Realizada audiência pública na Câmara de Caxias sobre danos causados pelo flúor

28.11.19

Por proposição do vereador Magno Magalhães (PSD), a audiência pública realizada no plenário da Câmara de Caxias, na noite desta quarta-feira (27), tratou sobre os danos causados pelo flúor.

"Na condição de médico, professor e vereador-presidente da Comissão de Saúde desta Casa, senti-me na obrigação cívica, médica e política de trazer esta discussão em âmbito público, objetivando esclarecer dúvidas e suscitar alternativas viáveis para melhorar nossa saúde coletiva", justificou Magno Magalhães.

Segundo o parlamentar, "depressão, câncer, infertilidade, fraturas espontâneas, artrite, fluorose dental e óssea, hipotireoidismo, são algumas doenças causadas pelo uso do flúor. Em Caxias, a concentração de flúor no tratamento da água pelo SAAE é de 0,6 até 0,8 ppm, nível suficiente para causar danos à saúde".

O evento contou com a participação do coordenador de Produção e Qualidade do SAAE, o químico industrial Mauro Viana. "O SAAE, como qualquer sistema de abastecimento de água no Brasil, segue leis, e a lei que rege a portabilidade da água é a 2914/2011, do Ministério da Saúde, que obriga a fazer o processo de fluoretação da água, sendo que essa adição tem um limite", explicou ele, acrescentando que levará à direção da autarquia sua sugestão de reduzir o ppm para 0,4 ou 0,5, "para permanecer na portaria e ao mesmo tempo beneficiar a saúde".

O vereador Neto do Sindicato (PC do B) parabenizou o autor da proposição pelo assunto abordado, "que com certeza não ficará só em Caxias. A partir desta audiência, o Brasil inteiro começará a discutir sobre o flúor".

Na ocasião, o líder do governo, Sargento Moisés (PSD), criticou a ausência da líder da oposição, Thaís Coutinho (PSB), na audiência. "A vereadora também é membro da Comissão de Saúde, a que mais fala de saúde, principalmente quando é para criticar, mas para trazer soluções não traz", declarou.

Vereador Ramos (SD) indagou sobre como o flúor é considerado o elemento mais eletronegativo de todos os componentes químicos e quanto à retirada do flúor no tratamento da água no município.

Para o vereador Darlan (PHS), "o que foi tratado na audiência já é o suficiente para entendermos os danos com o flúor aplicado na água encanada de muitos lares brasileiros, bem como o creme dental que consumimos todos os dias. Magno Magalhaes é audacioso em levantar este tema".

A palavra foi franqueada ao público na galeria. A psicóloga Auxiliadora Andrade e a enfermeira Nobilina Magalhães elogiaram o debate e a solução proposta pelo representante do SAAE. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário