Palestra na Câmara Municipal destaca contribuição de Caxias para o Brasil

20.11.19

Evento aconteceu numa parceria da Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama) com o Poder Legislativo.

O jornalista, escritor e administrador Edmilson Sanches ministrou na noite de terça-feira (19), no plenário da Câmara Municipal, uma palestra ressaltando a contribuição do município de Caxias para o Brasil. O evento aconteceu numa parceria da Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama) com o Poder Legislativo.

A palestra fez parte da programação de eventos da Asleama em homenagem ao filósofo e matemático caxiense Raimundo Teixeira Mendes, criador da Bandeira Brasileira, cujo dia nacional transcorreu nesse 19 de novembro. Confrades e confreiras da academia ocuparam assentos no plenário da Câmara.

"Que minhas palavras sejam de gratidão à prontidão com que esta Casa, que é a Casa do Povo, por meio do Sargento Moisés (PSD) e do vereador Catulé (PRB), atendeu ao nosso convite, convite da Casa de Teixeira Mendes, tomando todas as providências para que este momento de solenidade e de sadio orgulho ocorresse", frisou o presidente da Asleama, professor Guilherme Sousa.

Segundo Edmilson Sanches, "o passado é o presente de maior futuro de Caxias e do nosso Maranhão. Esta palestra é um tributo à inteligência, ao talento, à cultura e ao conhecimento".

Para o vereador Darlan (PHS), "nesses quase três anos na Câmara, a maior alegria que teve foi no dia quando recebeu o diploma e agora com essa palestra, trazendo tudo o que é a cidade de Caxias".

Ramos (SD) declarou ter se emocionado com a apresentação. "Você, Edmilson Sanches, é um arquivo vivo da nossa cidade. Foi uma das maiores aulas de história que já tive", afirmou o parlamentar.

Vereador Magno Magalhães (PSD) disse que saiu dali mais caxiense, mais responsável, mais humano e mais político ainda, ao rever o nosso passado glorioso e, na maioria das vezes, esquecido de forma brutal e premeditada.

Sargento Moisés, que presidiu a sessão solene, ressaltou que "a importância da Asleama para nossa cultura reside no fato de estimular o desenvolvimento da literatura no município, além de premiar os méritos dos mais destacados cultores das letras e da arte em Caxias e região".

Caxienses ilustres

O caxiense Raimundo Teixeira Mendes, além de autor da Bandeira nacional, contribuiu para a criação de diversas Leis em benefício, por exemplo, de trabalhadores, doentes mentais, menores, índios, além de ter sido o redator da Lei que fez a separação da Igreja do Estado, o que permitiu que todo brasileiro pudesse escolher sua própria religião ou até não ter uma.

Além de Teixeira Mendes, diversos outros filhos de Caxias utilizaram seu talento, tempo, esforço e outros recursos para o desenvolvimento de atividades pioneiras no Brasil em diversas áreas. Coelho Netto, conhecido como escritor, foi indicado diversas vezes ao Prêmio Nobel, foi responsável pela dignificação da capoeira como esporte e arte, além de ter sido o introdutor do cinema seriado no Brasil.

Mais do que escrever livros, filhos caxienses criaram escolas literárias, como o Indianismo, de Gonçalves Dias; o Parnasianismo, de Teófilo Dias; o Modernismo nas Artes Plásticas, com Celso Menezes. É também de Caxias Aderson Ferro, considerado "Glória da Odontologia Brasileira", autor do primeiro livro sobre a Arte Dentária no Brasil, no século 19.

Outro caxiense, João Cristino Cruz, é o criador do Ministério da Agricultura. Por sua vez, o caxiense Sinval Odorico de Moura era conselheiro do Império e administrou quatro estados (províncias). Caxienses como Carlos Gomes Leitão foram fundadores de cidades, no caso, Marabá, no Pará.

O advogado caxiense João Mendes de Almeida foi redator da Lei do Ventre Livre. Ubirajara Fidalgo, teatrólogo caxiense, foi o primeiro dramaturgo negro do Brasil. Mãe Andresa Ramos foi líder espiritual estudada por antropólogos e sociólogos e outros estudiosos de diversos países. José Murilo Martins foi médico pioneiro na implantação da Hematologia no estado do Ceará. Armando Maranhão estudou com os maiores gênios do cinema da Europa e é considerado a "Pedra Angular do Teatro Paranaense". Outro caxiense, Joaquim José de Campos Costa de Medeiros e Albuquerque foi o responsável pela realização do primeiro Censo demográfico do Brasil, em 1872, hoje realizado de dez em dez anos, como ocorrerá em 2020.

Outros nomes foram elencados por Edmilson Sanches, como demonstração da forte participação de Caxias na construção da identidade brasileira. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário