Diretor do Instituto Amostragem esclarece postagem sobre pesquisa feita em Caxias

16.8.16
O diretor do Instituto Amostragem, João Batista Mendes Teles, que fez recentemente uma pesquisa eleitoral em Caxias, e que será divulgada nesta quinta-feira, 18, enviou esclarecimentos ao Blog do Sabá sobre a postagem “Ô louco, meu!!! Nova pesquisa para prefeito de Caxias quer saber se entrevistados não votam em candidato por achar que ele é “ladrão” publicada hoje (16).

Confira os esclarecimentos do Instituto Amostragem:

Caro Jornalista Cláudio Sabá.

Sobre a matéria publicada de hoje, 16 de agosto de 2016, envolvendo o Instituto Amostragem gostaria de fazer os seguintes esclarecimentos.

O Instituto Amostragem realizou de fato a pesquisa em Caxias (MA) conforme os dados do registro na justiça eleitoral. O tamanho da amostra foi de 400 eleitores distribuída proporcionalmente nas variáveis zona urbana e rural, sexo, faixa etária, escolaridade e renda familiar.

A pesquisa eleitoral levanta outras questões além das intenções de voto e rejeições. Dois quesitos frequentes nas pesquisas, importantes para o acompanhamento da campanha, são os motivos da intenção e das rejeições aos candidatos.

A pergunta que a sua matéria questiona é a pergunta do motivo da eleitor não votar no(s) candidato(s). É uma pergunta aberta: Qual o principal motivos do(a) sr(a) não votar neste candidato ?  É uma pergunta que tem as opções de respostas que o pesquisador circula conforme a(s) resposta(s) emitidas - permite mais de uma resposta (motivos).

A pergunta é feita em quem rejeitou algum candidato. A pergunta não é "por quê o(a) sr(a) não vota no candidato ladrão  ou qualquer outro motivo. Não é direcionada para desqualificar nenhum candidato a prefeito, conforme a matéria sugere.

Gostaria que o nobre jornalista fizesse estes esclarecimentos no seu blog.

O Instituto Amostragem coloca-se a disposição para esclarecer quaisquer dúvidas sobre a metodologia ou resultados das suas pesquisas.

Atenciosamente
JOÃO BATISTA MENDES TELES
Diretor

Acato os esclarecimentos do diretor do Instituto Amostragem, mas continuo achando que a pergunta sobre um dos motivos para o eleitor não votar em determinado candidato, por achar que o mesmo seja “desonesto, corrupto ou ladrão” é inconveniente e em nada acrescenta para o debate político, podendo ser um motivo a mais para acirrar os ânimos do eleitorado simpatizante de um ou de outro candidato, que já é tão exaltado nesse período eleitoral.

0 comentários:

Postar um comentário