Profissionais de Saúde de Caxias e Região são capacitados em Planejamento Familiar

4.7.19
Durante dois dias, médicos, enfermeiros, agentes comunitários de saúde e coordenadores dos programas de Saúde da Mulher e da Criança de 17 municípios das regiões de Caxias, Codó e Timon participaram de uma capacitação em planejamento familiar por equipe da Secretaria de Estado da Saúde e da Organização Panamericana de Saúde (OPAS).

Os encontros aconteceram nas dependências do colégio Inácio Passarinho, SAMU, e a parte pratica no Centro Especializado em Assistência Materno-Infantil (CEAMI). Após o treinamento prático referente à colocação do método contraceptivo Dispositivo Intrauterino (DIU), foi disponibilizada a inserção do dispositivo.

Uma numerosa equipe médica esteve realizando a colocação do dispositivo nas dependências do CEAMI durantes dois turnos, chegando a atender mais 100 mulheres. Para o procedimento, as interessadas passaram por uma triagem com equipe de saúde e posteriormente foi realizado teste de gravidez.

Ananda Marques, coordenadora estadual do
Programa de Saúde da Mulher
A jovem Naires Pereira, moradora do povoado Santa Rita, relatou a satisfação após receber o DIU. “Eu recomendo esse procedimento, só senti um pouco de cólica, mas nada demais; já tenho um filho e, como não planejo outro agora, decidi por colocar o DIU e estou muito satisfeita”, concluiu.

Para a coordenadora estadual do Programa de Saúde da Mulher, Ananda Marques, o principal objetivo da capacitação é sempre visando cada vez mais a redução da mortalidade materna no estado do Maranhão e, segundo ela, uma das formas é oferecer às mulheres o acesso aos métodos contraceptivos de longa duração.

A Secretária Municipal de Saúde de Caxias, Dra. Socorro Melo declarou que dessa forma, a comunidade pode fazer o seu planejamento familiar de maneira adequada, decidindo quando e quantos filhos a mulher prefere ter, e que o DIU é um dispositivo oferecido gratuitamente pelo SUS.

“É um método muito seguro, feito no próprio ambulatório sem efeitos colaterais com segurança por dez anos. Aqui no Brasil, o Ministério da Saúde está divulgando de uma forma mais intensa esta metodologia contraceptiva”, explicou a secretária. (Da assessoria)

0 comentários:

Postar um comentário