“Eu só quero agradecer a Deus e aos médicos da UPA”, diz mãe de jovem de 25 anos que venceu a covid-19 em Caxias

1.6.20

A saída foi rápida e sob os aplausos dos funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caxias. Somente nesta sexta feira (29), seis pessoas venceram a covid-19, como o seu Antônio Alves, de 76 anos. Ao todo, já são 67 pacientes recuperados em Caxias. Gabriel Torres de Sousa, de 25 anos, deixa a UPA recuperado depois de 11 dias internado.

“Eu estava em uma situação complicada, com febre, muita dor no peito, dor de cabeça. Por mais que eu tomasse a medicação em casa, tinha febre, o tempo todo febre. Então, a medida que tive foi me internar, o médico de imediato me internou, pediu pra eu ficar porque o remédio que eu estava tomando em casa não estava surtindo efeito. Eu já estava na última dose. E agora, graças a Deus, estou saindo”, afirma Gabriel.

Ele explica como o corpo reage diante da doença. “Começa com uma dor de cabeça, aí vai aumentando para o corpo e depois a febre, e é uma coisa ruim. Senti falta de ar e muito cansaço, principalmente na madrugada”.

O rapaz afirma que, quando chegou à UPA, sentiu um alívio, a assistência no local foi primordial.

“Depois que me deram a primeira dose aqui, pronto. Aí eu comecei a sentir um alívio. Quando as dores voltavam tomava remédio de novo. O atendimento aqui foi muito bom, as enfermeiras me trataram muito bem, explicam. Segui as orientações direitinho. Quando eu cheguei no outro dia eu queria ir embora, aí eles disseram que não. Só ia sair quando eu estivesse bom”, diz o jovem.

Gabriel fala da alegria de vencer a doença e de ter dado a volta por cima. Ele agradece a Deus e a toda a equipe médica.

“É uma alegria imensa você sair de uma situação dessa. Porque é como o médico falou, você sair de uma situação, pra você é uma vitória, pelos problemas no pulmão. Graças a Deus, eu só tenho que agradecer primeiramente a Deus e depois à equipe médica que permitiu que eu estivesse saindo dessa com vida. Aqui eu agradeço a todo mundo, do pessoal da limpeza ao médico, todo mundo recebe a gente muito bem. Só quem está aqui dentro sabe como é o atendimento, quem recebe necessita do atendimento”, afirma.

Gabriel reconhece que no começo da pandemia brincava e se recusava a usar a máscara, mas hoje pensa diferente.

“No começo eu disse ‘Será que esse coronavírus vai chegar aqui pra a gente’. Nunca imaginei que ia chegar diretamente pra mim. Logo eu, que no começo brinquei tanto com isso aí. Eu via uma pessoa de máscara, eu dizia ‘rapaz, é muita frescura isso aí’, eu falava, não vou mentir pra você, e hoje em dia eu passar por uma situação dessa é uma lição. Mas hoje em dia, o que eu recomendo é ter o maior cuidado, prevenir de todas as formas porque a doença não tá de brincadeira”, explica Gabriel Torres.

Uma ambulância da UPA o levou em casa, no bairro Tamarineiro. A mãe de Gabriel, dona Branca, emocionada, alegra-se pela vitória do filho, que nasceu de novo, e faz um pedido a todos os filhos.

“Eu estou muito feliz em receber meu filho de volta, com vida. Coisa que nem todas as mães têm a sorte de acontecer isso. Eu só quero agradecer a Deus e os médicos da UPA que cuidaram dele direitinho. E peço para os filhos obedecerem às mães. Eu pedia pra ele e ele não obedecia e sofreu as consequências. Isso aí foi uma lição de vida pra ele. O que eu quero é que os filhos obedeçam às mães, que os filhos passem a se cuidar, usar máscara, tomar banho sempre que for na rua, higienizar bem as mães, usar bastante água sanitária na limpeza da casa é fundamental. E eu estou muito feliz por isso, eu quero agradecer muito a Deus por isso, muito muito mesmo”, afirma dona Branca. (Da assessoria)

0 comentários:

Postar um comentário