenção Primária, que fornece a medicação já na Unidade Básica de Saúde para o tratamento dos primeiros sintomas apresentados pelos pacientes, foram medidas que ampliaram o raio de atuação e a capacidade da rede municipal de saúde.

Todas estas medidas foram importantes e continuam funcionando com sucesso, a tal ponto que fez com que a UPA, tanto por meio de altas médicas, quanto pela transferência (regulação) de pacientes para os demais hospitais da rede de saúde, chegasse nessa terça-feira (21) a zerar a quantidade de pacientes na unidade e, nesta quarta-feira (22), estivesse com apenas um paciente internado, dando assim uma dinâmica de trabalho mais estabilizada para todo o serviço de saúde, que, funcionando em sintonia, consegue dar agilidade e maior resolutividade aos casos de pessoas que precisam enfrentar a covid-19.

A UPA é a unidade de saúde referência no município para atendimento de casos de pacientes suspeitos e confirmados com a covid-19. Para o diretor da UPA, Dr. Leosk Pinto, o momento é representativo, pois mostra o esforço da gestão municipal em oferecer o melhor atendimento aos caxienses, mobilizando todos os esforços para atingir este objetivo.

“É com satisfação que venho expor que nesta terça-feira conseguimos pela primeira vez zerar o número de leitos na UPA. São 5 leitos de UTI e 20 leitos de enfermaria covid-19 sem nenhum paciente. Sabemos que estamos numa guerra contra um inimigo malicioso e covarde. Sabemos que em toda batalha, infelizmente, existem perdas, mas hoje mais do que nunca podemos ter a certeza em afirmar que a UPA de Caxias é a UPA da recuperação”, explica o diretor.

Ele agradece a Deus, a todos os colegas de trabalho e à gestão municipal, que não tem medido esforços para oferecer aos caxienses um atendimento de excelência, enfrentando com responsabilidade a gravidade da doença.

“Um agradecimento sempre em primeiro lugar a Deus, aos nossos funcionários, à gestão municipal, que me possibilitou autonomia e condições de trabalho. Sozinho ninguém vence uma guerra, mas com cautela e comprometimento conseguimos hoje diminuir praticamente a zero esses leitos ocupados na UPA”, afirma Leosk Pinto.

Ele reforça que o momento ainda é de muita atenção e, por isso, a população deve continuar tomando todos os cuidados para evitar adoecer. O momento é de união de esforços, da gestão e da comunidade, com o uso de máscaras faciais, álcool em gel 70%, lavar as mãos com água e sabão sempre que pegar em alguma superfície, manter o distanciamento social, dentre outras medidas de segurança.

“Porém, é importante ressaltar à nossa população que ainda precisamos ter total cautela, pois, como disse, é um inimigo covarde. Por isso devemos seguir todos os cuidados”, alerta o diretor da UPA.

(Ascom/PMC)

SURREAL!!! Partido que apoia Adelmo Soares agora quer impedir pesquisa que pode lhe favorecer

23.7.20

O deputado estadual Adelmo Soares precisa ter uma conversa séria com os aliados que controlam o Partido Republicano da Ordem Social – PROS em Caxias, pois os mesmos parece que não estão dispostos a colaborar com a sua pré-campanha a prefeito do município.

É que depois que o mesmo PROS acionou a Justiça Eleitoral na semana passada tentando impedir a divulgação de pesquisa contratada pelo jornal O Estado do Maranhão junto ao instituto Escutec, alegando que a exibição dos candidatos no questionário apresentado aos entrevistados não obedecia a ordem alfabética, e que isso, supostamente prejudicaria o pré-candidato Adelmo Soares, eis que novamente o diretório do PROS tenta impedir mais uma pesquisa Escutec, sendo que a nova aferição fez o questionário colocando justamente Soares como primeira opção em todos os cenários disponíveis.

Ora, se a pesquisa questionada era somente pela apresentação dos candidatos não respeitar a ordem alfabética, essa que vai ser divulgada no próximo dia 27 pelo mesmo instituto repara justamente esse hipotético prejuízo, não sendo lógico tentar barrar algo que poderia beneficiar Adelmo Soares, candidato a prefeito apoiado pelo PROS em Caxias.

Difícil entender a lógica dos apoiadores do candidato a prefeito do PC do B em Caxias, pois se a pesquisa pode beneficiá-lo, como tentar impedir algo que seria positivo na sua difícil empreitada rumo a Prefeitura de Caxias?

Falta uma estratégia coerente na oposição caxiense, pois os questionamentos feitos até o momento se mostram infrutíferos.