Darlan chama críticas de Thais Coutinho de “lenga-lenga” e dispara: “Uma mentira muitas vezes dita se torna verdade e temos que rebater muitas coisas que não são verdade”.

19.6.18
Com a proximidade da audiência pública para discutir o serviço de oncologia prestado
pelo governo do  Estado em Caxias, Thais Coutinho tenta mudar o foco e inserir a saúde
municipal nas discussões, mas é constantemente lembrada da herança maldita
deixada pelo seu primo Léo Coutinho

Ao usar a tribuna da Câmara Municipal nesta segunda-feira, 18, o vereador Darlan Almeida foi preciso ao tecer comentários sobre as insistentes críticas da colega Thais Coutinho sobre a saúde do município. “Uma mentira muitas vezes dita se torna verdade e temos que rebater muitas coisas que não são verdade”, iniciou Darlan que em seguida resgatou toda a problemática do setor em Caxias desde a posse do prefeito Fábio Gentil. “... Por exemplo, o Hospital Geral, quando o prefeito Fábio Gentil assumiu, estava fechado, completamente abandonado”, lembrou ele. “Findada as eleições de 2016, com o candidato do governador derrotado, esse contrato [com o muncípio] acabou”, continuou o governista ao falar do contrato entre o governo do Estado e o município para manutenção da UPA. “Ele [governador Flávio Dino] não renovou o contrato e o governo Fábio Gentil teve que assumir essa despesa, até porque a saúde não pode esperar”.

Ainda sobre a UPA, Darlan destacou o trabalho do prefeito Fábio Gentil para conseguir habilitá-la junto ao governo federal, o que possibilitou a contrapartida do Ministério da Saúde para seu funcionamento. “Em 2017 o prefeito conseguiu regular a UPA em Brasília e até hoje ele [governador Flávio Dino] não honrou seu compromisso”, disse Darlan sobre o custeio da Unidade de Pronto Atendimento, que deveria ser feito entre a União, Estado e Município, mas que até hoje não tem a contrapartida estadual. “E hoje é mantida apenas com o [recurso] municipal e federal”.

Sobre o Hospital Geral do Município, que fora fechado na gestão do prefeito Léo Coutinho, e que na época tinha o esposo da vereadora Thais Coutinho como o todo poderoso subsecretário de Saúde do município, Darlan ressaltou o investimento que está sendo feito. “Sem contar que o Hospital Geral está recebendo um grande investimento com recursos próprios, e que será ampliado em mais de 5 mil metros quadrados”, enfatizou o parlamentar governista que continuou: “Esse Hospital Geral está sendo ampliado com recursos próprios, sem ajuda do Governo do Estado, sem ajuda de Governo Federal”.

Outro ponto abordado por Darlan Almeida, e que muito representa para a saúde do município, foi a Maternidade Carmosina Coutinho que, mesmo com as quantias vultosas de recursos recebidos na gestão anterior, não recebe a mesma atenção por parte do governo do Estado. “E sem contar que até dois anos atrás a [Maternidade] Carmosina Coutinho recebia R$ 1.350.000,00 (hum milhão e trezentos e cinquenta mil reais) por mês”, lembrou o vereador sobre os altos valores recebidos pelo então prefeito Léo Coutinho para o custeio daquele hospital, mas que na gestão de Fábio Gentil, essa ajuda foi cortada pela metade (R$ 675.000,00) e só voltou a acontecer após o oitavo mês da atual administração.

Sucesso dos Jogos Escolares

“Voltando ao tema, gostaria de parabenizar o prefeito Fábio Gentil, e toda a Secretaria de Esportes, por realizar os maiores jogos [escolares] da história de Caxias, que foram um sucesso”, disse ele que aproveitou para elogiar os alunos do povoado Nazaré do Bruno pela performance na competição. “Veio com força total e faltou pouco para ser campeão e ficou em terceiro lugar no futsal infantil”.

A grande participação dos estudantes, segundo Darlan, mostrou a credibilidade da gestão Fábio Gentil. “Nós praticamente triplicamos o número [de atletas] inscritos [nos jogos escolares]”.

“A última edição [dos Jecs] na gestão anterior eram 900 atletas inscritos oriundos de 40 escolas; em 2017 foram 1.847 atletas/alunos com 64 escolas e em 2018, a credibilidade foi tão grande obtida no ano passado que esse ano foram inscritos 2.507 alunos de 73 escolas, sendo 37 escolas municipais, uma federal, 4 escolas particulares e 31 escolas estaduais, contando com 501 partidas”, disse o vereador satisfeito com o grande público presente ao evento. “Estima-se uma média diária de 2 mil pessoas estavam acompanhando os jogos somente no Ginásio João Castelo, sem contar nas demais praças esportivas da cidade”, ressaltou. “Isso prova que as pessoas que estão ali tem responsabilidade”, acredita o vereador que parabenizou a todos os envolvidos na preparação e organização do evento. “Os vigilantes, os zeladores, o secretário Artur Quirino e o adjunto Adelson Pedrosa, o coordenador de esportes Edil Matias e o Charles Barros, aquela pessoa que, mesmo com dificuldades de locomoção, é uma das mentes brilhantes do esporte de Caxias e a todos que fizeram o sucesso dos jogos escolares”.

0 comentários:

Postar um comentário