Rafael Leitoa desmente Alexandre Almeida e desconstrói circo armado pela oposição

16.2.17
"Taca é bicho que dói e dói mesmo", brincou Rafael Leitoa sobre a derrota por mais de
10 mil votos sofrida por Alexandre Almeida em 2016 (JR Lisboa/Agência AL)

A visita do secretário de infraestrutura do estado, Clayton Noleto, à Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira, era vista pelos deputados de oposição como uma justificativa para a derrota nas últimas eleições. Convidado via Requerimento do deputado Edilázio Júnior (PV) para esclarecer dúvidas sobre o Mais Asfalto, Clayton Noleto se apresentou ao circo armado pela oposição.  Com "pegadinhas" de todos os tipos e sendo abordado por diversos temas, o secretário manteve um tom de respeito e procurou responder o que foi questionado.

Alexandre Almeida, Mais Asfalto e Eleições de Timon

Com participação de diversos deputados, após a fala de Alexandre Almeida (PSD), uma das viúvas chorosas das últimas eleições, o deputado Rafael Leitoa (PDT) subiu à tribuna para suas considerações e questionamentos. O deputado pedetista discordou da pauta de que o Mais Asfalto seria um programa eleitoreiro, reforçando que em Timon, fonte das reclamações de Almeida, as obras de asfaltamento iniciaram no primeiro semestre de 2015. Outro ponto rebatido por Rafael Leitoa é o discurso cansativo de Alexandre sobre os recursos oriundos do BNDES.

“Em Timon, o Asfalto do programa do BNDES, sob a ordem de serviço do dia 17 de junho de 2014, apenas 15 dias antes do início do período eleitoral, nobre colega Alexandre, que não se encontra mais no Plenário, a oposição criticava tanto esse empréstimo em 2014 porque esse recurso era para isso, para fazer campanha eleitoral naquele ano. E olhem só, no final de setembro tem uma ordem de paralisação da obra, este contrato é da Construtora HS, que por sinal é a única obra de asfaltamento em Timon com recurso do BNDES”, alertou Rafael Leitoa.

Rafael Leitoa apresentou documentos onde o início das obras e as paralisações, em Timon, ainda no governo de Roseana Sarney, foram, coincidentemente, antes e depois das eleições, respectivamente. O deputado Rafael criticou a postura de omissão de Alexandre Almeida, quatro anos deputado líder de Roseana na Assembleia e presidente da Comissão de Constituição e Justiça, período que o deputado não se preocupou em destinar recursos para asfaltamento em Timon.

“Taca é bicho que dói, dói mesmo, e Alexandre Almeida não se conforma que mais de 11 mil timonenses não lhe querem como prefeito da cidade e ele fica procurando argumentos, mas isso tudo é praxe do deputado, inclusive o linguajar e as encenações aqui na Assembleia”, completou Rafael Leitoa.

0 comentários:

Postar um comentário