Ao dar sua versão sobre reportagem veiculada nacionalmente pela Band, prefeito Léo Coutinho usa linguagem rasteira para rebater acusações

19.10.14
Prefeito de Caxias tenta politizar um assunto 
delicado, que é a morte de crianças
Espera-se de um detentor de um importante cargo público serenidade, respeito e seriedade na condução da sua gestão.

O prefeito de Caxias, Léo Coutinho, enterrou todas essas recomendações republicanas no episódio, divulgado nacionalmente, da alta taxa de mortalidade neonatal registrada no Hospital Carmosina Coutinho, ao divulgar uma nota sobre o caso.

Iniciando o texto de forma respeitosa, como deve ser, e com dados técnicos a respeito da real incidência de casos de óbito no referido centro de saúde, o prefeito de Caxias chega a dar indícios de que tem preparo para o cargo.

Mas, no último parágrafo da nota, o jovem advogado joga por terra toda a seriedade do que ele tenta explicar, referindo-se a afiliada local da Band de forma pejorativa e deselegante ao falar do funcionamento da emissora caxiense confundindo o trabalho dos profissionais da empresa com a extensa e nada elogiável ficha do proprietário.

A propósito, a TV Band Caxias é de propriedade do Sr. Paulo Marinho, ex-deputado federal cassado por corrupção e que responde a mais de 300 processos nas esferas cíveis, criminais, trabalhistas e da família, tanto na justiça estadual como na federal, e acaba de perder a sétima eleição consecutiva na cidade”, diz Léo Coutinho querendo politizar um episódio que refere a morte de crianças.Aqui em Caxias existe um ditado “de Olho no óleo, de olho na Band”- referencia jocosa ao fato da emissora trabalhar com gerador a diesel, visto que teve a energia cortada pela concessionária elétrica com dívidas superiores a 1 milhão de reais, continua Léo Coutinho tentando fazer graça e conseguir seu objetivo junto a TV Band nacional que é a realização de outra reportagem feita por jornalistas de São Paulo.

Encerrando a tal nota, Léo Coutinho diz que Paulo Marinho é seu inimigo e por isso nada do que sua emissora divulga, merece credibilidade. Como meu inimigo, as matérias de sua TV servem apenas para lançar calúnias sobre a atual administração de Caxias”.

Ouvi uma entrevista do secretário de Saúde do município de Caxias, Vinicius Araújo, na emissora oficial da Prefeitura. Sua explicação merece ser levada em conta e, realmente, possui elementos que esclarecem a versão oficial de que a matéria veiculada nacionalmente pela TV Band foi, no mínimo, sensacionalista.

Abaixo, a nota do prefeito de Caxias, Léo Coutinho:

À REDE DE COMUNICAÇÃO BANDEIRANTES TV BAND

At. Senhor Diretor de Redação do Jornal da Band

Prezado Senhor,

No dia 17 de Outubro de 2014, o Jornal da Band replicou matéria da sua afiliada na cidade de Caxias, a TV Band Caxias, com violentas afrontas à verdade sobre a realidade da mortalidade neonatal no município de Caxias
A falta de checagem das informações veiculadas e ausência de qualquer cotejamento com as autoridades municipais sobre os fatos divulgados, negando assim ouvir o “outro lado da notícia”, constitui a nosso ver agressão deliberada à liberdade de imprensa e consequentemente de informação.

Aos fatos:

O jornal da Band informou que “a cada três bebês que nascem na maternidade de Caxias, um morre. Já são 115 vítimas desde o inicio do ano. As mães acusam os médicos de negligencia”. Nada mais falso, estes são os dados verdadeiros: De janeiro de 2014 até o dia 17/10/2014, foram realizados 2.501 (dois mil, quinhentos e um) partos, sendo 1345 (mil, trezentos e quarenta e cinco) partos normais (946 de residentes em Caxias e 399 residentes em outros municípios) e 1156 (mil, cento e cinquenta e seis) partos cesáreos (766 residentes em Caxias e 390 residentes em outros municípios).

De 1712 (mil, setecentos e doze) nascimentos ocorridos em Caxias até a presente data na Maternidade Carmosina Coutinho, ocorreram 24 óbitos neonatais, resultando em um índice de mortalidade de 1,4 % ou 14 mortes a cada 1000 nascimentos. Já com relação a gestantes oriundas de outros dos 48 municípios atendidos, em 789 nascimentos ocorridos até a presente data, foram registrados 65 óbitos neonatais, resultando em um índice de mortalidade de 8,2% ou 82 mortes a cada 1000 nascimentos.

As mães residentes em Caxias recebem atendimento pré-natal na mais completa rede pública de assistência à saúde do Maranhão, enquanto as mães que vêm de outros 47 municípios nem sempre recebem estes cuidados, resultando talvez, entre outras as razões para tal alto índice de mortalidade neonatal, mesmo assim ficando com distancia abissal “de cada três que nascem morre um” , o que daria assim justificativa para a manchete sensacionalista e descolada da realidade veiculada pelo Jornal da Band.

Mesmo considerando 115 mortes neonatais, seriam apenas 4,59% do total de 2.501 partos realizados e não a “tragédia” de 33% (um morto em cada três nascimentos) anunciada pelo Jornal da Band.

A propósito, se tal informação fosse verdadeira, o Ministério da Saúde já teria fechado a Maternidade Carmosina Coutinho, como fez ano passado com a maternidade Marly Sarney em São Luís. Ao contrário, a maternidade caxiense é paradigma de atendimento e qualidade neonatal, como atesta os prêmios recebidos e que podem ser checados in loco por equipe da TV Band São Paulo, já que a TV Band Caxias não tem qualquer credibilidade em Caxias.

A propósito, a TV Band Caxias é de propriedade do Sr. Paulo Marinho, ex-deputado federal cassado por corrupção e que responde a mais de 300 processos nas esferas cíveis, criminais, trabalhistas e da família, tanto na justiça estadual como na federal, e acaba de perder a sétima eleição consecutiva na cidade. Aqui em Caxias existe um ditado “de Olho no óleo, de olho na Band”- referencia jocosa ao fato da emissora trabalhar com gerador a diesel, visto que teve a energia cortada pela concessionária elétrica com dívidas superiores a 1 milhão de reais. Como meu inimigo, as matérias de sua TV servem apenas para lançar calúnias sobre a atual administração de Caxias.
Convido V.Sas. Enviar equipe de sua TV para que possamos demonstrar que as informações divulgadas são absolutamente falsas e que podemos provar o que afirmamos acima.

Caxias, 18 de outubro de 2014

Leonardo Barroso Coutinho
Prefeito Municipal de Caxias

8 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Está claro que essa nota não feita pelo prefeito e sim pelo seu assessor de comunicação...

  1. Anônimo disse...:

    14 mortes a cada 1000 nascidos é ainda um dado alarmante. Seria mais otimizado se fosse 1 morte para cada 100000.

  1. Anônimo disse...:

    De fatos a fatos, é óbvio que os índices são extravagantes dentro de uma prevalência esperado da OMS. Claro que os índices publicados televisivamente pela BAND não procede em sua essência. Porém cabe a ressalva que nem por isso deixemos de considerar a negligência que correntemente existe na assistência as parturientes, em especial, como o próprio Sr. prefeito foi feliz em sua nota, afirmando que as mortalidades são maiores com as puérperas oriundas de outros municípios. Será porque? A causa são os municípios vizinhos, assistido pela Maternidade Carmosina Coutinho, que está credenciada para alta complexidade regional pois existe UTI e plantão 24 HS de obstetrícia..., por tudo isso os erros são uma constante em nossa cidade, que deveria ser fiscalizados, corrigidos, e eficientemente melhorados..., sem camuflagem pela gestão, pois quem trabalha com saúde em Caxias sabe das limitações estruturais e funcionais. Ass: Paulo Oliveira.

  1. Anônimo disse...:

    Você tem toda a razão Paulo. A saúde de Caxias deixa mesmo a desejar. A falta de recursos contribui para tanto. Mas, o cerne da questão não é esse. O que tem determinado os índices apontados na defesa do Sr. Prefeito é a falta de empenho de alguns profissionais da área médica. Esses profissionais, na sua grande maioria, são gananciosos e esse comportamento os leva a uma carga horária desumana. Os caras não tem tempo prá descansar. A demanda dispensa comentários: é enorme. E os profissionais da área são em número reduzidíssimo. Isso, e mais a falta de gestão permanente, (acompanhamento), compromete e muito os resultados alcançados. Agora, quem politiza a coisa é mesmo o Sr. Paulo Marinho, ao autorizar a veiculação de matérias em sua TV, sem levar em conta os preceitos que regulamentam uma imprensa responsável. Mas, não acho que o Sr. Prefeito, deva se preocupar, tanto, com esse fato.Deve se preocupar sim, é com o bom funcionamento da saúde e de quem dela necessite. Deve, ao meu ver, chamar sua equipe de trabalho e alertá-la para os eventuais desvios de conduta médica. Sim, porque existe mesmo negligência - isso não se pode esconder. Não nos níveis apontados na reportagem. Deveria, também, judicializar o fato, pedindo às autoridades o direito de resposta - no mesmo canal e horário. Dessa forma, poderá apresentar a estatística real produzida e apresentada ao Ministério da Saúde. Quanto às referências feitas aos "mal feitos" do Sr. Paulo Marinho, acho que deveria deixar de lado mesmo, pois, afinal de contas, todos os Caxienses o conhecem e sabem do que é capaz. Depois disso, já se sabe também, que o povo não é mais besta. Querem ver uma estatística: em 2010 a Roseana Sarney ganhou em Caxias, por uma diferença inferior a 500 votos. Já em 2014, perdeu por uma diferença de mais de 12.000 votos. Acho ineficaz a forma como têm sido combatidas essas acusações. A mentira se combate é com a verdade. A justiça "deve" estar aí, é prá corrigir esses desvios de caráter.

  1. Anônimo disse...:

    MAIS: Observe Léo Coutinho, que o protagonista político principal do grupo Marinho, Sr. Paulo Marinho Junior, pousa de bom moço. Enquanto isso, o velho, que é raposa velha, assume a culpa por tudo. Você não reparou ainda que se trata de jogadas midiáticas. Rapaz, só quem pode se candidatar, por enquanto, é o Paulo Marinho Junior, e esse fica enclausurado em seu mosteiro, sem sequer, dar sinais de vida. Portanto, acho que não devesse se precipitar repercutindo, dessa forma, relatos inverídicos. Seu grupo fez cabelo, barba e bigode. Não se apoquente, minino...E 2015, vem aí para ajudar a sepultar esses maus políticos. É só esperar.

  1. Anônimo disse...:

    Para os amigos do rei, o luxo. Para o povão, os impostos. É assim que as coisas ocorrem nessa cidade sem lei, nem justiça. Isso é a prova do quanto a saúde de Caxias é um caos e desafio aqueles que duvidam de levarem seus filhos e filhas para receberen atendimento na rede falida de saude da cidade. Como é tamanha a cara de pau desse gestor, com suas palavras que expressam ojerijas a esse povo que perderam as suas vidas. Mas é que educação e bons modos é algo que esta tão fora de moda. So eapero que a primeira dama da cidade venha a ter filhos futuramente e que os tenham nessa maternidade. Que prove do propio veneno dessa péssima administração. É aos bastardos da língua, em especial aos beocios que puxam o saco desse perfeito pertencentes a uma emissora de quinta, que Deus não tenha piedade dos mesmos. Que criam "floreios" para justificar esses atos criminosos e de imensa insanidade. Pobre pessoas, os piores analfabetos desse pais, com diplomas na parede. Mas querendo ou não, cada um tem o governo que merece. Enquanto nada acontece, o que nos resta é esperar os próximos dessa lista. Isso é a prova que nesse país de dementes a justiça e as leis nao servem absolutamente de NADA.
    Parabéns pelo texto Blogueiro. Concordo com vc! Abraço....

  1. Anônimo disse...:

    Ao invés do médico de plantão da Carmosina está atendendo as emergência ele vai é para aabb e quando surgi as emergência as enfermeiras liga para ele. Tem um médico que faz isso direto la. Investiguem.

  1. Anônimo disse...:

    gostaria de saber se existe duas afiliadas da tv record em caxias tv cidade canal 5 e tv sinal verde canal 3, ou se se a tv cidade é afiliada a redetv? quais são as emissoras que existe em caxias?

Postar um comentário