CQC continua em Caxias apurando novas denúncias

26.11.14
Repórter do CQC continua apurando denúncias em Caxias
O repórter Lucas Salles, do Programa CQC, continua em Caxias apurando novas denúncias e tentando ouvir a versão do poder público municipal sobre o grande número de mortes de recém nascidos na Maternidade Carmosina Coutinho.

E como as denúncias não param de chegar, Lucas Salles tem percorrido a cidade de uma ponta a outra fazendo entrevistas e aprofundando a apuração dos fatos, pois, de posse de um relatório do Ministério da Saúde, as mortes na maternidade caxiense não foram ‘apenas’ 117 neste ano, mas sim, 142.

Lucas Salles X Ronaldo Chaves: um segundo encontro que não houve
O vereador Ronaldo Chaves, que é membro da Comissão de Saúde da Câmara, prontificou-se a falar com Lucas Salles em seu gabinete na manhã desta terça-feira, 25, mas o encontro não aconteceu.

Ronaldo Chaves esperou o repórter da emissora paulista no seu gabinete querendo uma cópia do relatório do MS apontando o número real de mortes de bebês em Caxias, mas terá que esperar para ver isso durante a exibição da matéria no CQC, provavelmente na próxima segunda-feira, 01.

No final da tarde de ontem (terça-feira), Lucas Salles fez entrevista na Maternidade Carmosina Coutinho com uma gestante que estava perdendo líquido e que teria sido mandada para casa pela equipe médica do Hospital.

Segurança reforçada – Embora o CQC não encontre as respostas que procura no poder público em Caxias, por outro lado encontra uma segurança reforçada nos prédios públicos do município.

Praticamente todos os guardas municipais da cidade tiveram suas folgas cortadas, pois em todos as repartições da Prefeitura eles estavam a postos nas entradas principais das respectivas repartições.

Criada para garantir a integridade dos prédios públicos contra a ação de vândalos, em Caxias a Guarda Municipal está sendo usada para impedir que a imprensa obtenha respostas diante da tragédia dos recém nascidos na maternidade da cidade.

Para quem não sabe, o slogan da atual administração é "Caxias Cada Vez Melhor".

Imagine se não fosse...

3 comentários:

  1. Anônimo disse...:




    O Brasil cresceu visivelmente nos últimos 80 anos
    Cresceu mal, porém
    Cresceu como um boi mantido
    Desde bezerro dentro de uma jaula de ferro
    A nossa jaula são as estruturas sociais medíocres
    Inscritas nas leis
    Para compor um País da pobreza na província mais bela da Terra
    Sendo assim, do Brasil do futuro
    A maioria da gente nascerá e viverá nas ruas
    Em fome canina e ignorância figadal
    Enquanto a minoria rica, com medo dos pobres
    Se recolherá em confortáveis campos de concentração
    Cercado de arame farpado e eletrificado
    Entretanto, tão fácil nos livrarmos dessas teias
    E tão necessário que dói em nós
    A nossa conivência culposa

    Sobre o autor: Darcy Ribeiro
    Antropólogo, escritor e político brasileiro que se preocupava com os índios e a educação do País.

  1. Anônimo disse...:

    Boa tarde Sabá! O motivo de um numero maior de Guardas Municipais em prédios públicos não é para impedir que a imprensa de realizar seu trabalho e sim de manter a ordem e preservação do patrimônio publico. Por se tratar de uma imprensa nacional e de grande repercussão, o numero expressivo de populares e curiosos sempre aparece aonde o CQC estiver, ai clima fica tenso, os ânimos de alguns ficam aflorados e pra evitar qualquer tipo de incidente, agressão e descontrole de quem quer que seja estamos presentes pra minimizar esse tipo de situação. Em momento algum a Guarda Municipal impediu alguém da imprensa de adentra á um prédio publico, sendo que dentro do prédio publico existem repartições restritas , e horários a serem cumpridos Ex: UTI de um hospital, tem horários de visitas e uma vestimenta adequada para que se possa adentra neste local assim evitando qualquer tipo de contaminação. E a questão de quem não quer ser entrevistado é um direito que cada um possui, a partir do momento em que existe uma aglomeração de pessoas que possa vir a impedir o direito de ir e vir de uma pessoa independente de quem quer que seja a segurança que se faz presente tem o dever de intervir. A guarda municipal é criticada por não ter feito "corpo mole", se omitido no serviço, mais apenas faz seu trabalho já a estrutura, aparelhamento, melhores condições de trabalho melhora salarial realmente é o prefeito quem tem o poder para solucionar este problema.

  1. Anônimo disse...:

    Caro Guarda Municipal que escreveu acima. Não é papel da Guarda Municipal fazer segurança onde estiver aglomeração. Isso é papel das Policias militar(ostensiva), Civil e Federal. O papel da Guarda é garantir a manutenção dos órgãos Públicos, não de fazer segurança como fazem aqui.

Postar um comentário