População padece: Governo Flávio Dino não renova parcerias com a Prefeitura de Caxias

31.1.17
Jornalista Ricardo Rodrigues entrevistou o prefeito Fábio Gentil

Do Blog do Ludwig Almeida

Pelo que o prefeito de Caxias, Fábio Gentil revelou nesta terça-feira (31) durante uma entrevista ao jornalista Ricardo Rodrigues da TV Band Caxias, o governador Flávio Dino aparenta ser insensível à situação do sistema de saúde do município. Coincidência ou não, as parcerias entre a gestão comunista só existiam quando os Coutinho detinham poder na cidade, é o que revelou o prefeito Fábio Gentil na entrevista. "Para vocês terem uma ideia, a Maternidade Carmosina Coutinho recebia do governo do estado em parceria com o ex-prefeito mais de R$ 1 milhão, a UPA tinha mais de 80% de sua folha [ de pagamento] paga pelo estado. E que a partir do dia 1º de janeiro de 2017 eu não recebi um único centavo nem do governo do estado para a Carmosina e nem para a UPA".

Por ser importante para a prestação de serviços no setor de saúde, o prefeito Fábio Gentil disse que não desistiu dessas parcerias. "Ao assumirmos a prefeitura essa parceria inicialmente acabou. Nós fomos a secretaria de Saúde do estado e protocolamos o pedido de manutenção dessa parceria e até agora eu estou aguardando a posição do governo do estado através do governador para que essa parceria possa ser efetivada. Porque eu entendo que o governador é governador de um estado e não de uma única cidade ou de dez ou quinze cidades", lamentou.

Com documentos nas mãos onde mostrou os recursos destinado para a Saúde de Caxias, o prefeito Fábio Gentil revelou que o município recebeu até agora um terço do que tinha recebido em dezembro do ano passado na gestão dos Coutinhos. "Esses documentos foram tirados do site da Saúde onde diz aqui em baixo que o município recebeu em dezembro de 2016 um total de R$ 12.241.085,00 milhões [...] E agora no mês de janeiro o município, segundo o mesmo site, recebeu R$ 4.132.604,00 milhões. Olha só a diferença, em dezembro R$ 12 milhões e janeiro R$ 4 milhões. Que milagre eu posso fazer? Se com R$ 12 milhões eles estavam com toda essa dificuldade como eles dizem faltando isso, faltando aquilo...". Fábio Gentil disse ainda que fez uma reunião na última semana de dezembro com os médicos da Maternidade Carmosina Coutinho, UPA, SAMU, Hospital Infantil e do Hospital Geral Gentil Filho para dar uma posição sobre um débito da gestão passada dos pagamentos de salários desses profissionais de saúde cujo o valor era mais de 1,3 milhão. "Eu assumir o compromisso porque eles trabalharam, merecem respeito e tem que ser pago".

Medicamentos

Ainda na entrevista, o Chefe do Executivo caxiense revelou que encontrou o município sem medicamentos e os fornecedores da Saúde em atraso nos seus pagamentos. "Além de não ter medicamentos nos hospitais, não tinha medicamentos e os fornecedores estavam em atraso, estavam não, estão! do governo Léo Coutinho [...] Eu tenho documentos das empresas que forneciam os medicamentos que inclusive já entraram na justiça contra a prefeitura de Caxias dizendo do débito que a prefeitura tem com eles".

2 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Humberto Coutinho, está por trás desse veto, pois ele nunca gostou da população de Caxias, já que as pessoas que o cercam nunca sentiram afeto por ele, todos são interesseiros, só estão atrás do dinheiro dele.

  1. Netha disse...:

    Sinceramente...quem sofre mesmo é a população caxiense, com uma saúde que não presta, educação está lamentável, sem contar com o saneamento básico, e o pior de tudo é dinheiro q deveria vir para cofres de Caxias o governador não libera para a gestão do novo prefeito, por isso enquanto coutinhos e o governador estiverem juntos vai ser sempre assim, para mudança da cidade e melhorias tem que cair fora o governador do Maranhão.

Postar um comentário