Secretaria do Turismo promove programação especial em comemoração ao Dia do Artesão

20.3.19

A Setur organizou palestras direcionada aos artesãos que expõem no Ceprama.

Com programação especial em alusão ao Dia Mundial do Artesão, a Secretaria de Estado do Turismo (SETUR), organizou, na terça-feira, 19 de março, palestras direcionada aos artesãos que expõem no Centro de Promoção Artesanal do Maranhão (Ceprama).

Além da produção manual e a exclusividade das peças, o artesanato se reinventa ao agregar valores como inovação e empreendedorismo. Esses foram alguns dos temas discutidos durante a atividade. Para o professor do SENAI, Jean Sandis, a moda e a economia criativa estão em alta. “Com a valorização da economia criativa e a continuidade de capacitações como essa, esses profissionais se fortalecem para apresentar um produto de maior qualidade e, contribuem, com sua arte, para a economia do estado”, assegurou o palestrante.

O artesanato é uma importante ferramenta de promoção do Maranhão e de geração de renda, e, segundo o secretário da SETUR, Catulé Junior, o CEPRAMA é um espaço especializado para essa prática. “O Governo do Estado reconhece a importância de enaltecermos nossos regionalismos e a prática artesanal buscando estruturar e promover a nossa arte. Tão logo assumi a gestão da secretaria fiz questão de visitar o Ceprama, local que considero histórico e que será incluído em nos nossos esforços de ampliar a divulgação e o apoio à comercialização do artesanato como um todo”, afirmou o gestor estadual do Turismo.

O CEPRAMA transformou a vida da artesã Rosinete Batista Aguiar que trabalha há 20 anos no local e onde conheceu o esposo, também artesão. A artesã trabalha com produtos que retratam a cultura maranhense, usando fibras de buriti, cerâmica, madeira, bordados. “A época junina é o período que nosso artesanato é mais procurado pelo turista que vem ao Maranhão apreciar a nossa cultura e nossos costumes populares, os bordados em camisas, bumba meu boi, pregoeiros são os produtos que mais vendo”, conta Rosinete.

Já o artesão Carlos Alberto de Souza, 58 anos, utiliza o chifre de boi como matéria prima, produzindo copos, indumentárias, colares, pentes e braceletes. “Eu comecei o oficio aos 10 anos de idade, seguindo o trabalho de um tio piauiense, com o tempo fui aprimorando algumas técnicas e produtos que comercializo aqui no Ceprama que é a nossa segunda casa”, afirma agradecido.

Ceprama

Fundado em 1989, o Ceprama conta com uma feira permanente de artesanato que funciona de segunda a sábado, das 9h ás 17h30. Além dos estantes dos artesãos Carlos Alberto e Rosinete Batista, os visitantes podem conhecer mais 36 estandes que comercializam produtos em fibras de buriti, azulejaria, vime, fibra de tucum, chifre, especiarias, telas pintadas a óleo, rendas, doces e licores, madeira e cerâmica, além de bebidas regionais, vestuário e indumentárias de grupos juninos. (Setur)

0 comentários:

Postar um comentário