Catulé assegura que o Legislativo seguirá firme na defesa dos interesses do povo caxiense

18.3.20

Declaração foi feita nessa segunda-feira (16), durante o pequeno expediente da sessão na Câmara Municipal.

O presidente da Câmara Municipal de Caxias, vereador Catulé (Republicanos), voltou a declarar nessa segunda-feira (16), durante o pequeno expediente da sessão, que o Poder Legislativo Municipal não baixou a guarda e seguirá acompanhando o trabalho que ora vem sendo executado pela empresa Equatorial Energia no município, corrigindo problemas há muito reivindicados pelas comunidades rurais assim como no perímetro urbano da cidade. Reconhecendo que foi acertada a postura adotada pela casa em relação aos problemas com o setor elétrico, denunciando e cobrando ação da prestadora de serviço, Catulé enfatizou que isso demonstrou efetivamente a força que as câmaras de vereadores têm como verdadeiras representantes dos interesses dos municípios.

"Eu sempre digo que esta Casa é o lugar, o esteio por onde passa tudo que acontece em Caxias. Nessa questão de energia, cansamos de pedir ajuda para um e para outro. Pressionamos e conseguimos conversar com a alta diretoria dessa empresa que há um ano fizera pouco caso de nossas reivindicações, quando a convidamos para uma audiência pública. Agora, graças a esse nosso posicionamento firme de denunciar em alto e bom som as irregularidades do nosso setor elétrico, cuja energia é a mais cara, e de recusar conversa com funcionários sem poder de decisão, chegamos na semana passada a um entendimento. Eles vieram aqui e nos atenderam, e a Equatorial desde a semana passada tem funcionários trabalhando por todo o município, podando árvores, instalando postes e levantando a quantidade de consumidores, no 1º, no 2º e 3º Distrito", enfatizou ao iniciar o seu discurso.

O presidente da CMC ressaltou que a direção geral da Equatorial, em São Paulo, sentindo a pressão em nível nacional, chegou inclusive a cooptar os três deputados caxienses com mandato na Assembléia Legislativa do Maranhão para abafar o caso, e assim nenhum deles levantou voz em socorro da terra contra a Equatorial. "Mas não somos submissos a prefeito ou a deputado. Então, ao firmarmos posição, cobrando e denunciando, hoje aqui vossas excelências têm a prova de que esta casa é forte, mas ela é forte quando ela quer, quando as nossas forças, tanto de situação como de oposição, se unem e se transformam numa voz só, e por isso aqui estiveram um diretor da Equatorial que trabalha em São Paulo e outro no Maranhão", assinalou.

Catulé frisou que durante o encontro, do qual fez parte também o vereador Mário Assunção (Cidadania), o vereador Ramos (SD) chegou a fazer uma forte cobrança aos diretores, que de pronto o autorizaram a fazer um levantamento de todos os pleitos da Câmara de Caxias relacionados com energia elétrica, apresentando-lhe um membro da gerência da empresa em Timon especialmente para atender as demandas. O presidente frisou que mesmo assim, não conformada com tudo isso, a Câmara de Caxias ingressou na justiça para a empresa responder pelos erros cometidos e saber que era muito cedo para dar crédito a uma concessionária que trata o município em quarto plano.

Segurança e novo investimento

O presidente discorreu em seguida sobre as recentes decisões de segurança que pegaram de surpresa a população caxiense, com a substituição do delegado regional Jair Paiva e do comandante do Batalhão da PM de Caxias, tenente-coronel Márcio Silva. "Nós esperávamos que estas questões tivessem a participação dos nossos deputados estaduais, mas o que se deu foi outro engano, outra decepção, mas esta casa está aqui, e não deixou o caso passar na noite de hoje. Nós ainda temos sorte, porque quem vem aí, para dirigir o 2º BPMMA, a despeito do trabalho realizado pelo coronel Márcio Silva, é um coronel que é de campo, é daqueles que não fica em gabinete e já esteve antes em Caxias", ao referir-se ao novo comandante de Caxias, tenente-coronel Jurandir de Sousa Braga.

Reportando que a CMC tem que se manter coesa e unidada em relação à segurança pública no município, Catulé parabenizou o governador Flávio Dino (PCdoB), por prontamente intervir na situação da segurança do município, e elogiou também a disposição do prefeito Fábio Gentil, um jovem de 44 anos, que acorda todos os dias às quatro horas da manhã para atender a comunidade e a uma cidade carente de recursos.

Ao final do seu pronunciamento, o presidente do legislativo municipal revelou que, por iniciativa do prefeito, nos próximos 15 dias Caxias receberá mais um investimento capaz de gerar empregos e renda para os trabalhadores locais, com a inauguração de uma revendedora do grupo Toyota.

Câmara em quarentena

E, fechando o discurso, mostrou que todos os vereadores caxienses estão preocupados com a possibilidade real do vírus covid-19 chegar a Caxias. Na sua avaliação, o vírus se apresentou no país mais populoso da Ásia, que é a China, e de lá passou para a Europa e agora já chegou à América do Sul e ao Brasil, provocando graves consequências para a saúde da população. Por concordar com as determinações já adotadas nas mais diversas esferas de poder, tanto em Brasília como no posicionamento do governador Flávio Dino, de restringir por determinado período de tempo as aglomerações de pessoas bem como o funcionamento de escolas e repartições públicas, anunciou que a Câmara de Caxias também restringirá o seu trabalho ao público até segunda ordem.

"Recentemente fizemos uma sessão solene para homenagear o dia internacional da mulher. Fomos informados que a esta sessão compareceu uma pessoa suspeita de ter sido contaminada por esse novo coronavírus durante um encontro no Ceará. Então, por precaução e pensando na saúde dos nossos funcionários e de todos os caxienses que frequentam esta casa, os vereadores concordaram em suspender os trabalhos da CMC por tempo indeterminado", disse ao pedir que os vereadores instruam seus assessores a seguir diligentemente a decisão da Mesa Diretora do parlamento municipal. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário