RECANTO DO POETA - O ser e a poesia advindos de mim

11.9.18

Por Wybson Carvalho

Minha poesia veste-me com essência sabedora ao interior a mim

E emudecendo meu grito ensurdecedor à negação que há nela.

É a prisão na qual sou condenado e estou 

A extrapolar-me liberto à ambiência alheia.

É a imensidão em sal oceânico e chão cáustico, solitariamente, desértico...

É a diversidade de todas minhas linguagens artísticas sem plateia alguma...

É a obra que, humildemente, ofereço à humanidade... 

É o ser a querer-se compartilhado a quem me necessitar...

E meus versos?

- São partes extraídas de minha alma inteira a se mostrarem inibidas aos outros seres sem aceitação nenhuma!

O que é minha poesia?

É a somatória das imagens etárias - do passado encontrado no presente - Escritas na negação imagética do futuro.

Obriga-me, fielmente, a negá-la em mim tal qual confissão ausente.

0 comentários:

Postar um comentário