Governo Flávio Dino distorce dados da saúde e deixa claro que ajuda para Caxias, “só com um Coutinho na Prefeitura”

27.6.17
Só ‘ajudam’ se Fábio Gentil entregar a Maternidade Carmosina Coutinho para ser cabide de empregos do grupo derrotado nas urnas

Matéria produzida pelo Palácio dos Leões deixa claro que, para o governo
Flávio Dino, só existe família Coutinho em Caxias

Através de uma matéria publicada num dos blogs do Palácio dos Leões (John Cutrim) nesta segunda-feira, 26, o governo Flávio Dino deixou bem claro que enquanto não tiver um Coutinho na cadeira de prefeito de Caxias, os convênios para custeio de funcionários da UPA e da Maternidade Carmosina Coutinho, existentes na gestão Léo Coutinho, da ordem de R$ 2 milhões de reais mensais somente nestas duas unidades hospitalares, não irão mais existir.

Na reportagem, claramente um release produzido pela Secretaria de Comunicação do governo do MA, o secretário de Saúde, Carlos Lula, diz que as informações da Prefeitura de Caxias sobre o corte de convênios, “são falsas”.

Para embasar sua afirmação, o secretário usa dados de 2016, na gestão Léo Coutinho, para dizer que o governo Flávio Dino faz repasses para a Prefeitura de Caxias, o que de modo algum poderia ser usado como uma suposta parceria com a atual gestão. “Essa história divulgada pela Prefeitura de Caxias é completamente falsa. Basta acessar o portal da transparência e olhar os repasses que foram feitos pelo Governo do Estado para a Prefeitura de Caxias no ano passado, pra ver que esses números apresentados pela Prefeitura não batem de modo algum”, disse Carlos Lula na matéria divulgada pelo Palácio dos Leões para alimentar a rede de blogs alinhados ao governo Dino.

Na sequência de dados distorcidos pelo Palácio dos Leões, valores gastos no Hospital Macro Regional, Hemomar e em serviços pagos aos credenciados, que chegam a R$ 5 milhões de reais, são espertamente lançados como se fossem ajuda para a gestão municipal.

O Hospital Macro Regional, que atende 26 cidades da região, e onde os pacientes de Caxias encontram enormes dificuldades para serem atendidos, totalmente o contrário daqueles oriundos de Matões, e onde se lê “serviços pagos aos credenciados” é nada mais, nada menos, que a Casa de Saúde do deputado Humberto Coutinho, que possui dois vultuosos convênios com o governo Flávio Dino, sendo um para prestação de serviços de hemodiálise e outro de exames de imagem (ressonância magnética e tomografia computadorizada).

Nas informações prestadas pelo governo FD, o convênio feito na gestão Léo Coutinho para investimento na maternidade caxiense seria “parte de uma ação realizada em vários municípios para o enfrentamento da mortalidade materna. Com este recurso, pago em seis parcelas, foi possível comprar novos e modernos equipamentos à maternidade, que se encontram à disposição de toda a população”, o que fica claro que o interesse para enfrentamento da mortalidade materna em 2016, não pode e não será feito em 2017 por conta do sobrenome hoje no comando da Prefeitura caxiense não ser o mesmo que no ano anterior.

Com Léo Coutinho, sim! Com Fábio Gentil, não!

É tão clara e escancarada a má vontade do governo Flávio Dino com Caxias sob o comando de Fábio Gentil, que o release do Palácio dos Leões diz com todas as letras que será impossível um convênio que garanta os mesmos valores para a Maternidade Carmosina Coutinho que vieram no governo anterior e que, mesmo o governo FD estando “ciente da importância da maternidade para a população de Caxias”, a ajuda que o governo do MA propõe para a gestão Fábio Gentil é que o prefeito entregue a Carmosina Coutinho para que o governo do Estado assuma a sua gestão.

Na mesma reportagem, a assessoria de Flávio Dino reconhece que o custeio da Maternidade é de aproximadamente R$ 1,3 milhão mensal e que poderia ser assumido pelo governo do MA.

Como todos sabem, a ideia principal dessa suposta boa vontade de Flávio Dino com a Maternidade caxiense é transformar o local em cabide de empregos do grupo Coutinho, tal qual é o Hospital Macro Regional, que possui em seus quadros uma grande quantidade de egressos da fracassada gestão Léo Coutinho.

Eleito pelo povo de Caxias para dar um basta no caos implementado pelas gestões da família Coutinho no município, sobretudo na área da saúde, o prefeito Fábio Gentil foi claro na resposta a indecente proposta formulada pelo governo do estado: “fica evidente que a intenção é de apenas solapar minha responsabilidade com a saúde dos munícipes, por mero capricho político. E isto eu não vou consentir”.

Agora, já pensou, caro leitor, se o prefeito Fábio Gentil, eleito para dar um fim ao desastre administrativo que foi a gestão Léo Coutinho, que no seu governo viu a Carmosina Coutinho ser escândalo nacional, e que foi batizada de “maternidade da morte”, de repente entrega a administração daquele centro de saúde nas mãos dos que foram acusados por centenas de mães de serem responsáveis por tanta dor e sofrimento?

Pelo visto, o governador Flávio Dino não precisa mais dos caxienses para a continuação do seu projeto politico. Ou melhor, precisa somente da família Coutinho em Caxias.

0 comentários:

Postar um comentário