Lamentável! O que levou assessores de Humberto Coutinho ameaçarem Catulé e Fábio Gentil durante sessão da Câmara?

4.6.13
Durval Júnior externando sua revolta durante
o intervalo da sessão
Um episódio lamentável aconteceu durante a sessão da Câmara Municipal de Caxias realizada nesta segunda-feira, dia 03. Assessores de Humberto Coutinho adentraram o prédio bastante exaltados e ameaçaram os vereadores Catulé e Fábio Gentil. Jean Alves, assessor particular de Humberto Coutinho e Júnior Alves, assessor da Secretaria de Educação foram os responsáveis pelas cenas tristes que presenciamos na sessão.

O compromisso do blog é levar a informação de uma forma isenta e sem paixões. Irei tratar o assunto com todos os questionamentos que o caso requer. Vamos aos fatos.

O discurso de rompimento de Fábio Gentil era assunto recorrente em toda a cidade. Nos bastidores da política local o assunto dominava. Este blog já previa esse rompimento desde domingo. Os ânimos estavam bastante exaltados no grupo governista temendo mais uma importante defecção na base aliada.

Visivelmente emocionando, Fábio concede
entrevista a TV no prédio da Delegacia de Polícia
E Fábio não decepcionou. Revelou bastidores do poder e fez duros ataques ao grupo dominante. Seu discurso foi forte, conforme se lê na matéria abaixo. Tão logo terminou seu discurso, Fábio foi sucedido na tribuna por Catulé. Na sua fala, Catulé fazia o complemento do discurso do colega que o havia antecedido e as criticas ao grupo Coutinho continuaram num tom igualmente forte.

Com pouco menos de 5 minutos de sua fala Catulé foi interrompido pela entrada de Jean e seu irmão, Júnior Alves. Visivelmente exaltados, os dois passaram a chamar Fábio para uma conversa do lado de fora do prédio numa clara manifestação de que queriam briga.

Em meio aos gritos para Fábio Gentil, que ficou calado, os irmãos se dirigiram para Catulé que estava na tribuna e foram taxativos: “E tu toma cuidado com o que fala”, apontaram. Catulé devolveu imediatamente: “Tu não é mais homem que ninguém, não”.

O clima fechou. Os ânimos se exaltaram. O público presente ficou perplexo. Os vereadores não acreditaram no que estavam vendo.

O vereador Mário Assunção, que estava presidindo a sessão devido a ausência de Ana Lúcia Ximenes, resolveu interromper a sessão por alguns minutos.

Nesse meio tempo, os vereadores discutiam qual providência tomar diante do que acabava de acontecer. A revolta tomou conta de todos.

A Polícia Militar foi chamada para dar segurança aos vereadores. Após a ameaça dentro do plenário, Jean e Júnior Alves ficaram na área externa do prédio, mas com a intenção de tomar satisfação com o vereador Fábio Gentil.
Neto do Sindicato e Durval Júnior eram os mais indignados com o acontecido e esbravejavam externando a revolta.

Assim que soube do episódio o prefeito de Aldeias Altas, José Benedito Tinoco, primo de Fábio e que o tem como um irmão, chegou na Câmara. A mãe do vereador, Rosário Gentil, chegou logo em seguida.

Assim que a Força Tática da Polícia Militar chegou a sessão foi reiniciada. Catulé continuou seu discurso, mas logo foi aparteado pelo vereador Neto do Sindicato.

“Eu estou indignado. Sou um trabalhador rural que sempre foi oprimido e hoje não aceito esse triste fato que aconteceu aqui. Isso que aconteceu hoje foi um atentado a democracia. Não vou aceitar episódios como esse”, disse chorando Neto do Sindicato.

Catulé disse então que o episódio que havia acabado de acontecer revelava quem era o prefeito. “Isso é coisa dele, está no seu DNA”.

Catulé e Fábio Gentil relatando o episódio ao
delegado regional Celso Rocha
Emocionado, Fábio declarou que havia enviado uma mensagem pra sua esposa momentos antes dizendo que sabia que de agora em diante iria sofrer represálias de todo tipo. “Mas não esperei que seria tão rápido”, disse.

O ex-vereador Ironaldo Alencar chegou na Câmara e conversou com Jean e Júnior e deixou o prédio com os dois.

Mário Assunção disse que vai tomar providências para reforçar a segurança da Casa no intuito de preservar a integridade dos parlamentares.

Após a sessão os vereadores Catulé, Fábio Gentil, Neto do Sindicato, Luis Carlos, Benvinda, Taniery e Mário Assunção foram até o prédio da Delegacia de Polícia Civil registrar a ocorrência. O delegado Celso Rocha os recebeu e fez o devido registro iniciando ali um inquérito para apurar os fatos.

O que levou os irmãos Alves a tomarem tal atitude?

No seu discurso, Fábio citou o nome de Jean no episódio que antecedeu a eleição da mesa diretora da Câmara afirmando que teria sido ele o portador de uma grande quantia em dinheiro para demovê-lo da ideia. “O Jean levou o dinheiro para me comprar a mando do Humberto Coutinho”.

Jean Alves é, há mais de 20 anos, assessor da mais inteira confiança de Humberto Coutinho. A confiança entre os dois é absoluta. Se o episódio relatado por Fábio tiver realmente acontecido, muito provavelmente seria Jean Alves o portador. Isso não é e nunca poderia ter sido ofensivo o suficiente para um assessor ficar revoltado ao nível que o mesmo ficou.

Ao citar o nome de Jean, Fábio lhe nominou como Jean Coutinho, numa clara forma de fazer com que todos soubessem de quem se tratava.

É comum se referir ao assessor como Jean do Humberto apenas para deixar claro para o interlocutor de que o Jean em questão é o assessor de HC. Alguns, que eu já ouvi, o chamam de Jean Coutinho. O chamam assim apenas para identificá-lo como aquele Jean ligado ao ex-prefeito.  

Nem o vereador Fábio e nem ninguém o chama pelo sobrenome de Coutinho com a intenção de denegrir sua imagem. Trata-se apenas de uma forma rápida de identificá-lo como o assessor.

Acredito que Jean e o irmão entenderam que Fábio havia feito uma ofensa a sua família. Não foi. Ninguém nunca o chamou assim querendo ofendê-lo. Talvez a pessoa que ligou para os irmãos tenha feito um relato totalmente desconexo com o que havia acontecido ali.

O episódio serviu para piorar ainda mais a imagem do governo Léo Coutinho.

Realmente, não existe nada tão ruim que não possa piorar.


11 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Estou estarrecido com o que estou lendo nesse momento, isso no mínimo e uma falta de respeito com os vereadores, o assessor do ex prefeito e uma pessoa boa mais de temperamento muito explosivo, ele tem que saber que vereador pode fazer criticas e elogios da tribuna da forma que achar conveniente, e isso e o papel dos opositores, acredito no governo do Leo Coitinho , mais sem violência pois isso e o fim da democracia .....

  1. Anônimo disse...:

    Bonita oratória e exposição de fatos, mas o mais chamou atenção foi essa frase: "O compromisso do blog é levar a informação de uma forma isenta e sem paixões. Irei tratar o assunto com todos os questionamentos que o caso requer." Então por a bajulação no Final meu caro.

  1. Zezinho Alencar disse...:

    ... é Sabá, você tenta passar uma imagem de isento, mas quem te conhece sabe de suas ligações com o Queiroz e outros opositores do atual grupo governista, afinal esse grupo foi quem cortou uma verba mensal que você recebia para ser "ISENTO"

  1. Anônimo disse...:

    Após ler a matéria neste blog, entendi os fatos.

  1. Cláudio Sabá disse...:

    Caro Zezinho Alencar, sou jornalista e editor de um jornal (Jornal dos Cocais) e realmente tinha uma verba mensal para divulgar o governo do então prefeito Humberto Coutinho. Qual o crime ou falta de ética nisso? Qual o crime ou falta de ética de ser ligado a Hélio Queiroz? Qual o crime ou falta de ética de ser ligado a alguns aliados do grupo de Humberto? Teria eu, depois de romper com HC ficar inimigo dos seus amigos? O fato de não ter nenhuma ligação financeiro com o atual governo me impede de ser isento ou fiél aos fatos que narro? Como se vê, você tenta usar argumentos para me desqualificar, mas não consegue nenhum para tentar desqualificar a informação que publico.

  1. Anônimo disse...:

    O MAIS ENGRAÇADO DA POLITICA:
    O SEU ALIADO FICA DO SEU LADO E TENTA TE SUGAR TUDO O QUE VOCÊ PODE E NÃO PODE LHE OFERECE, DAÍ SE VOCÊ NÃO AGUENTA MAIS O PESO DE OURO DO "ALIADO" E NÃO MAIS O SATISFAZ ELE NO INICIO TE CHANTAGEIA PARA TE AMEDRONTAR.
    ENTÃO SE NÃO HÁ EXITO ACONTECE O ROMPIMENTO DE FATO.
    CONCLUSÃO DA HISTORIA:
    ESTE VEREADORES SÓ PENSAM EXCLUSIVAMENTE NO SEU PROPRIO UMBIGO, NESTA QUESTÃO DO ROMPIMENTO DE CATULÉ E FÁBIO QUAL O CONTEXTO POLÍTICO SOCIAL DA QUESTÃO?
    SE O ROMPIMENTO SÃO QUESTÕES (INTERESSES) PROPRIOS?????

    ISTO REALMETE É LAMENTAVEL, É VERGONHOSO, SABER QUE AS PESSOAS AS QUAIS NÓS VOTAMOS NUNCA APREDERAM EM ANOS DE VIDA PUBLICA QUAL O SEU VERDADEIRO PAPEL.


  1. Anônimo disse...:

    Caro Saba, o que nos causa estranheza nessa situação, na verdade, é o rompimento dos nobres edis Catulé e Fábio com a familia Coutinho. Você, excelente jornalista que é e conhecedor da politica local, sabe o real motivo de tudo isso está acontecendo. O que nós temos aqui, na verdade, é um jogo de interesses pessoais de tais vereadores que, após 08 anos de bonanças, não tem mais como manterem suas benesses após o breque dado pelo atual Governo e sabe-se lá por mais quem. O que não podemos permitir é que a pessoa de um Assessor de Humberto Coutinho, que no caso é Jean, seja humilhada e acusada de cometimento de crimes publicamente, como fez o Vereador Fábio. A familia Alves Costa não é politica e nunca exerceu nenhum mandato eletivo, sendo, pois, descabida a atitude de Fábio Gentil ao afirmar que Jean é quem leva mala de dinheiro a pessoas supostamente compradas por Humberto Coutinho. Além do mais, a familia Alves Costa é tradicional em nossa cidade e possui caracteristicas próprias. Jean é filho de José Alves e não de Humberto Coutinho como insinuou o Vereador bala no peito . Errou o mesmo ao chamá-lo de "Jean Coutinho". Ninguem Sabá, que não é politico e não exerce ou exerceu algum tipo de mandato, possui sangue frio ou de barata o suficiente para ouvir tais acusações calado. Jean agiu de forma correta ao buscar a honra de seu nome. Cita-se, ainda, que em momento algum Jean agrediu Fábio. Pelo contrário, jean foi o agredido. Teve o seu nome citado publicamente e sem provas jogado á lama ao ser chamado de criminoso por Fábio. Criminoso sim, pois quem anda com mala de dinheiro para comprar politico é corruptor e pratica o crime de corrupção. Jean não tem culpa se Fábio já não tem mais o mesmo "poder de fogo" de outrora. Poder de fogo esse que lhe rendeu muitos dividendos, como todos sabem em Caxias. Errou Fábio e acertou Jean ao tomar tal atitude que, ainda que um pouco demasiada, serviu para honrar seu nome e de sua familia que nunca se utilizou de mandato eletivo para crescer na vida. obrigado sabá.

  1. Anônimo disse...:

    Tem certeza que este blog passa as verdadeiras informações? Acredito que não. Jornalista você, sério? Que triste!

  1. Cláudio Sabá disse...:

    Se não passo as informações verdadeiras, me diga então qual a verdade?

  1. Zezinho Alencar disse...:

    Com certeza Sabá, você só é "ISENTO' e bajulador para quem lhe paga bem, quanto a ser jornalista, ainda faltam milhares de horas sobre uma máquina de escrever (só para aprender a escrever)para se sentir como tal, talvez umas trezentos bilhões de horas, ou seja uns quinhentos anos, quem sabe assim você pode passar de nada a auxiliar de jornalista. Quanto a verba você pode receber para o sustento do seu jornal, nunca para o seu bolso, Como faz habitualment,pois assim fica caracterizado a falta de ética e de caráter desse suposto escriba.

  1. Cláudio Sabá disse...:

    Caro Zezinho Alencar, você demonstra nutrir por mim um ódio irracional, pois nunca lhe fiz nada, ou melhor, nem lhe conheço. Não teria mesmo como conhecer alguém que usa nome falso para agredir a mim e a outras pessoas. Muitos aqui na cidade torcem o nariz para mim, e alguns poucos, como é o seu caso, demonstram ódio pelo fato de que tenho credibilidade e respeito na profissão que exerço dignamente há mais de 20 anos. Não me formei em jornalismo, tornei-me jornalista. Caso você não saiba, o STF julgou uma ação que garante o direito de profissionais que não são jornalistas a exercerem a profissão. Mesmo não entendendo todo esse seu ódio, recomendo que não acesse mais meu blog, afinal, não sou jornalista, mas temo pela sua saúde, embora você não mereça, pois pode passar mal ao verificar no contador de acessos a quantidade de visualizações desta humilde e simples página pessoal na internet. Ah! Dizem que maracujina resolve casos como o seu. Caso não dê jeito, com certeza o lexotan acalma seus nervos. Boa sorte e cuidado com a saúde, viu!

Postar um comentário