Os Matutos de Matões e a patética aventura de tentar engabelar o prefeito de Caxias

23.9.19
Os matutos de Matões na ‘pelada’  organizada por Rubens Pereira em São Luís esperando pelo 
retrato que não aconteceu (fotos: jotoniovianna.com)

Na última semana, não foram poucos os burburinhos oriundos de Caxias e Matões dando conta de um suposto acordo político que seria celebrado entre os atores dessas duas cidades. 

Na esteira da boataria, o prefeito de Caxias, Fábio Gentil, incontestavelmente a maior liderança política do leste maranhense, foi apresentado pelos porta-vozes das assessorias da Assembleia Legislativa como alguém que não teria cumprido os termos absurdos e inaceitáveis do que estava sendo chamado de “acordão”.

Pelo tal “acordão”, Gentil teria que entregar 2 importantes secretarias municipais, com cerca de duas centenas de cargos, além da indicação, por parte do grupo matoense, do nome da candidata a vice-prefeita em 2020, que seria a ex-vereadora Cláudia Coutinho, esposa do prefeito matoense, Ferdinando Coutinho.

Para Paulo Marinho Júnior, em troca de abrir mão da vaga de vice-prefeito no próximo ano, a oferta nada confiável de um mandato na Câmara após a acomodação de um atual deputado federal em uma secretaria estadual, o que poderia chega a soar como patético (como quase tudo nesse acordo), uma vez que a qualquer momento isso poderia ir para o espaço com o titular retornando ao mandato.

Com celulares e fotógrafos profissionais a postos para o tão esperado registro que mostraria o desfecho triunfante da aventura protagonizada pelos matutos de Matões, o sucesso da empreitada não aconteceu: Fábio Gentil não caiu na esparrela e a matutada voltou da ilha sem acordo e sem retrato.

Depois do insucesso tentado pela matutada, e para não saírem de mãos abananando, plantaram através dos seus porta-vozes que a culpa teria sido de Fábio Gentil, maior liderança da região, que seria soberbo por não cair no conto do vigário que queriam lhe aplicar.

É do conhecimento de todos os vários acenos feitos por Fábio Gentil a Cleide Coutinho. Nessas tentativas de aproximação com a deputada, o interesse de trabalhar por Caxias, que naturalmente passa por um acordo político, mas que nunca chegou a ser falado em 2 secretarias e consequente acomodação de duas centenas de cargos na administração municipal.

Mas o que não foi citado pelos porta-vozes, e que seria o grande prêmio da matutada matoense, é a própria Prefeitura de Matões, onde a mal avaliada administração Ferdinando Coutinho está seriamente ameaçada pelo favoritismo de Gabriel Tenório na disputa do próximo ano.

Tendo apoiado a candidatura de José Gentil em 2018, o jovem advogado Gabriel Tenório mantém a amizade conquistada em 2018 com o atual grupo dominante em Caxias, e cujo apoio é temido pelos grupos Pereira e Coutinho naquele torrão, vindo daí o grande interesse pelo tal acordo, onde os matutos teriam a maior parte desse butim político.

Inebriados diante da possibilidade do tal acordão ser exitoso, esbirros do grupo Coutinho, que vivem segregados em mesas de bar e usando perfis fakes no whatssap, já davam como certa a conquista de cargos na máquina administrativa e consequente demissão dos seus atuais ocupantes. Já estavam zombando do infortúnio daqueles que seriam demitidos.

Apesar de venderem a ideia de que o governador Flávio Dino teria se envolvido ou que teria algum tipo de interesse no assunto, isso não ficou evidente em nenhum momento, pois a presença de um ou outro assessor estadual pronto para sair no retrato que não aconteceu, não diz absolutamente nada.

Como todo matuto, os de Matões ainda irão continuar tentando engabelar muita gente em Caxias com falácias e histórias mirabolantes.

Em 2016 tinham tudo: Prefeitura, Assembleia e Governo do Estado e perderam as eleições.

Em 2020 irão enfrentar a força e a popularidade de Fábio Gentil, que em todas as pesquisas de opinião é favorito para as próximas eleições.

Já os matutos de Matões tem os escândalos e a calamidade perpetrada na saúde de Caxias, onde o caso da maternidade da morte ainda hoje ecoa por todo o Brasil.

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Eles imaginavam que sempre estariam no poder, aplicando aquela velha política de falar alto, com capangas e povo no cabresto... Infelizmente não seguiram Dr. HUMBERTO na busca constante de amizades...

    Como pode, 2 irmãos tão diferentes...?

    Enfim...Se entrarem pra 2020, a taca vai ser maior ainda...

    Deve ser muito doído pra esse povo sentar nas mesas de bar, com engradados de cerveja sob a mesa e não ter um quinto de um terço do poder de antigamente...

    Segue o baile....

    Janaina de Merkel

Postar um comentário