Quando a esmola é grande...!!! Suposto beneficio do governo Léo Coutinho ao consumidor esconde apetite de leão junto aos sofridos empresários caxienses

20.3.15
Empresários caxienses terão mais uma 
dor de cabeça pela frente
Faz o que eu digo, mas não faz o que faço...” Esse ditado ilustra bem o que está sendo colocado em prática pelo governo Léo Coutinho em Caxias nos últimos dias.

É que a mídia atrelada ao Palácio da Cidade está divulgando maciçamente que o município começa a cobrar a execução da lei que descrimina tributos na nota fiscal. De acordo com release distribuído à imprensa, a medida tem como objetivo o atendimento ao direito do consumidor, estabelecido pelo Código de Defesa do Consumidor.  

Prefeito Léo Coutinho cobra dos outros 
algo que não pratica
Nossa! Chega a ser comovente a boa vontade do governo Léo Coutinho em garantir direitos do cidadão em saber quanto está pagando de cada imposto.

Vamos ao “X” da questão.

Como pode o poder público do município cobrar aos combalidos empresários locais algo que ele mesmo se nega a fazer desrespeitando lei federal que trata do tema?

É que o governo Léo Coutinho não disponibiliza ao cidadão a destinação dos recursos públicos que administra, contrariando repetidamente uma lei criada para isso.

Vale a pena o leitor se atentar para o texto distribuído à imprensa e ver que nele contam todos os dados que garantem ao município arrochar na cobrança de transparência dos empresários caxienses. Leia abaixo:


Tudo lindo, maravilhoso e dentro dos conformes para que seus direitos sejam garantidos, não é mesmo? Tsc, tsc, tsc, não. Não se trata disso, meu caro. Pelo menos é o que se suspeita.

Um governo em que a falta de transparência ou a simples menção da necessidade dela é palavrão no interior da sede da Prefeitura de Caxias, um assunto como esse chama a atenção de todos.

A medida, que se mostra nobre e legitima, como de fato é, não tem como principal objetivo garantir nenhum direito ao cidadão. O objetivo é um só: garantir a eficiência da arrecadação e cobrança do município.

A jogada lembra aquele filme, “golpe de mestre”, dada a eficácia de se conseguir arrochar os empresários, aumentar a arrecadação do município e posar de bonzinho aos olhos do cidadão.

Fontes do blog com trânsito no Palácio da Cidade garantem que a meta é triplicar a receita própria do município.

Enquanto isso, o governo que agora cobra transparência dos empresários, segue como sendo um dos mais fechados nesse quesito em todo o Estado.

É mole?

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    A história da prefeitura quanto à sonegação de informações fiscais já é velha, continua não sendo é aceitável, mas a tal cobrança é motivo para o cidadão pressionar o poder local! Como cidadão, apóio a decisão de pressionar os prestadores de serviço a especificarem a carga tributária nos recibos, quero saber sim quanto estou pagando à prefeitura justamente pra ter o que cobrar.

Postar um comentário