Casa de ferreiro, espeto de pau! Professores de Matões pedem uma "forcinha" para o deputado Rubens Júnior

28.6.13
Rubens Júnior 'aconselha' governo
do Estado, mas esquece da cozinha
da sua casa   

O deputado Rubens Júnior (PCdoB), filho de prefeita Suely Pereira (PSB), deveria estar mais preocupado com a situação política que sua mãe enfrenta em Matões, do que participar de uma entrevista coletiva sem pé e sem cabeça a qual foi induzido na manhã desta quinta-feira (27), na Assembleia Legislativa.
De todos os integrantes da chamada bancada de oposição, apenas Rubens Júnior, Bira do Pindaré (PT) e Othelino Neto (PPS) participaram do factoide.
Isto é, enquanto o comunista deseja encaminhar "sugestões" para o Governo do Estado para atender as demandas das manifestações de rua, o Sindicato dos Educadores de Matões pede apenas uma "forcinha" do deputado para que as suas reinvidicações, ou ao menos partes delas, sejam atendidas pela prefeita Suely Pereira.
Prefeita Suely Pereira é alvo de
protestos dos professores de Matões 
Segundo o Blog do Robert Lobato apurou, o sindicato foi chamado pelo marido da prefeita, o ex-deputado Rubens Pereira, para negociação. Os professores deram uma trégua na greve nesta quinta-feira, mas o movimento continua em alerta.
Fiquem abaixo com a "carta aberta" do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Matões:
SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DE MATÕES-MA
Rua Oswaldo Cruz, s/n Bairro Alto da Seriema Matões-MA
CARTA ABERTA
Assunto: Paralisação municipal nos dias 20 e 21 de junho

Mais uma vez, a Educação em Matões para, para que o governo que tanto pregou a democracia levante os olhos e entenda de uma vez por todas que a classe trabalhadora precisa ter seus direitos reconhecidos e que é necessário governo e sindicato manter o diálogo.
Há alguns meses atrás, o Blog de Roberto Lobato publicou uma nota sobre a paralização dos educadores de Matões. Algumas pessoas do governo que publicaram comentários falaram que era mentira. Que a prefeita era uma das melhores do Maranhão. Resultado: Das pautas em reivindicação ainda continua pendente principalmente o plano de cargos e salários.
Lemos nos jornais e Blogs, a luta do Dep. Rubens Jr, filho da Prefeita Suely Pereira, para que o Estatuto do Educador do Maranhão fosse aprovado e este foi. Das frases do deputado para o SIMPROESEMA, tem uma que nos motiva a cobrar o nosso plano quando ele disse: "Mobilização e muitos gritos de cobrança". Foi a sugestão do deputado Rubens Júnior para que os trabalhadores fossem vitoriosos na luta pela aprovação da pauta da educação. Ele reafirmou sua postura de manter o apoio aos educadores e a cobrança pelo estatuto em suas atividades na Assembleia Legislativa. Lembrou que é importante que a categoria esteja organizada e mobilizada para enfrentar a batalha pela aprovação do projeto, que se não acontecesse agora, poderia ser prorrogada para o ano eleitoral de 2014. (Publicado no site do Simproesema)
Isso é simplesmente fantástico se não fosse só uma fachada para impressionar o povo maranhense.
Por que ele, que é filho da prefeita de Matões, que foi eleito com os votos daqui também, não vem aqui dá uma forcinha para o nosso sindicato?
Estamos parando mais uma vez diante dos absurdos que acontecem aqui. Eis alguns:
*O nosso Plano de Cargos e Salários nunca foi aprovado;
*Os conselhos da educação estão recheados de gente da base aliada do governo, inclusive o do FUNDEB que tem como presidente uma vereadora da base do governo.
*Eleições para diretores nunca houve.
*Na Educação Infantil existe um professor somente para até 30 crianças na faixa etária de 1 ano e seis meses pra frente.
*Rubens Pereira falou na TV local que a merenda não chegava porque estava sendo desviada e nos perguntamos: porque não puniu os culpados? Dois conselheiros da merenda escolar pertencentes ao sindicato comprovaram as irregularidades absurdas da merenda escolar.
*Nem todos os professores receberam o HP (Horário Pedagógico).
*Muitos municípios pagaram o abono salarial para os professores, menos Matões, que diz não ter entrado esse dinheiro. Curioso é que Parnarama, cidade vizinha e que se encontra com dívidas da gestão passada pagou R$ 1.000,00 para cada professor.
*O portal transparência não consta a lotação dos funcionários porque seria até impossível lotar todo mundo que está na folha e recebendo sem trabalhar ou com desvio de funções.
*O governo não respeita os poucos acordos feitos e tentam intimidar de forma repressiva os atos do sindicato. Contraditório, não?
* Alguns ônibus deixaram de transportar alunos por não receberem pagamento;
* Existe um cargo por nome assessor de polo que nunca ficou definido sua função e estão aglomerados nas escolas;
*Nunca a Prefeita na sua gestão sentou conosco para resolver as questões que ainda se encontram pendentes.
O secretário de Educação não tem autonomia para resolver os problemas e ficamos a ver navios.
Não é atoa que o Brasil vive um momento como este de revolta contra o sistema. O descaso dos políticos levou um país a estabelecer o caos e o que é pior, sem líderes! Não havendo líderes, não há com quem negociar.
Não tem quem faça parar! O Brasil vive um momento que o descaso com o povo chegou ao limite. Matões é Brasil também e não se apaga fogo com o fogo nas mãos.
Fonte: Blog do Robert Lobato


0 comentários:

Postar um comentário