Câmara de Caxias suspende audiência pública por descaso da diretoria da CEMAR

2.7.19

Como o convidado não pode comparecer, mas mandou assessores da empresa lotados na gerência de Timon para conversar com os vereadores.

O presidente da Câmara Municipal de Caxias, vereador Catulé (PRB), marcou para outro momento ainda a ser definido a audiência pública com a presença do diretor-presidente da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), Augusto Dantas, prevista para ocorrer às 17 horas dessa segunda-feira (1º), no plenário do parlamento municipal, em que seriam tratadas diversas demandas da comunidade caxiense, relacionadas à prestação do serviço de energia elétrica no município.

Como o convidado não pode comparecer, mas mandou assessores da empresa lotados na gerência de Timon para conversar com os vereadores, o presidente decidiu não realizar a audiência pública, por entender que os mesmos não tinham poder de decisão para definir qualquer dos problemas da comunidade. “Sei que os engenheiros que estiveram aqui são competentes, conhecem o trabalho, mas não podem garantir nada no que tange ao trabalho da empresa”, disse, após receber os engenheiros em um encontro com vereadores na sala de reuniões da CMC.

Em sua explicação, momentos depois em plenário, Catulé lembrou que a Cemar precisa entender que a cidade de Caxias é importante, o povo é importante, e merece respeito. “É óbvio que os engenheiros que aqui estiveram conhecem os problemas da nossa cidade no setor energético, mas audiência pública, aqui, pelo menos enquanto eu for presidente, só com a presença do diretor-presidente da Cemar”, assegurou.

“No encontro que mantivemos há pouco”, continuou, “se não houvesse essa reação nossa, eles pensavam que poderiam vir aqui, achando que a nossa cidade é uma cidade sem importância, e assim iríamos recebê-los aqui nesta casa. São todos excelentes profissionais, mas se não tem autonomia para decidir, não vamos perder tempo”, prosseguiu, justificando que a decisão foi tomada para que não se repetisse o que aconteceu em época anterior, quando nada ficou resolvido.

Do encontro com os assessores da Cemar de Timon, restou a decisão de que a empresa ficará encarregada de marcar uma nova data para a audiência pública, mas dentro dos limites estabelecidos pela Câmara de Caxias, isto é, com a presença do diretor Augusto Dantas. “Mesmo assim, eles já vão levando daqui o nosso descontentamento, o descontentamento do povo da nossa cidade, pela forma com que Caxias é tratada por essa empresa”, acentuou.

Na reunião com os assessores da empresa, cada vereador presente esboçou um posicionamento firme em relação aos problemas identificados com energia, tanto na cidade e, mais ainda, na zona rural, onde as dificuldades são bem mais frequentes. A postura dos colegas foi alvo de elogios do presidente.

Antes de se pronunciar que a sessão ordinária do dia estava prejudicada por causa da não realização da audiência prevista, que ocupou muito tempo, Catulé cobrou a necessidade de ser ouvida também a voz dos deputados estaduais caxienses, ressaltando ser necessário saber-se a posição dos três diante desse problema que afeta toda comunidade.

“Hoje, por exemplo, faltou luz em quatro setores de Caxias. Na zona rural, tem lugar que fica até quinze dias sem energia. Então, alguma providência a gente tem que tomar, porque nós é que moramos nesta cidade e, ao sair nas ruas, somos cobrados. E a Cemar tem abusado da boa fé do povo do nosso município”, concluiu. (Ascom/CMC)

0 comentários:

Postar um comentário