"Caxias é pai, mãe, avô e avó para Flávio Dino" diz vereador Ximenes ao condenar descaso do governador com o município

22.6.17
Vereador Antonio Ximenes enfatizou o pouco investimento do governo Flávio Dino 
no município: “ele tem um débito para Caxias que ele nunca vai pagar”

Retificação: o vereador Antonio José Ximenes, através de comentário publicado no blog e na rede social facebook, onde o editor desta página eletrônica disponibilizou o link, fez a seguinte retificação: “Apenas uma retificação ao texto, onde tá escrito "coleira", o certo é "orelha", é comum na região a expressão " puxado pela orelha", no mais o que foi publicado é o que sempre pensei e externo com indignação, sobre a atuação do nosso Governador em relação à Caxias, sua terra natal na política” . O Blog acata a explicação do vereador e pede desculpas ao parlamentar e aos seus leitores pelo equívoco cometido.

O vereador Antonio José Ximenes mais uma vez foi destaque na sessão da Câmara Municipal de Caxias realizada nesta quarta-feira, 21.

A bola da vez nas discussões desta quarta-feira foi a falta de atenção do governo do Estado para com as demandas do município, onde a ausência de ações efetivas incomodam a classe política e penalizam a população, o que sempre é motivo de revolta e indignação dos parlamentares.

Pegando o gancho do colega magno Magalhães, que minutos antes fez duras críticas ao governador Flávio Dino diante da retirada de recursos da ordem de R$ 9 milhões da educação, Ximenes asseverou nas críticas contra o chefe do Executivo estadual.

“Flávio Dino de alpercatas e levado pela coleira”

“Eu, Humberto Coutinho, Catulé, Adelmo, Júnior Martins... pegamos na mão do governador Flávio Dino quando ele andava numa [sandália] alpercatas na cidade de Caxias, foi abraçado pelo nosso deputado Humberto Coutinho que levou ele pela coleira a ter o primeiro voto e a se eleger deputado federal com o [voto do] povo de Caxias”, iniciou o vereador que em seguida disse que estava com inveja do relato feito momentos antes pela vereadora Aureamélia Soares sobre os investimentos do governo do Estado na educação, sobretudo na UEMA Sul. “A universidade do sul não serve para nós caxienses, não. Nós queremos a universidade do leste aqui em Caxias. Nós queremos o Hospital Universitário da Uema funcionando aqui em Caxias”, cobrou o parlamentar.

Continuando com os petardos endereçados ao governador, o vereador Ximenes fez uma comparação sobre o que representa a princesa do sertão na ascensão de Flávio Dino na política, que, para ele, “sem Caxias ele não seria nada”. “Eu acompanhei de perto o sofrimento de todos nós vereadores; prefeito Humberto Coutinho, atrás desse governador pra trazer tudo que Caxias merece, porque Caxias não é nada pro governador: é só a mãe, o pai, o avô e a avó na política do Maranhão. Se não fosse Caxias, ele não seria nada”.

“Se banhasse a cidade ouro ainda ficava devendo”

Na esteira das cobranças de benfeitorias do governador Flávio Dino para com o município, AX fez uma comparação entre o que a cidade entregou em votos e em ajuda política para ele, e o que deveria ter vindo em retribuição. “Eu dizia sempre para o deputado Humberto Coutinho, e aos colegas do nosso grupo político que administrou essa cidade até o fim do ano que passou, que se o governador Flávio Dino banhasse a cidade de Caxias de ouro, ainda ficava devendo muita coisa pra gente, porque se não fosse Caxias, ele não era nada na politica”, disparou o parlamentar.

Destacando a competência de Flávio Dino como juiz federal, mas que na seara politica, enfatizou Ximenes, saiu do nada para ser governador do MA, “graças ao apadrinhamento com o prefeito Humberto Coutinho, e o nosso grupo político, ele saiu do nada para ser o deputado federal mais votado da história de Caxias e para ser governador do Maranhão, e eu não vou parar de dizer isso nunca: que ele tem um débito para Caxias que ele nunca vai pagar, e do jeito que está indo aí, vai ficar devendo muito mais do que eu imaginava”, lamentou.

A má vontade demonstrada pelo governo Flávio Dino com a cidade de Caxias demonstrada desde a derrota de Léo Coutinho em 2016, finalmente esgotou a paciência da classe política do município.

Sem convênios com a gestão Fábio Gentil na área da saúde, que é a face mais cruel das diferenças políticas contra os atuais mandatários do município, onde mais de R$ 2 milhões de reais mensais para manutenção da UPA e da Maternidade Carmosina Coutinho foram cortados, ainda vai render muitos dissabores para o governador Flávio Dino, que tentará a reeleição em 2018, mas que certamente pensará muitas vezes antes de pedir novamente um voto de confiança dos caxienses.

3 comentários:

  1. Antonio Ximenes disse...:

    Apenas uma retificação à matéria veiculada neste blog, usei o termo levado pela "orelha" e não " coleira", no mais ratifico integral conteúdo.

  1. Anônimo disse...:

    Esse Flávio Dino, tem que conhecer a chibatada também do povo caxiense, prometeu muitas coisa pra Caxias e até agora nada, sem falar do fictício aumento de apenas 10% pros ACE e ACS . Estamos esperando!!!!

  1. Anônimo disse...:

    Ele tá sendo fiel ao mentor da sua candidatura ao governo do estado: Humberto Coutinho. Portanto Dr Humberto tem tanta culpa quanto ele.

Postar um comentário