Carlos Brandão não venceu na Famem, mas ganhou musculatura para 2022

15.1.21

Do Blog do Matias Marinho

O resultado da eleição da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), ontem (14-01), é um prato cheio para decifrar a ex-presidente da República, Dilma Rousseff, na sua célebre frase “Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”.

O senador Weverton Rocha, com o enrolado Erlanio Xavier (com histórico de prisão por desvio de recursos da educação), venceu o pleito, naturalmente. Não com aquela estrondosa votação de 165 prefeitos, propagada bravateiramente pelo presidente reeleito e aliados. Foram 112 votos (53,8%) contra 96 (46,2%) para o representante da chapa 2, Fábio Gentil, prefeito de Caxias.

E é exatamente nesses 96 votos que se revela o primeiro entendimento sobre o que quis dizer a ex-presidente Dilma Rousseff em seu enunciado clássico. Fábio Gentil, que começou fazer campanha apenas 10 dias antes do pleito, conseguiu praticamente empatar o jogo diante de um oponente na cadeira, com muita “tinta pra queimar”.  

O prefeito de Caxias enfrentou muito mais do que um mero prefeito de uma cidade pequena (Igarapé Grande). Enfrentou na verdade uma estrutura montada na imprensa e muito bem articulada com os próprios gestores municipais. Mesmo assim, deixou a impressão de que se a campanha se estendesse por mais três dias, viraria o jogo facilmente.

O segundo entendimento sobre “ganhar mesmo perdendo” é lido exatamente na participação efetiva dos dois principais patronos dos concorrentes: Weverton Rocha e Carlos Brandão. O primeiro, “de férias” e com modos operandi conhecido no submundo, trabalhou diuturnamente, ora em Barreirinhas, ora no Rio de Janeiro. Teve prefeito que foi alcançado via telefone pelo grupo de Gentil e, inadvertidamente, revelou sua localização: “Cidade Maravilhosa, com Weverton Rocha, com o senador das gordas emendas”.

Mas não foi só contra essa “caneta sem tinta e um leão sem dente”, como próprio Erlanio, deselegantemente arrotou, que Brandão lutou ou vem lutando desde a eleição de São Luís. Ele vem batalhando contra tudo e contra a própria imagem que ganhou, espécie de mero cumpridor de missões para a China, para ficar bem longe dos Leões.

Desde a eleição de São Luís, no entanto, o vice-governador passou a protagonizar na cena política do Maranhão, perdendo eleitoralmente até aqui, sim, mas consolidando um grupo e ganhando musculatura para 2022. Nisso, portanto, ganhando, mesmo sem levar.

0 comentários:

Postar um comentário