Parabéns, Coelho Neto!

30.10.17
À margem do Rio Parnaíba, em 1914, fixou-se o município de Curralinho. Após sucessivas mudanças econômicas, políticas e sociais erguia-se uma nova cidade denominada Coelho Neto, cujo nome homenageava o ilustre escritor maranhense, Henrique Maximiano Coelho Neto.

Passados 124 anos, nossa pequena e acolhedora terra comemora mais um ano de emancipação política. Em sua história está também presente a história do seu povo, semeada, vivida e contada em versos, crônicas, músicas, hinos e cordéis, homenageada e querida, amada e respeitada. Neste dia 31 de outubro, o tempo nos convoca a reviver cada momento.

Amar Coelho Neto é torcer por ela, vislumbrar seu bem-estar. É acreditar que o trabalho diário, com afinco e responsabilidade, é o caminho para o sucesso das atuais e futuras gerações. Aplaudamos nossa cidade, rendamos graças e homenagens pelo seu dia. Todos nós somos responsáveis pela formação e transformação de um município melhor. Comemorar esta data é ter orgulho de ser coelhonetense, de pertencer a este lugar.

Parabéns a Coelho Neto e a todos que diariamente exercem sua missão, vislumbrando novos dias, com o olhar sempre voltado para os anseios da população coelhonetense.

Vamos juntos construir a cidade que queremos!

NOSSA HISTÓRIA

SEGUNDO alguns historiadores, o povoamento prendeu-se a um agrupamento em torno de uma Feitoria, na margem do rio Paranaíba, denominada Curralzinho. Cearense e piauienses fugindo das secas, usaram o Parnaíba como via de acesso, e assim ajudaram o desbravamento da região, buscando na lavoura e extrativismo vegetal, meios de subsistência.

Sucessivas mudanças de sede teve o município até que, em 1914, fixou-se no local atual, com a denominação de Curralinho. A partir de 1934 teve o topônimo alterado para Coelho Neto.

O município que durante muito tempo permaneceu estacionário, na década de 1960/70 tomou grande impulso, com a inauguração de um complexo industrial, onde se destacavam as produções de celulose, açúcar e alcool.

O topônimo foi homenagem ao ilustre brasileiro Coelho Neto, maranhense de Caxias, prosador, jornalista, escritor, professor, romancista, orador, poeta, teatrólogo e político. Ocupou na Academia Brasileira de Letras, de que foi Presidente, a Cadeira nº 2, e foi Patrono da de nº 24, da Academia Maranhense de Letras.

Gentílico: coelhonetense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Curralinho, pela lei provincial nº 1092, de 17-07-1874, subordinado a Vila de Brejo.

Elevado à categoria de município com a denominação de Curralinho, pela lei estadual nº 667, de 28-04-1914, desmembrado de Buriti. Sede no antigo distrito de Curralinho. Constituído do distrito sede. Instalado em 08-10-1915.

Pelo decreto estadual nº 75, de 22-04-1931, o município é extinto, sendo seu território anexado ao município de Buriti.

Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Curralinho, pelo decreto estadual nº 121, de 12-06-1931.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede.

Pelo decreto estadual nº 746, de 22-12-1934, o município de Curralinho passou a denominar-se Celho Neto.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município é constituído do distrito sede.

No quadro fixado para vigorara no período de 1944-1948, o município é constituído do distrito sede.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alteração toponímica municipal

Curralinho para Coelho Neto alterado, pelo decreto estadual nº 764, de 22-12-1934.

Secom/Coelho Neto

0 comentários:

Postar um comentário