Primeira Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão- Agritec, em Açailândia

29.9.15
Os agricultores familiares do cerrado amazônico vão ter a oportunidade de conhecer e ter acesso às tecnologias que impulsionarão o desenvolvimento da produção nos próximos anos. Todo esse conhecimento será oferecido pelo Governo do Estado por meio do Sistema de Agricultura Familiar (SAF, Agerp e Iterma), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Sebrae e Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão - FETAEMA, na Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão- Agritec, que será realizada no município de Açailândia entre os dias 08 a 10 de outubro.

Por determinação do governador Flávio Dino, as Agritec’s este ano, estão sendo realizadas em quatro municípios, representando os territórios maranhenses, são eles: São Bento, Açailândia, Caxias e Bacabal. Para o governador, as Feiras integram um conjunto de ações para o desenvolvimento do setor rural em todo o estado. Com o desenvolvimento de vocações e potenciais regionais dos produtores do Maranhão há uma mudança significativa para um autêntico ciclo de prosperidade no setor produtivo.

Com as quatro feiras, a perspectiva é abranger cerca de 80 municípios maranhenses. Só na regional de Açailândia serão envolvidos 20 municípios: Açailândia, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Cidelândia, Itinga do Maranhão, São Francisco do Brejão, São Pedro da água Branca, Vila Nova dos Martírios, Buritirana, Campestre do Maranhão, Davinópolis, Estreito, Governador Edson Lobão, Imperatriz, João Lisboa, Montes Altos, Porto Franco, Ribamar Fiquene, São João do Paraíso e Senador La Rocque.

O secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, destacou a importância da realização das Agritec’s para promoção do desenvolvimento da agricultura familiar por meio do conhecimento e o impacto que Açailândia terá com a sua primeira feira. “Açailândia é uma cidade importante porque é uma região muito próspera, principalmente no setor primário, com vocação agrícola para produção de hortaliças. Acreditamos que o eixo do desenvolvimento do Maranhão passa por dois caminhos, que é a produção e a educação, ou seja, o conhecimento”, disse.

Segundo ele, a transferência de tecnologia vai permitir ao homem do campo mais conhecimento com ajuda dos parceiros, a Embrapa e o Sebrae, que estão envolvidos na realização da Agritec no município.

Além do potencial para produção de hortaliças, o município produz: abacaxi, maracujá, milho, melancia, mandioca, feijão e arroz. A produção dessas culturas deverá ser melhorada com o conhecimento adquirido pelos agricultores por meio de cursos, palestras e oficinas oferecidas na Agritec.

0 comentários:

Postar um comentário